…vamos para norte!. (…let’s go north)!.

…as pessoas, ou seja, o comum dos mortais tal como nós, quando atingimos uma certa idade e as coisas não correm em conformidade com os nossos desejos, normalmente dizemos: “é o destino”!.

(…people, that is, ordinary mortals like us, when we reach a certain age and things do not go according to our wishes, we usually say: “it is destiny”)!.

…e, o destino foi entre outros, termos nascido na Europa, naquele cantinho “à beira-mar plantado”, que é como chamam à “Peninsula Ibérica”, termos idade adulta naqueles anos, podendo ser militares e como tal forçados a participar na maldita Guerra Colonial em África que o país Portugal manteve “orgulhosamente só” e, foi não ter lá oportunidade de vida e de liberdade para criar uma família!. 

(…and, the destination was, among others, that we were born in Europe, in that little corner “planted by the sea”, which is what they call the “Iberian Peninsula”, that we had adulthood in those years, being able to be military and as such forced to participate in the damn Colonial War in Africa that the country Portugal kept “proudly alone” and, it was not having the opportunity of life and freedom to raise a family there)!.

…como tal, vimos essa oportunidade na emigração, deste lado do Atlântico, longe daquele sol radiante, onde às vezes fazia geada pela manhã, a que os nossos vizinhos chamavam “orvalho” e, como tudo o que acima escrevemos não fosse o suficiente, fomos agora visitados pela também maldita pandemia “Coronavírus 19”!.

(…as such, we saw this opportunity in emigration, on this side of the Atlantic, away from that radiant sun, where it was sometimes freezing in the morning, which our neighbors called “dew” and, as everything we wrote above was not enough, we have now been visited by the also accursed pandemic “Coronavirus 19”)!.

…resultado!. Ficámos confinados, e no nosso caso de pessoas que tentam cumprir as regras impostas pelas autoridades médicas e científicas, que nos recomendam ficar em casa, usar máscara, não se expor, tratando os vizinhos e amigos como se fossem estranhos, ou seja, fugir deles e não lhes falando ou cumprimentando, e claro, causando-nos muitas restrições em viajar e, a família vive no norte, as saudades em os ver aumentam todos os dias!. 

(…result!. We were confined, and in our case of people who try to comply with the rules imposed by the medical and scientific authorities, who recommend us to stay at home, wear a mask, not expose ourselves, treating neighbors and friends as if they were strangers, that is, running away from them and not talking to or greeting them, and of course, causing us a lot of restrictions on traveling and, the family lives in the north, the longing to see them increases every day)!.

…como tal, não é nossa intenção ir para uma aventura na cidade arqueológica Maya de “Chichén Itzá”, cujo nome significa “pessoas que vivem na beira da água”, no norte no México, que funcionou como centro político e económico da civilização Maya!. Tal como não queremos ir ao Curral das Freiras na Ilha da Madeira, situado no interior da ilha e, onde no princípio da colonização, quando havia saques à hoje cidade do Funchal por corsários franceses, as religiosas do convento de Santa Clara se refugiavam ali, talvez para não serem violadas!.

(…as such, it is not our intention to go on an adventure in the Maya archaeological city of “Chichén Itzá”, whose name means “people who live on the water’s edge” in northern Mexico, which functioned as the political and economic center of the Maya civilization!. Just as we do not want to go to Curral das Freiras on the island of Madeira, located in the interior of the island and, where in the beginning of colonization, when there were looting in the city of Funchal today by French corsairs, the religious of the convent of Santa Clara took refuge there, maybe not to be violated)!.

.…não!. Não queremos parecer uns verdadeiros “Indiana Jones”!. O que queremos é ir visitar a família lá no norte, nos estados de Nova Jersey e Pennsylvania, abraçar os nossos netos e os seus pais!. No passado era tão simples, são apenas mil milhas de boa estrada!.

(…not!. We don’t want to look like real “Indiana Jones”!. What we want is to go visit the family in the north, in the states of New Jersey and Pennsylvania, to hug our grandchildren and their parents!. In the past it was so simple, it is only a thousand miles of good road)!.

…já estamos vacinados, pelo menos dizem-nos que ficámos imunes a esse maldito “Coronavírus19”, sendo agora potenciais candidatos a um novo rosto da comunidade de imunização, dando assim a nossa contribuição para a saúde pública e, contra tudo e contra todos vamos de nova para a estrada!.

(…we are already vaccinated, at least they tell us that we were immune to that damn “Coronavirus19”, being now potential candidates for a new face of the immunization community, thus giving our contribution to public health and, against everything and against everyone we will back to the road)!.

…vamos tentar a tão esperada “reunião familiar”!. O pensamento agita o nosso cérebro, misturando a alegria com um toque de ansiedade e, sabemos que a palavra “ansiedade” não devia de estar lá, mas na verdade, as oportunidades de nos reunirmos em família têm sido poucas, devido à época que atravessamos como acima já explicámos por causa da presença da maldita pandemia “Coronavírus19”!.

(…let’s try the long-awaited “family reunion”!. The thought agitates our brain, mixing the joy with a touch of anxiety and, we know that the word “anxiety” should not be there, but in fact, the opportunities to get together as a family have been few, due to the time we are going through, as we explained above because of the presence of the damn pandemic “Coronavirus19”)!.

…vamos ver sobretudo os netos, porque nós quando crianças, os nossos progrenitores seguindo uma tradição de há séculos, também ficavam felizes quando nos viam, e nós como crianças, tínhamos a felicidade de não perceber coisa nenhuma e, de não ter as esperanças que os outros tinham, porque na idade de ter esperanças, infelizmente já não sabíamos ter esperanças, tudo talvez por causa de ainda quase crianças, ser-mos forçados a ir combater na maldita Guerra Colonial em África!.

(…we will see grandchildren above all, because we as children, our parents following a tradition of centuries, were also happy when they saw us, and we as children, were fortunate to not perceive anything and to not have the hopes that the others did, because at the age of hope, unfortunately we no longer knew how to hope, all perhaps because we were still almost children, we were forced to go and fight in the bloody African Colonial War)!.

…também sabemos que nesta já um pouco avançada idade, devemos estar preparados para as perguntas a questões, que eles sempre gostam de saber,  como por exemplo: “quem somos, de onde viémos ou o que fizémos durante a nossa vida”, pois nestas reuniões é uma boa oportunidade para as histórias de família se desenrolarem e, acreditamos que não lhes devemos esconder nada, até as nossas aventuras!.

(…we also know that in this already a little old age, we must be prepared for questions to questions, which they always like to know, such as: “who we are, where we came from or what we did during our life”, because in these meetings it is a good opportunity for family stories to unfold and, we believe that we should not hide anything from them, even our adventures)!.

…alguns dos nossos netos já são grandotes, e claro, em parte vamos ser  “aquelas pessoas da história da família” e incorporar algumas histórias onde vão surgir muitas perguntas e, quando surgir qualquer assunto que nos cause algum embaraço, eles vão dizer: “vamos conversar sobre isso”!. Mas no fundo, no fundo, ao contar-mos para eles as nossas histórias da infância ou do início da nossa vida, algumas de que já nos devíamos ter esquecido, vai ser um “reviver”, que para nós representa um dos presentes que mais valor e significado têm!.

(…some of our grandchildren are already big, and of course, in part we will be “those people from the family history” and incorporate some stories where many questions will arise and, when any issue that causes us any embarrassment comes up, they will say: “let’s talk about it”!. But deep down, deep down, when we tell them our stories from childhood or the beginning of our life, some of which we should have already forgotten, it will be a “relive”, which for us represents one of the gifts that most value and meaning have)!.

…enfim, vamos para o norte, a aventura espera-nos, talvez agora pendurada numa corda, não na beira de uma qualquer montanha, mas sim nos braços e no afecto da família!.

(…in short, we are going north, the adventure awaits us, perhaps now hanging from a rope, not on the edge of any mountain, but in the arms and affection of the family)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

One thought on “…vamos para norte!. (…let’s go north)!.

  1. Em primeiro lugar, faço votos para que a viagem vos corra bem. Depois, que encontrem as vossas famílias lá para o Norte, de perfeita e feliz saúde! Amigo Borie, tudo de bom para toda a família. Não se esqueçam de regressar, olhem que a praia de Matanzas fica à vossa espera. Abraço

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s