…Spring blue!

…azul de Primavera! (Spring blue)!

…pelas histórias que vamos contando, de muitos lugares por onde temos viajado em território dos USA, alguns dos nossos leitores devem perguntar: “mas vivem na Florida!. Será que a Flórida, ainda será parte dos USA, pois é tão raro dizerem “coisas” de lá”!. Sim é verdade, o “Sunshine State”, que é como carinhosamente chamam ao estado da Flórida, é e será sempre um estado dos USA e, tem não só, entre outras coisas, os parques temáticos do Disney World, Epcot ou Harry Potter, como também outros lugares e praias muito lindas, mas hoje vamos falar de um pequeno “fenómeno”, aqui bem perto da cidade onde vivemos, cá vai!. (from the stories we are telling about, from many places we have traveled in US territory, some of our readers should ask: “But they live in Florida! Will Florida still be part of the USA, because it is so rare say “things” from there”!. Yes, indeed, the “Sunshine State”, as it is affectionately called the state of Florida, is and will always be a state of the USA, and not only has Disney World, Epcot or Harry Potter theme parks, but also other beautiful places and beaches, but today we will talk about a small “phenomenon”, very close to the city where we live, here it goes)!.

…nós, os que ainda vamos sobrevivendo, creio que continuamos a ser aventureiros, queremos estar onde não estamos, por exemplo, vivemos aqui, numa área de sol, muito quente, onde às vezes “chove a rodos”, num clima que consideram subtropical, onde as águas de oceanos são quentes e, como tal, propensas a uma precipitação pesada, onde existem os tais ciclones tropicais, que podem contribuir para uma percentagem significativa da precipitação anual, por exemplo, nos nossos quintais, não estão plantadas, macieiras, pereiras, ou ameixoeiras, mas sim palmeiras, citrus, mangos, abacates, bananas ou papaias, pois estas espécies podem ser cultivadas dentro dessas regiões subtropicais!. (we, who still we survive, I believe continue to be adventurous, we want to be where we are not, for example, we live here, in a sunny area, very hot, where sometimes “raining mops” in a climate that consider subtropical, where ocean waters are warm and, as such, prone to heavy rainfall where there are such tropical cyclones, which can contribute to a significant percentage of annual rainfall for example, in our backyards, they are not planted apple, pear or plum, but palm trees, citrus, mangos, avocados, bananas or papayas, as these species can be grown in these subtropical regions)!.

…vão pensar que é agradável, mas temos que cortar a relva e outros arbustos todas as semanas à volta da casa, temos que ter o ar condicionado pelo menos seis ou sete meses por ano sempre ligado, mas no fundo é um risco relativo viver por aqui, pois estamos apenas a três metros e pouco, acima do nível do mar, o que quer dizer que se houver uma tempestade em que o mar se revolte, com facilidade atravessa este enorme estado da Flórida, que é plano, se cavarmos no solo, a vinte centímetros de profundidade aparece areia branca, não existe qualquer pequena ou grande montanha, e claro, a fúria da água do mar pode varrer tudo até ao Golfo do México, mas como dizíamos antes, continuamos a ser aventureiros!. (will think it’s nice, but we have to cut the grass and other shrubs every week around the house, we have to have the air conditioning at least six or seven months of year always on, but the bottom is a relative risk live here because we are only three meters and just above sea level, which means that if there is a storm in the sea revolt, easily crosses this huge state of Florida, which is flat, if we dig in the soil, to twenty centimeters deep appears white sand, there is no small or big mountain, and of course the fury of the sea water can sweep everything into the Gulf of Mexico, but as we said before, we continue to be adventurous)!.

…tudo isto vem a propósito de que aqui na Flórida visitámos um local quase no centro do estado, chamado “Blue Spring State Park”, que quer dizer mais ou menos “Parque do Estado Azul de Primavera”, onde existe uma nascente de água fresca, no meio de um canal de água salgada, que é um refúgio na época de inverno para uns simpáticos seres que se chamam “manatees”, que se alimentam, entre outras coisas de vegetação aquática, dizem que comem 100 libras (cerca de 45kg) de alimento por dia, que por aqui se refugiam procurando a água que brota do fundo do canal de água salgada, com temperatura por volta de 72 graus (cerca de 22º Celsius). A água é cristalina na zona da nascente, que vem de uma profundidade com algumas dezenas de metros, na área em redor da nascente pode-se ver o fundo do canal, tirando este pormenor da água cristalina, o cenário em redor, faz lembrar-nos a nossa “Guiné selvagem”, plantas, árvores, ramagem, pássaros, peixes com alguma dimensão, alligatores, que são uma espécie de crocodilos, que por aqui habitam, tudo nos mostra este cenário tropical, onde em tempos foi filmado um episódio da série de “Underwater World of Jaques Cousteau”. (all this is the way that here in Florida we visited a location near the center of the state, called “Blue Spring State Park”, which means roughly “Spring Blue State Park” where there is a fresh water spring, in the middle of a salt water canal, which is a haven in the winter time for a friendly beings who call themselves “manatees”, which feed among other things aquatic vegetation, say eat 100 pounds ( about 45 kg ) of food per day, which here take refuge looking for water which flows from the bottom of the salt water channel, at a temperature around 72 degrees ( about 22 Celsius ). Water is crystalline in the area of the spring, which has a depth of a few tens of meters in the area around the spring one can see the bottom of the channel, this detail drawing of clear water, the scenery around makes remind in our “wild Guinea”, plants, trees, branches, birds, fish with some size, alligatores, which are a species of crocodiles, which live here, it shows this tropical setting, which was once filmed an episode of series of “Underwater World of Jacques Cousteau”.

…é uma área com alguns quilómetros quadrados, de pura selva tropical, com carreiros abertos entre as árvores, em alguns locais, passadeiras protegidas, pequenas pontes em madeira sobre riachos, onde se pode ver e respirar a natureza pura, onde as cobras, alligatores, peixes ou pássaros exóticos, vivem no seu território, sabendo que os humanos os vêm mas não os perturbam, vimos vários alligatores ao sol, fora da água, aproximámo-nos para os fotografar de perto, e claro, como é costume nestes casos, um pássaro, em cima de uma árvore, “cantou”, como se fosse um aviso, os alligatores imediatamente se meteram debaixo da água, portanto os animais protegem-se, vivem em comunidade, as árvores com centenas de anos, algumas já morreram, caíram, mas continuam lá, onde as folhas secas, que vão caindo, as cobrem em sinal de respeito, como a protegê-las para a eternidade, tudo está limpo e arrumado, sem papeis, garrafas ou latas vazias pelo chão, sem pinturas murais, como é costume ver-se em qualquer zona urbana, que existem por aí, principalmente nas grandes cidades. Valeu a pena!. (it is an area of a few square kilometers of pure tropical jungle, with open paths among the trees in some places, protected walkways, small bridges of wood over streams where you can see and breathe the pure nature, where snakes, alligatores, fish or exotic birds, living on its territory, knowing that human to come but do not disturb, we saw several alligatores the sun, out of the water, we approach to photograph closely, and of course, as is customary in these cases, a bird on a tree, “sang”l ike a warning, alligatores immediately put him under the water, so the animals protect themselves, living in community, trees hundreds of years old, some have died, fell, but still there where the dry leaves which are falling, the cover of respect, how to protect them for eternity, everything is clean and tidy, no papers, bottles or empty cans on the floor, no murals, as usual be seen in any zone Urbanization in, out there, especially in large cities. Worth it)!.

Tony Borie, December 2017.
.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s