…o nosso combóio, é hora de magia!. (…our train, it’s time for magic)!.

…nascemos lá, o nosso pensamento por vezes continua lá!. 

(…we were born there, our thinking sometimes remains there)!.

…quase oito décadas depois e em outro continente, continuamos a viver um pouco a vida que levámos na nossa aldeia quase mediaval do século passado, no Vale do Ninho D’Águia, lá na Europa, naquela encosta agreste da montanha do Caramulo, onde a terra começava a ser plana e ia deslizamdo até ao mar, onde a natureza era tão simples, onde se nascia sem trazer nada, morrendo sem levar nada e no meio ninguém brigava por algo, porque sabiam que também não levavam nada!.

(…almost eight decades later and on another continent, we continue to live a little of the life we ​​led in our almost medieval village of the last century, in the Valley of the Eagle’s Nest, in Europe, on that rugged slope of the Caramulo mountain, where the land began to be flat and would slide down to the sea, where nature was so simple, where you were born without bringing anything, dying without taking anything and in the middle no one fought for anything, because they knew they didn’t take anything either)!.

…na história de hoje concentramo-nos recordando mais uma vez, talvez quase sonhando, uma daquelas viajens mágicas e maravilhosas no “nosso combóio” que todos os anos na época de verão fazíamos entre a então vila de Águeda e a cidade de Aveiro, que era o trajecto que a nossa saudosa avó materna Agar às vezes usava, quando em criança nos levava para a praia do oceano Atlântico, na aldeia da Costa Nova!. Cá vai!.

(…in today’s story we focus on remembering once again, perhaps almost dreaming, one of those magical and wonderful journeys on “our train” that every year in the summer we used to take between the then town of Águeda and the city of Aveiro, which it was the path that our dear maternal grandmother Agar sometimes used, when she was a child, took us to the beach of the Atlantic Ocean, in the village of Costa Nova!. Here it goes)!.

…era uma manhã de princípio de verão do ano de 1947!. Olhamos o relógio da estação, a nossa avó Agar diz-nos que são 9h15 e estava quase na hora do combóio chegar!. O ambiente é encantador, repleto de movimento!. Pelo cais da estação avistam-se caixotes e outras mercadorias, assim como algumas pessoas que andam atarefadas, trazendo sacas pela mão!.

(…it was an early summer morning in the year 1947!. We look at the station clock, our grandmother Agar tells us that it is 9:15 am and it was almost time for the train to arrive!. The atmosphere is charming, full of movement!. Along the station’s quay, crates and other goods can be seen, as well as some people who are busy, carrying sacks by hand)!.

…dois homens conversam, um traz o guarda chuva pendurado no pescoço, entre a samarra e o seu corpo, uma senhora traz um garoto pela mão que procura largar a mão e fugir, quer ir brincar para a área um pouco ao norte, onde há carvão espalhado pelo chão, diversas rimas de traves de madeira, alguns carris, tanto novos como usados e, um pouco ao lado, no desvio da linha, sobre os carris estão umas tantas carruagens, típicas do Vale do Vouga, ainda com varandins, mistas de primeira e terceira classe!. 

(…two men are talking, one has an umbrella hanging around his neck, between the samarra and his body, a lady brings a boy by the hand who tries to let go of his hand and run away, wants to go play to the area a little to the north, where there is charcoal scattered on the floor, several rhymes of wooden beams, some rails, both new and used and, a little to the side, on the line’s diversion, on the rails there are several carriages, typical of Vale do Vouga, still with balconies, mixed first and third class)!.

…por aqui, vê-se muita gente, algumas mulheres, talvez vindas da montanha, trajam chinelas nos pés, saias pretas de pano cardado de burel, compridas, usando uma cinta de cor vermelha bem apertada, blusa branca com bordados, por baixo de um colete verde escuro, bem justo ao corpo, apertado com botões reluzentes de prata e na cabeça um chapéu largo, de cor preta, com algumas penas de pavão servindo de enfeite!. Os homens trajam normalmente, mas alguns, usam umas calças de pano cardado, também de burel castanho e nos pés usam tamancos ou botas de cabedal com a cor natural e, na cabeça um chapéu com duas bolas caídas atrás, seguras por uma fita de pano!.

(… around here, you see a lot of people, some women, perhaps from the mountains, wear slippers on their feet, long black skirts of carded burel cloth, wearing a tight red color belt, white blouse with embroidery, for under a dark green waistcoat, tight to the body, fastened with glittering silver buttons and on his head a wide black hat, with some peacock feathers as an ornament! Men dress normally, but some wear carded cloth pants, also in brown burel, and on their feet they wear leather clogs or boots in the natural color and, on their heads, a hat with two balls falling at the back, held by a cloth ribbon)!.

…chega o combóio!. Aqui em Águeda, é uma estação intermédia com uma certa relevância, pois tem três linhas, duas delas com agulhas talonáveis e o combóio entra na mais à direita fazendo algum barulho ao travar junto ao depósito do reservatório de água, ajustando-se debaixo do enorme cano, que vem do depósito!. 

(…the train arrives!. Here in Águeda, it is an intermediate station with a certain relevance, as it has three lines, two of them with drawbars and the train enters the one on the far right, making some noise as it brakes next to the water reservoir tank, adjusting under the huge pipe, which comes from the warehouse)!.

…o maquinista, sujo de carvão na cara, puxa de um grande lenço tabaqueiro, que trazia no bolso de trás, limpa a cara e assoa o nariz, sai do seu posto, desce para o chão, com um grande martelo na mão, rodeia a locomotiva, inspeciona as rodas, sobe de novo para o seu interior, verifica o sistema, nomeadamento o nível de água, está um pouco baixo, encolhendo os ombros, resolve meter água, como tal, sai de novo e faz funcionar o sistema de abastecimento enchendo o reservatório!.

(…the machinist, smeared with coal on his face, pulls out a large tobacco handkerchief, which he had in his back pocket, wipes his face and blows his nose, leaves his station, goes down to the ground, with a large hammer in his hand, goes around the locomotive inspects the wheels, climbs back inside, checks the system, namely the water level, it’s a little low, shrugging, decides to put in water, as such, gets out again and makes the system work. supply filling the reservoir)!.

…apreciando todo este cenário, vereficamos que este maravilhoso combóio é composto por um vagão tipo Vale do Vouga, dos abertos de dois eixos, dois vagões também do mesmo tipo, mas cobertos, mais dois semelhantes ao primeiro, três carruagens de varandins de terceira classe e furgão e, na rectaguarda outra Vale do Vouga, mas mais bonita, com uma cor diferente, cremos que é verde azeitona com umas letras desenhadas a ouro, parece que é daquelas transformadas, que podem ser de primeira ou terceira classe, todavia, com o fumo que por ali havia em seu redor, não conseguimos ver bem qual o tipo ou número da locomotiva, mas estamos em crer que era uma CP E96 ou 97!.

(…appreciating all this scenario, we see that this wonderful train is composed of a wagon type Vale do Vouga, two-axle open wagons, two wagons also of the same type, but covered, plus two similar to the first, three carriages with third-class verandas and a van and, in the rear, another Vale do Vouga, but more beautiful, in a different color, we believe it is olive green with some letters drawn in gold, it seems that it is one of those transformed, which can be first or third class, however, with the smoke that was around there, we couldn’t quite see what type or number the locomotive was, but we believe it was a CP E96 or 97)!.

…com a chegada do combóio, em toda a área existe cheiro a carvão queimado, e nós, juntamente com outras pessoas, entrámos pela mão da nossa avó Agar, enquanto os homens de serviço na estação carregam alguma mercadoria!. 

(…with the arrival of the train, there is a smell of burning coal in the whole area, and we, along with other people, entered by the hand of our grandmother Agar, while the men on duty at the station were carrying some goods)!.

…entretanto, o chefe da estação, fardado rigorosamente com um boné branco ao lado de dois “carregadores”, também fardados, cigarro ao canto da boca, junto de um carro de duas rodas, com um casaco de cutim azul, também com um boné já um pouco coçado na cabeça, dá autorização de partida ao combóio, que tinha saído da estação de Sernada do Vouga, pela manhã!.

(…however, the stationmaster, in strict uniform with a white cap beside two “porters”, also in uniform, cigarette in the corner of his mouth, next to a two-wheeled car, wearing a blue cutin coat, also with a cap already a little scratched in the head, he gave the train departure authorization, which had left the Sernada do Vouga station in the morning)!

…o combóio põe-se em movimento, talvez transportando as suas mais de 100 toneladas, o maquinista acelera um pouco, sai muito vapor de ambos os lados da locomotiva, o que faz com que o chefe da estação, com a bandeira numa mão e a outra coçando a testa, gritar algumas palavras obscenas, e nós, apreciámos tudo isto porque o combóio fez uma paragem de mais ou menos 15 minutos, talvez por causa de encher o tanque com água!.

(…the train sets in motion, perhaps carrying its more than 100 tons, the driver accelerates a little, a lot of steam comes out on both sides of the locomotive, which makes the stationmaster, with the flag in his hand, and the other one scratching her forehead, screaming some obscene words, and we enjoyed all this because the train stopped for about 15 minutes, maybe because of filling the tank with water)!.

…segue a uma velocidade normal, mas cremos que às vezes aumenta a velocidade e vai resistindo a algumas curvas mais apertadas!. No interior, com bancos de madeira quase todos ocupados e algumas sacas pelo chão, vamos contentes ao sabor do vento que entra pelas janelas!. Vamos numa carruagem de terceira, mas a avó Agar diz-nos que é de segunda!. 

(…follows at a normal speed, but we believe that sometimes it increases speed and resists some tighter turns!. Inside, with wooden benches almost all occupied and some sacks on the floor, we go happy with the taste of the wind coming through the windows!. We are going in a third-party carriage, but Grandma Agar tells us it’s second-rate)!.

…olhando pela janela, após uma dessas curvas, surge uma ponte metálica, que transpõe o rio Águeda, afluente do Vouga, que passa a poucos metros dali!. Olhando para a esquerda, vemos a planície de campos, alguns alagadiços e para a direita uma montanha de pedra vermelha, tudo antes de entrar num túnel, que é talhado num impressionante esporão de uma falésia vermelha!. 

(…looking out of the window, after one of these curves, a metal bridge appears, which crosses the river Águeda, a tributary of the Vouga, which passes a few meters away!. Looking to the left, we see the plain of fields, some marshes and to the right a mountain of red stone, all before entering a tunnel, which is carved into an impressive spur of a red cliff)!.

…chegámos à estação de Eirol que tem duas vias para cruzamento, também com agulhas talonáveis, entrámos na da direita, enquanto esperámos pelo combóio que vinha da cidade de Aveiro, que se havia de cruzar com “o nosso combóio” nesta estação!. O maquinista aproveita para verificar o estado da locomotiva, nomeadamente a lubrificação do sistema que faz andar as rodas!.

(…we arrived at the Eirol station, which has two lanes for crossing, also with drawbars, we entered the one on the right, while we waited for the train coming from the city of Aveiro, which would cross with “our train” at this station!. The driver takes the opportunity to check the condition of the locomotive, namely the lubrication of the system that makes the wheels run)!.

…seguimos!. A estrada nacional de Águeda para Aveiro, acompanha-nos do lado direito, um pouco à frente, surge-nos o apeadeiro de São João de Loure e, a linha continua a ladear a estrada nacional pela esquerda!. O estuário do rio Vouga, pode-se admirar se olhar-mos para o lado direito e  existe muita água em alguns lugares cobre o campo!. Surge outra passagem de nível, onde uma guarda faz sinal que o combóio podia seguir, onde pouco depois entrámos na estação da povoação rural de Eixo, com duas linhas de agulhas talonáveis!.

(…follow on!. The national road from Águeda to Aveiro, follows us on the right side, a little ahead, the stop of São João de Loure appears and the line continues to flank the national road on the left!. The Vouga river estuary can be admired if you look to the right side and there is a lot of water in some places covers the countryside!. Another level crossing appears, where a guard signals that the train could follow, where shortly after we enter the station in the rural village of Eixo, with two lines of liftable needles)!.

…num espaço de pouco tempo, surge o apeadeiro de Azurva, com a plataforma à esquerda e, contendo apenas uma placa com o seu nome, mais à frente, após curvas e contra-curvas, aparece o apeadeiro de Esgueira, mais uma passagem de nível na estrada nacional Águeda – Aveiro, e finalmente, depois duma recta extensa, a locomotiva CP E96 ou 97, trazendo atrás de si o “nosso combóio” termina todo o seu percurso!.

(…in a short space of time, the Azurva halter appears, with the platform on the left and, containing only a plaque with his name, further on, after curves and counter-curves, the Esgueira halter appears, yet another level crossing on the Águeda – Aveiro national road, and finally, after a long straight, the CP E96 or 97 locomotive, bringing “our train” behind it, completes its entire route)!.

…depois!. Depois saímos pela mão da nossa avó Agar, ajudando a carregar os sacos com lenha, carqueija, alguns utensílios de cozinha, roupa, carne salgada de porco, farinha, entre outras coisas, atravessando a área leste da estação de Aveiro, incluindo, a passagem da linha larga do norte, entrando no edifício principal da estação, para sair  para a cidade, também pela porta principal, enquanto a locomotiva a vapor, possívelmente foi desengatada e dirigida para o depósito das locomotivas, onde iam limpar a fornalha e atestar o depósito de carvão!. 

(…later!. Then we left by the hand of our grandmother Agar, helping to carry the bags with firewood, carqueija, some kitchen utensils, clothing, salted pork meat, flour, among other things, crossing the area east of the Aveiro station, including the passageway. from the northern broad line, entering the main station building, to leave for the city, also through the main door, while the steam locomotive was possibly disengaged and directed to the locomotive depot, where they would clean the furnace and fill the depot of coal)!.

…de seguida entrámos na camionete, de cores amarela e verde, com assentos de cabedal que, depois do homem dos bilhetes, subindo por umas acrobáticas escadas, ter arrumado todos os sacos da nossa bagagem na parte superior do bonito veículo, seguindo em direcção às praias do oceno Atlântico, passando ao lado das salinas, cuja extracção manual do sal era executada pelos “marnotos” (trabalhadores das salinas), transportando à cabeça largas canastras cheias de sal, que estratégicamente iam construindo pequenas montanhas brancas ao lado da rudimentar estrada!. 

(…then we got into the van, in yellow and green, with leather seats that, after the ticket man, climbing some acrobatic stairs, had stowed all our luggage bags on top of the beautiful vehicle, heading towards the beaches on the Atlantic Ocean, passing alongside the salt pans, whose manual salt extraction was carried out by the “marnotos” (salt pan workers), carrying on their heads large canastras full of salt, which strategically built small white mountains next to the rudimentary road)!.

…continuando, travessámos algumas pontes de madeira sobre a maravilhosa Ria de Aveiro, vislumbrando lá ao fundo o Farol da Barra, que depois de percorrer uma parte ao lado da Ria que era recta e plana, chegámos ao fim do nosso destino, que era uma zona com algumas palmeiras, junto à Ria, onde se viam muitos barcos moliceiros, a que chamavam “a paragem das camionetas” na Costa Nova!.

(…continuing, we crossed some wooden bridges over the wonderful Ria de Aveiro, catching a glimpse at the far end of Farol da Barra, which after crossing a part of the Ria that was straight and flat, reached the end of our destination, which it was an area with some palm trees, next to the Ria, where you could see many moliceiro boats, which they called “the bus stop” in Costa Nova)!.

…ficando “a banhos” vivendo por aqui umas tantas semanas nos “palheiros” na aldeia dos pescadores!. Entretanto, infelizmente acordámos deste maravilhoso sonho, para voltar à realidade da presente vida!. 

(…staying “bathing” around here for a few weeks in the “palheiros” in the fishermen’s village!. However, unfortunately we woke up from this wonderful dream, to return to the reality of the present life)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…manhã no Parque da Princesa!. (…morning at Princess Park)!.

…moramos aqui há quase duas dezenas de anos, já nos dirigimos “mil vezes” para esta selva escondida, umas vezes de bicicleta, sózinhos ou acompanhados pela nossa dedicada esposa Isaura, outras de automóvel, como foi o caso de hoje e, não fazíamos uma verdadeira ideia do que existe por trás de toda esta vegetação, que afinal é um tesouro escondido!.

(…we’ve lived here for almost two dozen years, we’ve traveled “a thousand times” to this hidden jungle, sometimes by bicycle, alone or accompanied by our dedicated wife Isaura, others by car, as was the case today and, we didn’t have a real idea of ​​what’s behind all this vegetation, which after all is a hidden treasure)!.

…estamos a falar do “Princess Place Preserve”, que quer dizer mais ou menos, “Lugar Preservado da Princesa” que, tem uma história muito rica, num cenário exótico de beleza natural, onde outrora também foi cenário de índios americanos, assentamentos coloniais, guerras, servos, magnatas, casamentos, divórcios, amor, ódios, príncipes e princesas, tudo passado neste maravilhoso local, situado na parte norte do concelho de Flagler, mais propriamente na confluência do hoje Riacho Pellicer e do Rio Matanzas!.

(…we are talking about the “Princess Place Preserve”, which more or less means, “Princess Place Preserve”, which has a very rich history, in an exotic setting of natural beauty, where it was also the scene of American Indians, colonial settlements, wars, serfs, magnates, marriages, divorces, love, hates, princes and princesses, all spent in this wonderful place, located in the northern part of Flagler county, more precisely at the confluence of today’s Riacho Pellicer and the Matanzas River)!.

…dizem-nos que tudo começou por volta do final do século dezassete, quando uma parcela de mais de mil acres era concedida como uma concessão de terras espanholas a Francisco Pellicer, homem nascido em Minorca, que é uma das ilhas Baleares de Espanha, no mar Mediterrâneo, que por aqui chegou, contratado como servo mas, tal como outros  chegados da Europa, este, exercendo a profissão de agricultor e carpinteiro, prosperou assim no Novo Mundo!.

(…we are told that it all started around the end of the seventeenth century, when a parcel of more than a thousand acres was granted as a Spanish land grant to Francisco Pellicer, a man born in Menorca, which is one of the Balearic Islands of Spain , in the Mediterranean Sea, who arrived here, hired as a servant but, like other arrivals from Europe, this one, exercising the profession of farmer and carpenter, thus prospered in the New World)!.

…nós, “fotografos amadores à quinta-feira e contadores de histórias ao domingo”, com a pequena máquina fotográfica, (a tal que cabe cabe no bolso de trás), tal como uma criança, a quem dão um brinquedo novo, caminhámos por ali, descobrindo uma paisagem deslumbrante e diferente a cada curva do nosso caminho, pois aqui é um óptimo lugar para embarcar em caminhadas ao longo desta selva de árvores centenárias!.

(…we, “amateur photographers on Thursdays and storytellers on Sundays”, with the small camera, (the one that fits in the back pocket), just like a child, who is given a new toy, we walked there, discovering a stunning and different landscape at every turn in our path, as this is a great place to embark on hikes through this jungle of centuries-old trees)!.

…dentro dos limites deste parque, encontramos ao longo de trilhas fáceis de caminhar, uma casa rural histórica, com instalações para os cavaleiros trazerem os seus próprios cavalos e cavalgarem, pântanos, canais e lagos naturais para explorar, áreas selvagens de piquenique, vistas deslumbrantes da paisagem aquática, que nos proporciona aquele desafio físico que muitas vezes não sabíamos que queríamos!.

(…within the limits of this park we find along easy walking paths, a historic country house with facilities for riders to bring their own horses and ride, swamps, canals and natural lakes to explore, wild picnic areas, stunning views of the aquatic landscape, which gives us that physical challenge that we often didn’t know we wanted)!.

…não esquecemos tão cedo a majestade, o silêncio e a beleza deste parque, abundante em vida selvagem e que há muito tempo já é um dos nossos lugares favoritos para fotografar não só a paisagem como alguns animais e aves selvagens, como águias de colarinho branco, garças-reais, garças-azuis, garças-brancas, cegonhas-da-floresta ou aligatores (crocodilos)!.

(…we don’t soon forget the majesty, silence and beauty of this park, abundant in wildlife and for a long time now one of our favorite places to photograph not only the landscape but also some wild animals and birds, such as white-collar eagles , herons, blue herons, white herons, forest storks or alligators (crocodiles)!.

…a paisagem aquática faz parte do canal principal (intercoast), que segue junto ao oceano AtlIantico, como tal em alguns pontos, durante a mudança das marés, podem haver centenas de pássaros de quase uma dúzia de espécies espalhadas pelos pântanos, lagos e canais de água salgada, imediatamente adjacentes aos diversos caminhos que atravessam este maravilhoso parque!.

(…the waterscape is part of the main channel (intercoast), which runs along the Atlantic Ocean, as such at some points, during the changing tides, there may be hundreds of birds of almost a dozen species scattered throughout the swamps, lakes and channels of salt water, immediately adjacent to the many paths that cross this wonderful park)!.

…mas uma das maiores atrações para nós, pois às vezes também somos observadores de pássaros e fotógrafos da vida selvagem, este parque da “Princesa” é uma escala para muitas aves migratórias!. Por aqui passam a caminho do sul no outono e a caminho do norte na primavera, alguns cisnes com o seu bico exclusivo e penas brancas ou rosa vibrantes, fazendo uma paragem de algum tempo a cada ano para um show espetacular!.

(…but one of the biggest attractions for us, as we are sometimes also bird watchers and wildlife photographers, this “Princess” park is a stopover for many migratory birds!. Some swans with their unique beak and vibrant white or pink feathers pass through here on their way south in autumn and on their way north in spring, making a stop for some time each year for a spectacular show)!.

…estava uma manhã bonita com o céu azul, podendo ver-se algumas pequenas nuvens brancas que se atravessavam entre nós e o sol e, ao atravessar uma magnífica ponte coberta e em madeira sobre um dos canais, olhando para o lado esquerdo estava lá um “aligator” (crocodilo)  ainda bébé, que ao ver-nos não fugiu, porque já somos uma das suas vsitas frequentes e, um pouco para o seu interior, nas lagoas salobras, algumas dúzias de aligatores (crocodilos) vivem por lá, nadam e ocasionalmente agarram um caranguejo azul!.

(…it was a beautiful morning with a blue sky, you could see some small white clouds crossing between us and the sun and, when crossing a magnificent covered wooden bridge over one of the canals, looking to the left side, there was a “aligator” (crocodile) still a baby, who didn’t run away when he saw us, because we are already one of his frequent visits and, a little further inland, in the brackish lakes, a few dozen alligators (crocodiles) live there, swimming and occasionally catch a blue crab)!.

…esta caminhada é extremamente experiente, carismática, pelo menos para nós, contadores de histórias, onde podemos admirar uma área de pura selva, alguns pântanos, savanas, canais de água salgada, aves exóticas, árvores cobertas de musgo e uma fauna natural, sendo um óptimo lugar para ver e aprender!.

(…this hike is extremely experienced, charismatic, at least for us storytellers, where we can admire an area of ​​pure jungle, some swamps, savannas, saltwater channels, exotic birds, moss-covered trees and a natural fauna , being a great place to see and learn)!.

…por algum tempo percorremos os quatro cantos desta “reserva” explorando-a um pouco, onde não vimos praias de tartarugas com água azul mas, vimos o sossego de aves exóticas, tentando passar despercebidas dos olhares dos humanos, sendo muito provável que a qualquer momento encontrássemos os verdadeiros moradores deste maravilhoso parque, que são os rebanhos de veados de cauda branca, raposas vermelhas, linces, corujas, tatus, panteras da Flórida e, ocasionalmente algum urso preto, entre outros!.

(…for some time we went through the four corners of this “reserve” exploring it a little, where we didn’t see turtle beaches with blue water, but we saw the tranquility of exotic birds, trying to go unnoticed by the eyes of humans, it is very likely that at any time we could find the real residents of this wonderful park, which are the herds of white-tailed deer, red foxes, bobcats, owls, armadillos, Florida panthers and, occasionally, some black bear, among others)!.

…foi uma manhã maravilhosa, caminhando por algumas trilhas em terra, onde por vezes se juntam a um caminho de concreto ou algumas pontes em madeira, que serpenteiam por centenas de arbustos que florescem em cores brilhantes, mudando a paisagem a cada ano!.

(…it was a wonderful morning, walking along some dirt trails, where they sometimes join a concrete path or some wooden bridges, which meander through hundreds of bushes that bloom in bright colors, changing the landscape every year)!.

…é uma parte importante da nossa experiência em viagens e caminhadas, que pode ser uma história engraçada ou especial, sobre uma qualquer  experiência vivida numa montanha, numa selva, num rio, praia ou deserto, ou simplesmente uma aventura interessante na estrada!.

(…is an important part of our travel and hiking experience, which can be a funny or special story, about any experience lived in a mountain, in a jungle, in a river, beach or desert, or simply an interesting adventure on the road)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…na então Guiné Portuguesa!. (…in the then Portuguese Guinea)!.

…os últimos meses de presença em cenário de guerra, foram passados quase como todos os combatentes que cumpriram vinte e quatro longos meses de estadia na então província Portuguesa da Guiné em África!. Infelizmente e com alguma amargura, hoje ainda revivemos alguns acontecimentos!. É a vida dizem alguns!. Mas… para nós combatentes, os momentos de medo, angústia e desespero, ficaram gravados no pensamento e espetados no corpo, tal como um ferro em brasa com farpas bastante afiadas!. 

(…the last months of presence in a scenario of war, were spent almost like all the combatants who completed twenty-four long months of stay in the then Portuguese province of Guinea in Africa!. Unfortunately and with some bitterness, we still relive some events today!. It’s life some say!. But… for us combatants, the moments of fear, anguish and despair, were engraved in our thoughts and stuck in our bodies, like a red-hot iron with very sharp barbs)!.

…aquele conflito armado estava de dia para dia a aumentar as suas proporções, era já uma guerra de guerrilha feroz e traiçoeira, tornando-se muito difícil viajar de uma povoação para outra sem haver contacto com os guerrilheiros ou com qualquer das suas emboscadas e armadilhas, pois colocavam minas e fornilhos nas principais estradas, carreiros, pontões ou saídas e entradas obrigatórias nas travessias dos rios e pântanos, utilizavam os seus corredores de abastecimento durante a noite, tinham as suas “casas mato”, e claro, os guerrilheiros já tinham treino e alguma experiência em combate, sabendo bem o terreno que pisavam!.

(…that armed conflict was increasing day by day in its proportions, it was already a fierce and treacherous guerrilla war, making it very difficult to travel from one village to another without having contact with the guerrillas or any of their ambushes and traps , as they placed mines and bowls on the main roads, paths, pontoons or mandatory exits and entrances in the crossings of rivers and swamps, they used their supply corridors at night, they had their “bush houses”, and of course, the guerrillas already had training and some experience in combat, knowing well the terrain they were on)!.

…e, em algumas situações naquele cenário, as condições para se tentar recuperar um qualquer morto ou ferido, pois as vítimas, deviam ser puxados para algum tipo de posição onde houvesse alguma segurança, para serem tratados e, levar um homem ferido ou morto, requer até quatro homens como portadores, o que também enfraquecia uma unidade militar num momento crítico, portanto esses infelizes militares de combate, quando eram atingidos, alguns deles, por lá ficavam para sempre!.

(…and, in some situations in that scenario, the conditions for trying to recover a dead or injured person, as the victims should be pulled into some kind of position where there is some security, to be treated and, to take a wounded or dead man, it requires up to four men as carriers, which also weakened a military unit at a critical moment, so these unfortunate combat soldiers, when they were hit, some of them, stayed there forever)!.

…nós íamos sobrevivendo!. Naquele pequeno calendário em papel quadriculado que fizémos, onde todos os dias lá colocávamos uma cruzinha, estava a caminho de se completar!. Com alguma sorte, já não eram tantos assim os dias que nos faltavam para um possível abandono daquele miserável cenário e, o desejado regresso à Europa!. Todos os dias pela manhã, ao colocar uma cruzinha no referido quadrado, considerávamos uma conquista, que não era bem uma conquista, era uma reconquista, sentindo uma satisfação interior, que não cabia dentro de nós!.

(…we were surviving!. In that little squared-paper calendar we made, where every day we put a cross, it was on its way to completion!. With any luck, there were not so many days left for a possible abandonment of that miserable scenario and, the desired return to Europe!. Every morning, when placing a cross in the square, we considered it an achievement, which was not really an achievement, it was a reconquest, feeling an inner satisfaction, which did not fit within us)!.

…já não saíamos do aquartelamento rodeado de arame farpado, que considerávamos um “posto avançado de fronteira”, a não ser por motivos de ordem maior!. O movimento de militares, tinha aumentado na área, quase que triplicado, em alguns dias, eram centenas de militares em constante movimento, com as viaturas e equipamento de combate ocupando todos os espaços!. Era uma barafunda!. 

(…we no longer left the barracks surrounded by barbed wire, which we considered a “frontier outpost”, except for reasons of a higher order!. The movement of soldiers, had increased in the area, almost tripled, in a few days, there were hundreds of soldiers in constant movement, with vehicles and combat equipment occupying all spaces! It was a mess)!.

…com a chegada de novos militares, já ninguém se conhecia!. No dormitório, colocaram mais do dobro das camas!. Naquele momento existiam dois andares de camas, muito chegadas umas às outras, com roupa camuflada, alguma suja e molhada, colocada em cima dos mosquiteiros e em outros locais a secar, daqueles esforçados militares de combate que tinham a sorte de regressar vivos das frequentes operações de patrulha a que eram forçados a fazer!.

(…with the arrival of new soldiers, no one knew each other anymore!. In the dorm, they put more than double the beds! At that time there were two floors of beds, very close together, with camouflage clothing, some dirty and wet, placed on top of mosquito nets and in other places to dry, of those hard-working combat soldiers who were lucky enough to return alive from frequent operations of patrol they were forced to do)!.

…nós, com alguma perícia caminhávamos por um labirinto de camas, quase como vivêssemos dentro de um submarino!. Logo à entrada do dormitório estava sempre uma caixa com uns restos de munições, claro, não auxiliava nada a quem queria passar, mas também ninguém se importava com isso e, sempre que passava por lá um militar dáva-lhe um empurrão com a perna, mas alguém voltava a colocá-la no lugar inicial, porque o militar que dormia na cama ao lado queria o seu espaço!.

(…we, with some skill, walked through a maze of beds, almost like living inside a submarine!. Right at the entrance to the dorm there was always a box with some leftover ammunition, of course, it didn’t help anyone who wanted to pass, but no one cared about that either, and whenever a military man passed by, he gave him a push with his leg, but someone put it back in its original place, because the soldier who slept in the bed beside him wanted his space)!.

…em alguns dias de calor infernal, o cheiro a suor e outras coisas, era insuportável, e alguns vinham dormir ao ar livre, encostados às paredes do dormitório, onde alguns dias por mês, alguém, muitas vezes éramos nós, com um balde feito com aduelas de um barril do vinho, onde se colocava um pouco de criolina e água, e pincelávamos, com uma vassoura feita de ramos de alguns arbustos, em volta do dormitório!. 

(…on some days of infernal heat, the smell of sweat and other things was unbearable, and some came to sleep outdoors, leaning against the dorm walls, where a few days a month, someone, many times it was us, with a bucket made with staves of a barrel of wine, where a little cryoline and water were placed, and we brushed, with a broom made of branches from some bushes, around the bedroom)!.

…naquela área ao fundo do aquartelamento, onde existiam os tais furos de água quente, muito quente, a cheirar a enxofre ou coisa parecida, era um pandemónio!.  As couves e alfaces, que por lá tínhamos plantado, desapareceram, agora no seu lugar, estava cheia de bidons, uns com água, outros vazios e amolgados ao sol, quente, abafado e húmido!. 

(…in that area at the back of the barracks, where there were such hot water holes, very hot, smelling of sulfur or something similar, it was pandemonium!. The cabbage and lettuce, which we had planted there, disappeared, now in their place, it was full of drums, some with water, others empty and crushed in the sun, hot, stuffy and humid)!.

…todo o cenário estava a ficar tão difícil de suportar, que já tínhamos receio de visitar a aldeia junto ao local onde nos encontrávamos, onde sempre fomos bem recebidos, e sempre respeitámos a dignidade e o forte carácter dos naturais, que muito admirávamos!. Alguns até nos tratavam por “irmão”, e sempre seguimos as leis, as ordens e os ensinamentos dos “homens grandes”!.

(…the whole scenario was getting so hard to bear, that we were already afraid to visit the village near the place where we were, where we were always welcomed, and we always respected the dignity and strong character of the natives, who we admired so much!. Some even called us “brother”, and we always followed the laws, orders and teachings of the “big men”)!.

…que, tal como por diversas vezes já mencionámos, com toda a sua sabedoria, e com muitas “chuvas” no corpo, que deviam de ser anos, vivendo numa profunda miséria, apontando com uma espécie de bengalim, com que afugentavam algumas moscas e batiam nos cães, que famintos se aproximavam das “moranças”, que eram as suas casas cobertas de colmo, onde entre outras coisas, pronunciavam num português acrioulado, que nós compreendíamos perfeitamente, e diziam-nos: olh’a qu’la alí… cabaçú ká t’m… and’a pr’a qui… baju’da ale’m… ma’m’a firmi’… depo’s d’… tém mangá di sábi sábi… précisa d’… está altúra d’… conversa gir’o… o irmãu é qui… ficá nu Guiné… cá bai nu Portugal… e quando nos despedíamos, agarravam-nos na mão e diziam, “ca bai”, e davam-nos “mantenhas”, e às vezes até ficavam, t’chora!. Isto são palavras difíceis de traduzir, mas qualquer combatente que por lá passou, sabe um pouco o seu significado!.

(…which, as we have already mentioned several times, with all their wisdom, and with lots of “rain” on the body, which must have been years, living in deep poverty, pointing with a kind of bengalim, with which they chased away some flies and they beat the dogs, who hungrily approached the “moranças”, which were their thatched houses, where, among other things, they pronounced in Creole Portuguese, which we understood perfectly, and said to us: oh’a qu’la alí… cabaçú ká t’m… and’a pr’a qui… baju’da ale’m… ma’m’a firmi’… after d’… there’s manga di sábi sábi… need d’… it’s height d’… talk gir ‘o… his sister is here… he’s naked Guinea… here bai nu Portugal… and when we’d say goodbye, they’d grab us by the hand and say, “ca bai”, and they’d give us “keep it”, and sometimes they even stayed, t ‘cry!. These are difficult words to translate, but any combatant who has been there knows a little bit what they mean)!.

…e nós íamos escrevendo o nosso diário!. As palavras que completavam as frases eram sempre as mesmas, eram o resumo de ataques àquele “posto avançado de fronteira” pois era a partir dali que eram frequentes as emboscadas, os feridos e as mortes, só mudávamos as datas!. Às vezes ficávamos desesperados, quase em pânico e gritávamos: “merda, tirem-nos daqui, estamos a ficar doidos”!.

(…and we were writing our diary!. The words that completed the sentences were always the same, they were the summary of attacks on that “frontier outpost” because it was from there that ambushes, injuries and deaths were frequent, we only changed the dates!. Sometimes we would get desperate, almost panicky and scream: “shit, get us out of here, we’re going crazy”)!.

…hoje, toda e qualquer plataforma que permita navegar pelas histórias daquela maldita guerra, todas são relatos, embora alguns pessoais, que apresentam evidiências verdadeiras da angústia e do mêdo dos veteranos sobreviventes em combate de ambos os lados, porque os guerrilheiros que lutavam pela libertação do seu território, também sofriam a mesma situação que nós, que ali estávamos ao serviço da então nação colonial, que era Portugal do século passado!.

(…today, any platform that allows you to navigate through the stories of that damned war, all are reports, although some are personal, that present true evidence of the anguish and fear of the veterans surviving in combat on both sides, because the guerrillas who were fighting for liberation of its territory, they also suffered the same situation as us, who were there at the service of the then colonial nation, which was Portugal in the last century)!.

…enfim, hoje, embora um veterano de uma idade um pouco avançada, a todo o momento o pensamento caça-nos na vida, e nós, que naquele cenário de uma guerra terrestre de guerrilha, éramos o “Cifra”, um soldado desarmado, onde a disciplina de um campo de batalha não era lá muito eficaz para a nossa sobrevivência e, onde só talvez, os cigarros e algum excesso de álcool, nos dava algum miserável conforto!.

(…in short, today, although a veteran of a little advanced age, at every moment thought hunts us in life, and we, who in that scenario of a land guerrilla war, were the “Cifra”, an unarmed soldier, where the discipline of a battlefield was not very effective for our survival and, where just maybe, cigarettes and some excess of alcohol, gave us some miserable comfort)!.

…e já lá vão mais de 50 anos que vivemos aquele horrível cenário da guerra colonial Portuguesa em África e, nesta já avançada idade, não só históricamente como com a experiência de todos estes anos vividos, o reviver, ou seja, lembrar a angústia e o mêdo de um horrivel cenário de guerra de guerrilha nas selvas, savanas, pântanos, rios ou riachos, como era a situação geográfica da então província da Guiné, a contagem dos mortos e dos feridos de ambos os lados, onde os sobreviventes, que ficaram com doenças e traumas, não só fisica como também moralmente, hoje, toda e qualquer homenagem ou reconhecimento do esforço dispendido obrigatório em servir a bandeira da sua Pátria, não vai servir de nenhuma plataforma que permita melhorar a vida ou a saúde de um qualquer combatente, mas com toda a certeza que até um simples sorriso, vai auxiliar, pois muitos de nós ainda navegam naquelas horríveis experiências por lá vividas!.

(…and it’s been more than 50 years since we lived that horrible scenario of the Portuguese colonial war in Africa and, in this already advanced age, not only historically but with the experience of all these years lived, reliving, that is, remembering the anguish and the fear of a horrible scenario of guerrilla warfare in the jungles, savannas, swamps, rivers or streams, as was the geographical situation of the then province of Guinea, the counting of the dead and wounded on both sides, where the survivors, who remained with diseases and traumas, not only physically but also morally, today, any homage or recognition of the mandatory effort spent in serving the flag of their homeland, will not serve as any platform to improve the life or health of any combatant , but with all certainty that even a simple smile will help, as many of us are still navigating those horrible experiences lived there)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…esta é a vida!. Seja feliz!. (…this is life!. Be happy)!.

…depois de uma certa idade, nós os humanos, somos considerados adultos e, ser adulto tem o seu próprio conjunto de responsabilidades, como por exemplo, encontrar um emprego, constituir uma família, adquirir uma habitação, ajudar no crescimento dessa mesma família, ser responsável em pagar as suas contas, e porque não, talvez coisas simples, como cozinhar, vestir e dar banho aos filhos crianças, enfim, ajudar o companheiro ou companheira nas normais lidas de casa, ou seja, nas diversas responsabilidades para o crescimento de uma família!. 

(…after a certain age, we humans are considered adults, and being an adult has its own set of responsibilities, such as finding a job, starting a family, acquiring a home, helping the growth of that same family, being responsible for paying your bills, and why not, maybe simple things, like cooking, dressing and bathing your children, in short, helping your partner in the normal housework, that is, in the various responsibilities for the growth of a family)!.

…no entanto, nenhum de nós recebeu um manual de instruções para se ser adulto!. Esse conjunto de instruções e directrizes a seguir para dominar toda essa coisa de “adulto”, na maioria das vezes, a alguns previlegiados chegou o exemplo que tiveram ao nascer e crescer no seio de uma família com princípios honestos, que foram aprendendo e seguindo ao longo dos anos!, Outros infelizmente, foram descobrindo todo esse fenómeno de ser “adulto”, ao longo do caminho da vida, tropeçando aqui, levantando-se acolá!.

(…however, none of us received an instruction manual for becoming an adult!. This set of instructions and guidelines to follow to master the whole “adult” thing, most of the time, some privileged ones came with the example they had when they were born and raised in a family with honest principles, which they learned and followed as they progressed. Over the years!, Others, unfortunately, have been discovering this whole phenomenon of being “adult”, along the path of life, stumbling here, getting up there)!.

…a nossa idade já um pouco avançada, ensinou-nos algumas coisas que nos mostraram ser muito importantes no que é a verdadeira razão de ser “adulto” e como lidar com esse fenómeno!. Por exemplo, acreditamos que tudo começa na escola primária, ou seja, primeiros contactos com outras pessoas, como o professor ou o companheiro ou companheira de classe, que se forem amigos e com bons sentimentos, também seremos amigos e com bons sentimentos, e por outro lado, se forem agressivos e nos ofenderem por uma qualquer simples razão, também nós (talvez querendo defender-nos), seremos agressivos e conflituosos, talvez pelo resto da vida!.

(…our age, already a little advanced, taught us some things that showed us to be very important in what is the real reason for being “adult” and how to deal with this phenomenon!. For example, we believe that everything starts in primary school, that is, first contacts with other people, such as the teacher or the partner or classmate, that if they are friends and with good feelings, we will also be friends and with good feelings, and for on the other hand, if they are aggressive and offend us for any simple reason, we too (perhaps wanting to defend ourselves) will be aggressive and conflicted, perhaps for the rest of our lives)!

…a seguir, o contacto com amigos na casa dos 20 aos 30 anos, quando já estamos focados numa carreira de família, quando começamos a perder e a abandonar algumas amizades, selecionando as mais valiosas que serão possívelmente as companheiras ou companheiros para o resto da vida, que com o tempo, se não soubermos conservá-las, podem-se tornar uma fonte significativa de arrependimento no nosso futuro!. Portanto, nesta época da nossa vida, é muito importante fazer um esforço para contornar alguns obstáculos e manter as verdadeiras amizades, enquanto já se é “adulto”!.

(…then, contact with friends in their 20s to 30s, when we are already focused on a family career, when we start to lose and abandon some friendships, selecting the most valuable ones that will possibly be companions for the rest of the life, that in time, if we do not know how to preserve them, they can become a significant source of regret in our future! Therefore, at this time of our life, it is very important to make an effort to get around some obstacles and maintain true friendships while you are already an “adult”)!.

…e, lembrando que nesta época da nossa vida, normalmente somos  bastante despreocupados, todavia, ao entrar no mercado de trabalho ou ao contrair matrimónio, claro, tudo isto já como “adulto”, a ansiedade orginada por alguma responsabilidade começa a manifestar-se e, demora alguns anos, teremos que aprender maneiras de controlar toda essa ansiedade, vivendo e fazendo crescer os filhos, se os houver, num cenário pacífico, ensinando-lhes as boas maneiras de sobreviver, a selecionar os verdadeiros amigos, a criar amizades, assim como comportamentos com base na honestidade!. 

(…and, remembering that at this time in our life, we are usually quite carefree, however, when entering the labor market or contracting marriage, of course, all this already as an “adult”, the anxiety caused by some responsibility starts to manifest itself and, it takes a few years, we will have to learn ways to control all this anxiety, living and raising children, if any, in a peaceful setting, teaching them good ways to survive, selecting true friends, creating friendships, as well as behaviors based on honesty)!.

…quando se constitue uma família, portanto quando já se é “adulto”, é muito importante saber gerenciar o nosso próprio dinheiro, controlar as despesas, pagar contas e impostos, pois isto são as tais “coisas” da vida “adulta”!. No entanto, às vezes as finanças são bastante assustadoras, pelo menos para um normal casal com filhos, mas isso é algo com que muitas vezes vamos ter dificuldades, no entanto, existem algumas regras, como por exemplo a principal que é, “não gastar mais do que aquilo que se ganha”!.

(…when you start a family, so when you are already an “adult”, it is very important to know how to manage our own money, control expenses, pay bills and taxes, as these are such “things” of “adult” life!. However, sometimes finances are quite scary, at least for a normal couple with children, but this is something that we will often struggle with, however, there are some rules, for example the main one which is, “don’t spend more than what is earned”)!.

…no mundo moderno, entre outras, a facilidade com que se obtêm os cartões de crédito costumam ter uma má reputação e origem a muitos desentendimentos em casais que antes se relacionavam bem, no entanto, quando usados ​​com sabedoria, podem ser um grande trunfo, porque no sistema de vida que hoje existe, usar um cartão de crédito cria um histórico de crédito no nosso nome, o que é muito útil e, pagando as contas do cartão de crédito em dia, ajuda a aumentar a nossa pontuação de crédito, mostrando que somos uma pessoa responsável e confiável, no entanto “devemos gastar apenas o dinheiro que possuimos”!.

(…in the modern world, among others, the ease with which credit cards are obtained tends to have a bad reputation and give rise to many disagreements in couples who used to get along well, however, when used wisely, they can be a big deal. trump card, because in the system of life that exists today, using a credit card creates a credit history in our name, which is very useful and, paying credit card bills on time, helps to increase our credit score. , showing that we are a responsible and trustworthy person, however “we should only spend the money we have”)!.

…nem todos os relacionamentos começam com uma paixão incrível!. Como tal, num relacionamento forte, é muito mais importante que possam rir juntos e confiar um no outro, porque cada pessoa tem os seus próprios interesses e hobbies!. Não podemos pensar que porque gostamos de futebol a nossa namorada em potencial também gosta!. Teremos que conversar, para que reunindo conclusões, ficar-mos felizes juntos!.

(…not all relationships start with incredible passion! As such, in a strong relationship, it is much more important that they can laugh together and trust each other, because each person has their own interests and hobbies! We can’t think that because we like football, our potential girlfriend does too! We will have to talk, so that, gathering conclusions, we are happy together)!.

…e mais, pessoas que nunca brigam geralmente simplesmente não se importam, e claro, casais sem problemas geralmente estão a caminho de uma separação, contudo, não estamos dizendo que a fraca linguagem ou o abuso estão bem, mas pequenas brigas não nos devem preocupar, porque são normais e ultrapassáveis, acontecendo com todos e são um foco para aprender a se entender melhor!.

(…and what’s more, people who never fight usually just don’t care, and of course couples with no problems are usually on their way to a breakup, however, we’re not saying weak language or abuse is okay, but little fights shouldn’t worry us , because they are normal and surpassable, happening to everyone and they are a focus for learning to understand oneself better)!.

…por exemplo!. Mais cedo ou mais tarde, toda a pessoa quer passar algum tempo sózinha e, os parceiros devem entender isso e calmamente dar espaço pessoal um ao outro, sendo necessário algum descanso dos deveres familiares!. Isso não significa que o relacionamento tende a acabar, pelo contrário, ajuda a preservar sentimentos ou até mesmo a dar uma nova vida ao relacionamento!. Muitas vezes vimos, e queremos aprender as características de um relacionamento “perfeito” em filmes ou anúncios, todavia, têm pouco a ver com a realidade!. Lembre-se sempre disso ao perceber as pequenas falhas do seu parceiro!.

(…for example!. Sooner or later, everyone wants to spend some time alone and the partners must understand this and calmly give each other personal space, some respite from family duties being necessary! This does not mean that the relationship tends to end, on the contrary, it helps to preserve feelings or even give new life to the relationship! We often see, and want to learn the characteristics of a “perfect” relationship in movies or advertisements, however, they have little to do with reality! Always remember this when noticing your partner’s small flaws)!.

…resumindo, às vezes, toda esta coisa de “adulto” pode ser bastante desafiadora, no entanto, muitas vezes ao sentir-nos sobrecarregados com as pressões de ser um “adulto responsável”, estamos todos aprendendo e melhorando o longo do caminho da vida!. Portanto, não vamos colocar tanta pressão sobre nós mesmos para ser um “adulto perfeito”!. Todos nós cometemos erros e aprendemos com eles!. 

(…in short, sometimes this whole “adult” thing can be quite challenging, however often when we feel overwhelmed by the pressures of being a “responsible adult”, we are all learning and improving along the way of life!. So let’s not put so much pressure on ourselves to be a “perfect adult”! We all make mistakes and we learn from them)!.

…depois, à medida que vamos envelhecendo, vamos deixando ir os nossos descendentes viverem a sua vida, começando nós a reaprender o valor de boas amizades, tentando enriquecer a nossa vida na maneira do possível, arranjando tempo para algumas actividades divertidas, passando o tempo a escrever, a fotografar, a fazer caminhadas, a viajar quando é possível, e claro, cuidando da saúde, porque na verdade, somos o que comemos e, por isso é importante ter uma dieta saudável e equilibrada, fazendo escolhas alimentares saudáveis, ​​nunca esquecendo a medicina de manutenção!.

(…then, as we get older, we let our descendants live their lives, starting to relearn the value of good friendships, trying to enrich our lives in whatever way possible, making time for some fun activities, passing the time writing, photographing, hiking, traveling when possible, and of course, taking care of our health, because in fact, we are what we eat and, therefore, it is important to have a healthy and balanced diet, making healthy food choices, ​Never forgetting maintenance medicine)!.

…e por cá vamos continuando a viver, esperando que algumas destas “coisas” estratégicas que aprendemos ao longo dos anos ajudem alguém na sua própria jornada de “vida adulta”, envelhecendo com alguma alegria!. Todavia, nós, sempre querendo ser um exemplo de velhice, na esperança de poder usar a nossa casa que é o nosso refúgio, que possui todas as relíquias, algumas extravagantes, que trouxémos de todo o mundo por onde andámos!. E, quem não gostaria de ficar e findar os seus dias na casa que criou e considerou aconchegante e única para sempre?.

(…and over here we go on living, hoping that some of these strategic “things” we’ve learned over the years will help someone in their own journey of “adult life”, aging with some joy!. However, we, always wanting to be an example of old age, hoping to be able to use our house which is our refuge, which has all the relics, some extravagant, that we have brought from all over the world where we have been! And who wouldn’t want to stay and end their days in the house they created and considered cozy and unique forever)?.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…a média das coisas!. (…the mean of things)!.

…são o peso dos anos que por cá vamos vivendo, que por vezes não nos dão o descanso que é devido e, nos fazem estar acordados a certas horas quando na verdade devíamos estar dormindo, tal como um comum e normal mortal, e claro, nos faz pensar nesta era a que chamam moderna, onde existem umas sondagens da opinião pública, que na nossa opinião não servem para nada a não ser confundir ainda mais as normais pessoas!. 

(…are the weight of the years we’ve been living around here, which sometimes don’t give us the rest we deserve and make us be awake at certain times when we should actually be sleeping, just like a common and normal mortal, and of course, it makes us think of this era they call modern, where there are some polls of public opinion, which in our opinion are of no use but to confuse even more normal people)!.

…porquê?. Porque, por exemplo, se uma família de 4 pessoas com posses acima do normal, ou seja rica financeiramente, comer um jantar onde entra lagosta e bife de búfalo, regado com champanhe francês, no valor de 550 dolares e, uma família de 4 pessoas pobre, vivendo do ordenado mínimo, comer um jantar onde entre simplesmente sopa e uns carapaus fritos em molho de escabeche, regados com vinho tinto da casa, no valor de 50 dolares, somando os dois jantares, o preço médio destas duas famílias foi de 300 dolares, que são 550 + 50 = 600, dividindo por dois nos dá a quantia de 300!.

(…because?. Because, for example, if a family of 4 people with more than normal means, or is financially wealthy, eats a lobster and buffalo steak dinner, washed down with French champagne, valued at 550 dollars, and a family of 4 people poor, living on the minimum wage, eating a dinner where between simply soup and some fried mackerel in marinated sauce, washed down with red house wine, in the amount of 50 dollars, adding the two dinners, the average price of these two families was 300 dollars, which are 550 + 50 = 600, dividing by two gives us the amount of 300)!.

…resultado!. A família rica financeiramente banqueteou-se com ingredientes raros e dispendiosos, e a família pobre com ingredientes normais e modestos, no entanto a média destas duas famílias foi de 300 dolares, valor que a família pobre nunca chega a auferir num mês de trabalho, se por acaso tiver esse mesmo trabalho!. 

(…result!. The rich family financially feasted on rare and expensive ingredients, and the poor family on normal and modest ingredients, however the average of these two families was 300 dollars, a value that the poor family never earns in a month of work, if happen to have this same job)!.

…ora aqui está a prova dessas sondagens e desses gráficos que muitos meios de comunicação nos apresentam, tentando iludir a quem?. Sabe-se lá, talvez as pessoas com menos informação, mantendo assim as auciências e ludribiando a verdade da vida, ou seja do dia a dia dos menos afortunados!.

(…now here is the proof of these polls and these graphs that many media present us, trying to deceive who?. Who knows, maybe people with less information, thus maintaining auficiencies and cheating the truth of life, that is, the daily lives of the less fortunate)!.

…mas ainda existe mais!. Como por exemplo, de acordo com essas sondagens, que normalmente surgem na véspera de uma qualquer eleição ou depois de uma manifestação de qualquer coisa, onde explicam, de acordo com as ideias das pessoas e da região que para o caso selecionaram, que quem vai vencer é este ou aquele grupo, que claro, é o grupo que lhes dá mais garantias de eles mesmo continuarem a sobreviver, mesmo sabendo que não dizem a verdade dos factos!.

(…but there’s still more!. For example, according to these surveys, which usually appear on the eve of any election or after a demonstration of anything, where they explain, according to the ideas of the people and the region they selected for the case, that who will winning is this or that group, which, of course, is the group that gives them more guarantees that they will continue to survive, even though they don’t tell the truth of the facts)!.

…enfim, é o mundo moderno a que difícilmente nos vamos habituando e, nós nunca o conseguimos fazer mas, como já por diversas vezes mencionámos em anteriores escritos, há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares, é o tempo da travessia e, se não ousarmos fazê-lo, teremos ficado para sempre à margem de nós mesmos, porque infelizmente hoje, entre outros motivos, não importam os modos, o que importa são os fins!. 

(…after all, it is the modern world that we are hard to get used to and, we never manage to do it, but, as we have mentioned several times in previous writings, there is a time when it is necessary to abandon the used clothes, which already have the shape of our body, and forgetting our paths, which always lead us to the same places, is the time for the crossing and, if we do not dare to do it, we will have remained, forever, on the sidelines of ourselves, because unfortunately today, among other reasons , the modes do not matter, what matters are the endings)!.

…porque infelizmente o ser humano, querendo atingir os seus obectivos, complica, complica, complica, alterando os factos se isso for da sua conveniência e sobretudo com os seus excessos, vai aproximando a destruição de quase tudo, tornando o planeta onde vivemos em dois mundos paralelos, um, que infelizmente será o da estupidez, da barbaridade, da ganância, do consumismo e da decadência!.

(…because, unfortunately, human beings, wanting to achieve their goals, complicates, complicates, complicates, changing the facts if it suits their convenience and especially with their excesses, approaching the destruction of almost everything, making the planet we live in two parallel worlds, one, which unfortunately will be that of stupidity, barbarity, greed, consumerism and decadence)!.

…e, aquele outro, que tenta despontar com pessoas anónimas e de bons sentimentos que ajudam, respeitando sobretudo a natureza, sendo gentis no tratamento, praticando o bem estar dos outros, no entanto, infelizmente esses são ignorados, em contrário de alguns meios de comunicaçõo social, que inaltecem constantemente o clamor e o brilhantismo de alguns cérebros que comandam os nossos destinos, nos quais nós infelizmente quase não acreditamos!.

(…and that other one, who tries to emerge with anonymous people and with good feelings that help, respecting especially nature, being kind in the treatment, practicing the well-being of others, however, unfortunately these are ignored, contrary to some means of social communication, which constantly unalters the clamor and brilliance of some brains that command our destinies, in which we unfortunately almost do not believe!.

…e claro, tudo isto nada tem a ver com algumas coincidências, são simplesmente alguns factos reais, que infelizmente vamos vendo por aí)!.

(…and of course, all this has nothing to do with some coincidences, they are simply some real facts, that unfortunately we are seeing around)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…mais um ano!. (…one more year)!.

…tanto a nossa esposa Isaura, companheira de vida por mais de cinco décadas, tal como nós, fazemos anos em Setembro e, algumas celebridades também fazem anos neste mês, com a diferença de que esssas celebridades, tanto no mundo das artes, nos desportos ou até no cinema podem também fazer os seus anos, até no mesmo dia, mas quem faz anos em Setembro somos nós!. Uf…, tanta modéstia!!!.

…both our wife Isaura, a life partner for more than five decades, just like us, celebrate their birthdays in September and some celebrities also have their birthdays this month, with the difference that these celebrities, both in the world of arts, in sports or even in the cinema they can also celebrate their birthday, even on the same day, but we are the ones who have their birthdays in September!. Uf… so much modesty!!!.

…estamos em Setembro e quando crianças, os nossos progrenitores seguindo uma tradição de há séculos, festejavam os nossos anos e nós ainda crianças, tínhamos a felicidade de não perceber coisa nenhuma e de não ter as esperanças que os outros tinham por nós, porque na idade de ter esperanças, infelizmente já não sabíamos ter esperanças, tudo talvez por causa de ainda quase crianças, ser-mos forçados a ir combater na Guerra Colonial em África!.

(…it’s September and as children, our progrenitors following a tradition of centuries, celebrated our birthdays and we, as children, were fortunate not to understand anything and not have the hopes that others had for us, because in age to have hope, unfortunately we no longer knew how to hope, all perhaps because we were still almost children, being forced to go and fight in the Colonial War in Africa)!.

…olhando para trás, fomos um jovem sem idade e, ainda hoje nos lembramos de quando a nossa querida e saudosa avó Agar, que sempre trazia nos pés umas chinelas que tinham sido sapatos no Brazil, sentada no tronco de uma árvore que por lá existia na nossa aldeia quase mediaval do Vale do Ninho D’Águia, (diziam que ela e esse tronco da árvore juntos, deviam de ter há volta de duas centenas de anos), agarrada a um pau, a cabeça um pouco caída para a frente, parecendo que estava dormindo, mas despertava com as nossas palavras de saudação, dizendo-nos com algum carinho “fui eu que assisti a tua mãe quando nasceste, era uma manhã de Setembro, já quase no final das colheitas, andáva-mos na vindima das uvas”!.

(…looking back, we were an ageless young man and, even today, we remember when our dear and dear grandmother Agar, who always wore slippers that had been shoes in Brazil, sat on the trunk of a tree that existed there. in our almost mediaval village in Vale do Ninho D’Águia, (they said that she and that tree trunk together must have been around two hundred years ago), clutching a stick, her head hanging a little forward, looking like he was sleeping, but he woke up with our words of greeting, telling us with some affection “I was the one who watched your mother when you were born, it was a September morning, almost at the end of the harvests, we were in the harvest grape”)!.

…sim, a nossa mãe Ilda que era uma mãe que fazia um dia nublado num dia de sol!. Quando estávamos doentes, beijava o lugar onde nos doia, o seu sorriso dizia-me que íamos ficar bem e, sempre lá estava para nós de dia ou de noite, a sua voz suave tiráva-nos o medo, a sua mão apagava as nossas lágrimas, o seu carinho tão puro e honesto manteve-nos durante toda a nossa vida num homem seguro, ela era o anjo da guarda que nos guiou e amparou nos nossos primeiros passos, os seus olhos diziam-nos quanto se importava connosco e davam-nos alívio quanto nos sentíamos sózinhos ou assustados!.

(…yes, our mother Ilda who was a mother who made a cloudy day on a sunny day!. When we were sick, he kissed the place where it hurts, his smile told me we would be fine and, he was always there for us day or night, his soft voice took our fear away, his hand erased ours. tears, her love so pure and honest kept us all our lives in a safe man, she was the guardian angel who guided and supported us in our first steps, her eyes told us how much she cared for us and relief when we felt alone or scared)!.

…já muitos anos depois, ambas em diferentes tempos e já bastante frágeis, quando também precisavam que lhes dessem o comer na boca, e um simples lamento era um sinal de que precisavam de alguma coisa, tal qual como nós fazíamos quando chorávamos, (e elas conheciam o nosso choro), e para andar também precisavam de ir agarradas a alguma coisa, tal como nós fazíamos que andávamos quase sempre agarrados às suas saias, eram uma cópia do que nós fomos quando crianças e, compreendíamos com amor tudo isto, só não compreendemos e sofremos, foi quando elas, mudaram de lugar, indo para junto de Deus, se é que ele existe e… ABANDONARAM-NOS!.

(…many years later, both at different times and already quite fragile, when they also needed to be fed in their mouths, and a simple lament was a sign that they needed something, just like we did when we cried, (and they knew our crying), and to walk they also needed to go clinging to something, just as we used to do that we walked almost always clinging to their skirts, they were a copy of what we were as children and, we understood with love all this, just we don’t understand and we suffer, that’s when they changed places, going to God, if he even exists and… ABANDONED US)!.

…eram outros tempos!. Hoje, já nesta idade um pouco avançada, entendemos que devemos acarinhar os idosos, não os devemos provocar ou dar maus tratos, normalmente, eles, não querendo nenhum drama, não querem lutar contra ninguém, mas  provocados, serão forçados a lutar de forma não justa!. Não vão desistir, e pelo pouco tempo que lhes resta, não haverá armas que não irão usar, como tal, é melhor deixá-los sózinhos com o seu café, a sua bebida ou os seus pensamentos de quando eram jovens!.

(…that were other times!. Today, at this somewhat advanced age, we understand that we must nurture the elderly, we must not provoke or abuse them, normally they, not wanting any drama, do not want to fight anyone, but provoked, will be forced to fight in a non fair!. They won’t give up, and for the little time they have left, there won’t be any weapons they won’t use, so it’s best to leave them alone with their coffee, their drink or their thoughts from when they were young)!.

…pelo menos nas madrugadas, em que já estamos vigilantes, as nossas recordações de juventude surgem na nossa mente, lembrando-nos os princípios de família, as palavras sábias dos nossos pais e avós, onde nos explicavam que o mal, tal como o bem que podíamos proporcionar a alguém, mais tarde ou mais cedo cairia em nós, quase sempre em dobro!. 

(…at least in the early mornings, when we are already vigilant, our memories of youth arise in our minds, reminding us of the principles of family, the wise words of our parents and grandparents, where they explained to us that evil, such as the good we could do to someone, sooner or later would fall on us, almost always double)!.

…e, além de outras, hoje as multidões vivem no silêncio da solidão, embora falando constantemente com esses telefones portáteis, com imagens e tudo, em contacto com este mundo moderno, talvez desalentadas pela nova realidade que até aqui era desconhecida, da maldita pandemia Covid-19, com as ruas despidas de gente e dos cães de caudas a abanar!. Este é um pesadelo que a todos envolve pela revolta zangada de quem nos sustenta, que é a NATUREZA, onde devia de ser um planeta magnífico ou uma terra com uma beleza eterna!.

(…and, among others, today the crowds live in the silence of solitude, while talking constantly with these portable phones, with images and everything, in contact with this modern world, perhaps discouraged by the new reality that was hitherto unknown, of the damned pandemic Covid-19, with the streets stripped of people and dogs with wagging tails!. This is a nightmare that surrounds us all by the angry revolt of those who support us, which is NATURE, where it should be a magnificent planet or a land with eternal beauty)!.

…e, com os campos verdes sem nunca arderem, cultivavando o milho, o centeio, as couves, as nabiças, as batatas, criavando galinhas, um porco, uma cabra ou uma ovelha, que lhes davam o sustento para criar e educar oito, nove, às vezes dez filhos!. Dizia-se que, “O Pão era amassado com o suor do trabalho”!.

(…and, with the green fields never burning, growing maize, rye, cabbage, turnip greens, potatoes, raising chickens, a pig, a goat or a sheep, which gave them the sustenance to raise and educate eight, nine, sometimes ten children!. It was said that, “The bread was crushed with the sweat of work”)!.

…não havia televisão!. As notícias eram conhecidas por alguma família mais abastada que tinha um rádio de pilhas e as transmitia aos vizinhos, falando, conversando, comendo um naco de pão de milho e bebendo um copo de vinho!. No entanto havia o sentido de família, o respeito, a segurança, o trabalho, o sorriso expontâneo e verdadeiro, a simplicidade e a solidariedade!. Também havia algumas florestas de carvalhos, que tal como nós, resistiam à neve, ao frio e ao calor, florescendo sempre e, a areia nas praias estava limpa!. 

(…there was no television!. The news was known to some wealthy family who had a battery-powered radio and broadcast it to neighbors, talking, chatting, eating a loaf of cornbread and drinking a glass of wine! However, there was a sense of family, respect, security, work, a spontaneous and true smile, simplicity and solidarity!. There were also some oak forests, which like us, withstood snow, cold and heat, always blooming and the sand on the beaches was clean)!.

…sim, fazemos anos, muitos felizmente, no entanto, nem que seja por momentos, temos que pensar quando vemos essa outra gravíssima ameaça global que temos neste momento entre mãos, que é a alteração climática e, que é muito menos percetível a olho nu, tanto nos efeitos imediatos como no seu nexo de causalidade, basta ver os horrorosos rostos de pessoas desesperadas, espalhadas por quase todos os cantos do mundo, não só junto de rios ou terras planas, chorando de amargura ao ver o que foram as suas habitações ou os seus haveres agora destruídos por tempestades, às vezes verem os entes queridos serem levados por enchurradas, e que a comunicação social nos mostra quase todos os dias!.

(…yes, it’s been years, very fortunately, however, even if only for a moment, we have to think when we see this other very serious global threat that we have on our hands right now, which is climate change, and which is much less noticeable to the naked eye , both in the immediate effects and in its causal link, just look at the horrific faces of desperate people, spread over almost every corner of the world, not just along rivers or flat lands, crying with bitterness when seeing what their houses were. or their possessions now destroyed by storms, sometimes seeing their loved ones taken away by storms, and that the media shows us almost every day)!.

…sejam felizes em toda a vossa vida, não só porque neste mês de Setembro fazemos anos!.

(…be happy throughout your life, not just because this September is our birthday)!.

 Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…para o norte pelo nordeste!. (…to north by north east)!.

…os tornados ainda andam por aí, pela manhã o cheiro a terra molhada de infância continua, o céu movimenta-se e nós cá em baixo levamos por tabela!. Já estamos em Setembro, o verão de todos os excessos está a chegar ao fim e, às vezes alguns verões para nós são malditos, que mais não seja, pela simples razão que vêm logo a seguir à primavera, portanto vêm substituir a nossa época preferida!. 

(…the tornadoes are still around, in the morning the smell of wet earth from childhood continues, the sky moves and we take it down here!. It’s already September, the summer of all excesses is coming to an end and sometimes some summers for us are damned, if nothing else, for the simple reason that they come right after spring, so they come to replace our favorite season)!.

…e nós, andando por aqui à volta do lugar onde vivemos, às vezes sofrendo a angústia que este tempo de pandemia origina, com frequentes contágios e mortes, onde a sustentabilidade da mente humana, em nome da economia e da exploração mental das massas, querem fazer esquecer!. 

(…and us, walking around here around the place where we live, sometimes suffering the anguish that this time of pandemic causes, with frequent contagions and deaths, where the sustainability of the human mind, in the name of economy and mental exploitation of the masses, want to make you forget)!.

…no entanto, sabemos que é a VIDA e hoje…, qualquer pessoa é feliz em qualquer lugar, infelizmente…, desde que não vá a esse lugar e, contrariando um pouco este ditado, todo este razoado de palavras serve para dizer que, depois de mais de um ano em que não “saímos para norte pelo nordeste”, o fizémos, porque já parecia que tínhamos raízes em vez de pernas!. 

(…however, we know it’s LIFE and today…, anyone is happy anywhere, unfortunately…, as long as they don’t go to that place and, contrary to this saying a little, all this reasoning of words serves to say that after more than a year in which we didn’t “go north through the northeast”, we did it, because it already seemed that we had roots instead of legs)!.

…e claro, sempre tivémos o desejo de ver lugares onde nunca estivémos e estar com pessoas que nunca conhecemos, porque o mundo é um livro e  aqueles que não tiveram a oportunidade de viajar, infelizmente apenas  leram a primeira página, e claro, nós nesta idade já um pouco avançada, não viajamos para escapar da vida, mas para que o que resta dessa vida, não nos escape!.

(…and of course, we’ve always had the desire to see places we’ve never been and be with people we’ve never met, because the world is a book and those who didn’t have the opportunity to travel unfortunately only read the first page, and of course we in this a little advanced in age, we do not travel to escape life, but so that what remains of this life does not escape us)!.

…seguindo o princípio de que uma jornada de algumas milhas sempre começa com um único passo, uns viajantes como nós, nunca temos planos fixos e não temos nunca a intenção de chegar, no entanto, quando o local for agradável e as pessoas simpáticas, chegámos!. Tal como nos aconteceu nesta rota para norte, parando por alguns dias na cidade de Savannah, no estado da Geórgia!.

(…following the principle that a journey of a few miles always starts with a single step, travelers like us never have fixed plans and never intend to arrive, however, when the location is pleasant and the people friendly, we have arrived !. As happened to us on this route north, stopping for a few days in the city of Savannah, in the state of Georgia)!.

…Savannah, é um lugar histórico e a cidade mais antiga do estado da Geórgia, fundada no ano de 1733 ao lado do rio Savannah, tornando-se na sua capital colonial, quando a Geórgia ainda era uma província britânica, sendo anos depois uma cidade portuária estratégica na Revolução Americana e durante a Guerra Civil Americana, sendo hoje um centro industrial e um importante porto marítimo no Atlântico!. 

(…Savannah, is a historic place and the oldest city in the state of Georgia, founded in the year 1733 beside the Savannah River, becoming its colonial capital, when Georgia was still a British province, being a city years later. strategic port in the American Revolution and during the American Civil War, being today an industrial center and an important seaport on the Atlantic)!.

…andamos por lá!. Hoje, Savannah atrai milhões de visitantes, na qual nos incluímos, caminhando nas suas ruas de paralelepípedos ou percorrendo o seu distrito histórico vitoriano com mais de duas dezenas de praças semelhantes a parques, onde se explica um pouco do que foi a sua história, onde de algum modo sobressai um tal general James Edward Oglethorpe, um filantropo e representante do rei George II nas colônias americanas, que foi enviado para criar uma barreira ao sul do rio Savannah, com a intenção de proteger as Carolinas, da então Flórida espanhola e da Louisiana francesa!.

(…we walked there!. Today, Savannah attracts millions of visitors, including ourselves, walking its cobblestone streets or walking through its Victorian historic district with more than two dozen park-like squares, where it explains a little of its history, where Somehow one General James Edward Oglethorpe stands out, a philanthropist and representative of King George II in the American colonies, who was sent to create a barrier south of the Savannah River, with the intention of protecting the Carolinas, then Spanish Florida and the French Louisiana)!.

…nós, um pouco viajantes do mundo, acreditamos que a cidade de Savannah, ainda é um refúgio encantador do sul, onde admiramos uma arquitetura de uma época, histórias de fantasmas que estão sob um véu de musgo espanhol que se desprende dos carvalhos seculares, onde se pode apreciar uma comida crioula, que vem do rio e do litoral, com frango frito estilo do sul, camarão e grãos de Savannah, verduras de nabo, caçarola de abóbora, macarrão com queijo, batata doce, frutas ou pãezinhos quentes!.

(…we, a bit of world travelers, believe that the city of Savannah is still an enchanting southern retreat, where we admire architecture from a time, ghost stories that are under a veil of Spanish moss that rises from centuries-old oak trees, where you can enjoy Creole food, which comes from the river and the coast, with southern style fried chicken, shrimp and savannah beans, turnip greens, pumpkin casserole, macaroni and cheese, sweet potatoes, fruits or hot rolls)!.

…numa primeira viajem pelo distrito histórico num daqueles “Troley’s”, com um guia e motorista cheio de humor e história, num percurso que inclui algumas paragens, explicou-nos a história da cidade com alguns actores fantasiados que entravam em cena e saiam, como por exemplo o Forrest Gump ou a Florence Martus, também conhecida como “a garota que acena”, que acenava a todos os navios que entravam e saíam no porto de Savannah, entre os anos de 1887 e 1931, passando ao longo da rota por locais históricos como a City Market, Reynolds Square, River Street ou a Franklin Square!. Ao outro dia, fizemos caminhando o nosso próprio roteiro, explorando as áreas que entendemos mais interessantes, jantando na River Street, claro, apreciando comida crioula da cidade de Savannah!.

(…on a first trip through the historic district in one of those “Troley’s”, with a guide and driver full of humor and history, on a route that includes some stops, he explained the city’s history with some costumed actors who entered the scene and left, as for example the Forrest Gump or Florence Martus, also known as “the girl who waves”, which waved to all the ships that entered and left the port of Savannah, between the years 1887 and 1931, passing along the route through locales Historic sites such as City Market, Reynolds Square, River Street or Franklin Square!. The other day, we walked our own itinerary, exploring the areas that we found most interesting, having dinner on River Street, of course, enjoying Creole food from the city of Savannah)!.

…fizémos um pequeno cruzeiro pelo rio num barco fluvial tradicional, onde sobressaiam as cores vermelho, branco e azul, representando aqueles palácios flutuantes que transportavam os visitantes numa época em que a elegância e o relaxamento eram esperados naquelas maravilhosas viagens pelo rio, fazendo-nos descobrir a alma encantadora de Savannah, com vistas panorâmicas, pátios ao ar livre com vários bancos corridos que se alinhavam no convés superior para vistas incríveis da cidade, do porto marítimo e de alguns barcos que entravam ou saíam…, tudo debaixo de muito sol.

(…we took a small river cruise on a traditional river boat, where the colors red, white and blue stand out, representing those floating palaces that transported visitors to a time when elegance and relaxation were expected on those wonderful river trips, making us discover the enchanting soul of Savannah with panoramic views, outdoor patios with multiple bench benches that lined the upper deck for incredible views of the city, seaport and a few boats coming in and out…, all in the sun)!.

…passámos muito do nosso tempo na River Street!. Porquê?. Sobretudo pelas suas atracções, como por exemplo o Monumento Afro-Americano, o Monumento da Segunda Guerra Mundial ou seguindo a rota da Waving Girl Statue e o Olympic Cauldron, que ficam ambos localizados na extremidade leste da River Street, porque passeando pelo Riverwalk, não é apenas agradável, é verdadeiramente sereno e, caminhando ao longo do rio Savannah, podemos parar para comer um lanche ou beber uma  cerveja original da Geórgia!.

(…we spent a lot of our time on River Street!. Why?. Mainly for its attractions, such as the African American Monument, the World War II Monument or following the route of the Waving Girl Statue and the Olympic Cauldron, which are both located at the east end of River Street, because strolling along the Riverwalk doesn’t it’s just nice, it’s truly serene and, walking along the Savannah River, we can stop for a snack or drink an original Georgia beer)!.

…toda a histórica da River Street está situada ao longo do rio Savannah, onde a então colónia da Geórgia, por volta dos anos 1700, era o principal local para mercadorias que chegavam à cidade e, em meados dos anos 1800, Savannah era o principal exportador de algodão para o mundo!. As coisas mais extraordinárias aconteceram quando a terra encontra a água e “Savannah’s Waterfront” não foi exceção e, esta famosa rua de paralelepípedos tinha e continua a ter algo para todos!.

(…all of historic River Street is situated along the Savannah River, where the then colony of Georgia in the 1700s was the main location for goods arriving in the city and, by the mid-1800s, Savannah was the main cotton exporter to the world!. The most extraordinary things happened when land meets water and “Savannah’s Waterfront” was no exception and this famous cobblestone street had and still has something for everyone)!.

…caminhando por aqui, a qualquer momento, podemos ser surpreendidos com música ao vivo, assistir a um belo pôr do sol sobre o rio Savannah ou pelos cheiros adocicados de doces recém-feitos!. A atmosfera em River Street é incomparável em qualquer outro lugar e a variedade de coisas para fazer são infinitas, como por exemplo visitar o River Street Market Place, que oferece uma experiência de compras única num mercado ao ar livre!.

(…walking around here, at any time, we can be surprised by live music, watch a beautiful sunset over the Savannah River or the sweet smells of freshly baked sweets!. The atmosphere on River Street is unmatched anywhere else and the variety of things to do is endless, such as visiting River Street Market Place, which offers a unique shopping experience at an open-air market)!.

…no último dia, antes do regresso à Florida, visitámos a Ilha de Tybee, onde está localizado o Forte Pulaski, que durante a guerra civil Americana o Exército da União testou com sucesso canhões de combate, tornando assim absoletas as antigas fortificações de tijolos!. Também nesta ilha, visitámos a praia do sul, o Forte Screven, que possui baterias de armas em concreto do século XIX e a estação e Museu de Tybee Island Light, que é um farol do século XVIII, ainda em funcionamento, reconstruído muitas vezes, onde subimos os seus 178 degraus para chegar ao seu topo!.

(…on the last day, before returning to Florida, we visited Tybee Island, where Fort Pulaski is located, which during the American Civil War the Union Army successfully tested combat cannons, thus making the old brick fortifications absolete! . Also on this island, we visited the southern beach, Fort Screven, which has 19th century concrete gun batteries and the Tybee Island Light Station and Museum, which is an 18th century lighthouse, still in operation, rebuilt many times, where we climb its 178 steps to reach its top)!.

…nós, gostando e respeitando o contacto com a natureza ficámos localizados num parque de campismo a pouco mais de cinco minutos do centro da cidade, usando a nossa “White Fox (caravana), onde havia cavalos, ovelhas e cabras, até um pequeno rio que terminava num lago, onde se podia pescar, mas não era aconselhável, pois com alguma sorte ou azar, podíamos pescar um alligator (crocodilo), pois o nome de Savannah, dizem-nos que deriva de extensos pântanos ao redor do rio por quilómetros para o interior e é derivado do termo inglês “savana”, uma espécie de pastagem tropical, que foi emprestada pelos ingleses do espanhol “sabana” e usada no sul das então Colónias!.

(…we, enjoying and respecting the contact with nature, were located in a campsite just over five minutes from the city centre, using our “White Fox (caravan), where there were horses, sheep and goats, up to a small river which ended in a lake, where you could fish, but it was not advisable, as with any luck or misfortune, you could catch an alligator (crocodile), as the name Savannah, we are told, derives from the extensive swamps around the river for miles to the interior and is derived from the English term “savanna”, a kind of tropical pasture, which was borrowed by the English from the Spanish “sabana” and used in the south of the then Colonies)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…café!. (…coffe)!.

…a nossa família tem uma longa história de beber café!. Tanto a mãe Ilda como o pai Tónio bebiam café com prazer!. Eram outros tempos e o café era caro, porque normalmente vinha das antigas colónias de Portugal na África e, por motivos financeiros adicionavam uma mistura com ervas exóticas que plantavam à volta da casa, a que chamavam chicória!. Nós, tal como os nossos irmãos, também bebíamos esta mistura, mas misturando sempre que era possível, leite das cabras e ovelhas do rebanho que ajudávamos a pastorear!.

(…our family has a long history of drinking coffee!. Both the mother Ilda and the father Tonio drank coffee with pleasure!. Those were other times and coffee was expensive, as it usually came from the former colonies of Portugal in Africa and, for financial reasons, they added a mixture with exotic herbs that they planted around the house, which they called chicory!. We, like our brothers, also drank this mixture, but mixing whenever possible, milk from the goats and sheep of the flock that we helped to herd)!.

…estas memórias relembram hoje uma clássica história onde nos dá um quase perfeito exemplo do que é a vida que vivemos!. Cá vai!.

…um grupo de ex-alunos, muito bem sucedidos nas suas carreiras, decidiu reunir-se para visitar um seu antigo professor universitário!. Depois, depois a conversa logo se transformou em reclamações sobre trabalho, relacionamento e até a própria vida, contudo estavam alegres, porque o professor era muito popular e havia sido o mentor de muitos deles, essa era a principal razão daquela visita quase surpresa!.

(…these memories recall today a classic story where they give us an almost perfect example of what the life we ​​live is like!. Here it goes!.

…a group of alumni, very successful in their careers, decided to get together to visit their former university professor!. Afterwards, the conversation soon turned into complaints about work, relationships and even life itself, however they were happy, because the teacher was very popular and had been the mentor of many of them, this was the main reason for that almost surprise visit)!.

…claro, foi um momento bastante feliz não só para o professor!. Todos falavam ao mesmo tempo, tentando saber o paradeiro e a evolução da vida uns dos outros após a saída da faculdade!. Compartilharam conversas, como avançaram na vida, todos se tinham casado constituindo a sua maravilhosa família, tendo cada um o seu próprio ritmo de vida para atingir os seus fins!. Enfim, havia uma conversa de qualidade, mas de alguma forma e como acima já mencionámos, logo se desviou para reclamações sobre trabalho, relacionamentos, “stresse” e alguma “tensão’ nas suas vidas!. 

(…of course, it was a very happy moment not only for the teacher!. Everyone was talking at the same time, trying to know the whereabouts and evolution of each other’s lives after leaving college!. They shared conversations, how they progressed in life, all of them had married, forming their wonderful family, each having their own pace of life to achieve their ends!. Anyway, there was a quality conversation, but somehow and as we mentioned above, it soon turned to complaints about work, relationships, “stress” and some “tension” in their lives)!.

…o professor, evidenciando mais uma vez a sua natural inteligência, ofereceu-lhes café e foi à cozinha pedir à esposa que preparasse café para todos os seus antigos alunos!. Após uns minutos, a sua gentil esposa veio com um sorriso agradável, trazendo numa bandeja café em diferentes tipos de xícaras!. Xícaras de cristal, xícaras de vidro, xícaras de cerâmica, xícaras brilhantes, algumas simples, outras comuns, algumas requintadas e outras caras!. 

(…the teacher, showing once again his natural intelligence, offered them coffee and went to the kitchen to ask his wife to prepare coffee for all his former students!. After a few minutes, his kind wife came with a pleasant smile, bringing a tray of coffee in different types of cups!. Crystal cups, glass cups, ceramic cups, shiny cups, some simple, some ordinary, some exquisite and some expensive)!.

…os alunos surpresos com aquela variedade de xícaras, pensaram que o professor podia não ter o mesmo tipo de xícaras para servir todos e, devido ao grande número de convidados a sua esposa servia o café nas diferentes xícaras que na casa havia!. No entanto, quando todos eles tinham uma xícara na mão, o professor disse: 

”se notaram, todos vocês pegaram nas xícaras bonitas e caras, deixando para trás as comuns, simples e baratas”!.

(…students surprised by that variety of cups, thought that the teacher might not have the same type of cups to serve everyone and, due to the large number of guests, his wife served coffee in the different cups that there were in the house!. However, when they all had a cup in hand, the teacher said:

”if you noticed, all of you took the beautiful and expensive cups, leaving behind the common, simple and cheap ones”)!.

…olhando uns para os outros, ficaram surpresos!. Era verdade!. Ninguém tinha percebido que havia algumas xícaras de café a mais e, quando pegaram nas xícaras, ninguém pegou nas xícaras comuns, e claro, essas ficaram na bandeja de servir!.

(…looking at each other, they were surprised!. It was true!. Nobody had noticed that there were a few more cups of coffee and when they picked up the cups, no one picked up the regular cups, and of course those were on the serving tray)!

…o professor continuou:

 “cada um de vocês queria a melhor xícara!. Embora seja normal que vocês queiram apenas o melhor, isso também pode ser a fonte de muitas das vossas insatisfações, problemas de “stresse” e “alguma tensão” na vossa vida”. 

…the teacher continued:

“each one of you wanted the best cup!. While it is normal that you only want the best, this can also be the source of many of your dissatisfactions, “stress” issues and “some tension” in your life”).

…todos ficaram confusos e olhando para o professor, porque não podiam entender qual era a ligação de tomar um café na xícara escolhida com todos aqueles problemas da vida!.

(…everyone was confused and looking at the teacher, because they couldn’t understand the connection between having a coffee in the chosen cup and all those problems in life)!.

…então o professor continuou e explicou:

“é certo de que a xícara em si não adiciona nenhuma qualidade ao café!. Na maioria dos casos, apenas o torna mais caro, e em alguns casos até esconde o que bebemos!. O que vocês realmente queriam era CAFÉ, não as xícaras!. Mas vocês conscientemente escolheram as melhores xícaras”!. 

(…then the teacher continued and explained:

“ it is certain that the cup itself does not add any quality to the coffee!. In most cases, it just makes it more expensive, and in some cases it even hides what we drink! What you really wanted was COFFEE, not the cups! But you consciously chose the best cups”)!

…então começaram a olhar as xícaras uns dos outros…, considerando que realmentede nesta situação a vida era o café, tal como os empregos, o dinheiro ou a posição na sociedade, são as taças, neste caso as xícaras, que representam apenas as ferramentas para segurar e conter a vida real, e claro, o tipo de copo ou xícara que possuímos não define, nem altera a qualidade de vida que vivemos!.

(…then they started looking at each other’s cups…, considering that in this situation life was really coffee, just like jobs, money or position in society, it’s the cups, in this case the cups, which represent only the tools to hold and contain real life, and of course, the type of cup or cup we have does not define or alter the quality of life we ​​live)!

…e claro, é comum, nós às vezes, ao nos concentrarmos apenas na tal xícara, deixamos de apreciar o café!. Saboreie o café, não as xícaras!. Nenhuma xícara no mundo, por mais deliciosa que seja, pode compensar o gosto horrível de um café ruim, e na verdade, o café ruim seria intragável!. Portanto, o café dentro da xícara é mais importante do que a própria xícara!. As pessoas mais felizes não têm o melhor de tudo, apenas fazem o melhor de tudo!. Viva com simplicidade e ame tudo na vida generosamente, sem muitas preocupações, sobretudo falando sempre e tratando as outras pessoas gentilmente!. 

(…and of course, it’s common, sometimes, when we focus only on that cup, we don’t appreciate the coffee!. Enjoy the coffee, not the cups! No cup in the world, no matter how delicious, can make up for the horrible taste of bad coffee, and in fact, bad coffee would be inedible! Therefore, the coffee in the cup is more important than the cup itself! The happiest people don’t get the best of everything, they just make the best of everything! Live simply and love everything in life generously, without too many worries, above all by always talking and treating other people kindly)!

…e mais, não lute desesperadamente pela aparência das coisas, por dinheiro, sucesso, carreira ou bens valiosos, tente viver a vida pelo seu conteúdo e com plena consciência, porque o verdadeiro significado da vida não são conquistas materialistas, mas sim ir por aquela milha extra com alguma saúde na jornada da vida, que nos ilumina no verdadeiro propósito dela, que é ir estando por cá, respeitando e tratando gentilmente os outros, sobretudo a natureza!.

(…and more, don’t fight desperately for the appearance of things, for money, success, career or valuable assets, try to live life for its content and with full awareness, because the true meaning of life is not materialistic achievements, but going for that an extra mile with some health in life’s journey, which enlightens us in its true purpose, which is to be around, respecting and kindly treating others, especially nature)!.

…e ainda hoje adoramos o cheiro do café acabado de fazer, embalando nas mãos a xícara de barro com a asa quase partida, tomando goles que nos despertam e dão algum prazer, lembrando os sorrisos do pai Tónio e a mãe Ilda quando o faziam, ou seja, não conseguimos romper com a tradição familiar, continuamos a gostar de café e, achando que isso se encaixa perfeitamente bem em nossa vida!.

(…and even today we love the smell of freshly brewed coffee, cradling the clay cup with the almost broken handle in our hands, taking sips that wake us up and give us some pleasure, remembering the smiles of father Tonio and mother Ilda when they did it, in other words, we cannot break with family tradition, we continue to like coffee and, thinking that it fits perfectly into our lives)!

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…a maldição de um combatente é que nunca esquece!. (…the curse of a fighter is that he never forgets)!.

…a maturidade, trazida com uma certa idade é… como ter olhos nas nossas memórias!. De certa forma torna-se num previlégio, talvez como olhar a paisagem do cimo de uma montanha, numa visão de 360.º e, para nós pessoas idosas, pelo menos no nosso pensamento e para nos trazer alguma alegria, não temos qualquer dúvida em decretar que, todas as tardes de uma qualquer terça-feira de chuva, e claro, mais cinzenta, a partir de hoje, irão converter-se numa manhã com sol de um radiante domingo!. É assim!. Tem que ser assim, pois os anos estão a passar muito rápidos!.

(…maturity, brought on at a certain age is… like having eyes on our memories!. In a way it becomes a privilege, perhaps like looking at the landscape from the top of a mountain, in a 360º view and, for us elderly people, at least in our thoughts and to bring us some joy, we have no doubts about to decree that every afternoon of any rainy Tuesday, and of course, grayer, from today onwards, will become a sunny morning on a radiant Sunday!. And so!. It has to be that way, because the years are passing very fast)!.

…uf, que desabafo!. Queremos, fazemos quase tudo para andar por aí mostrando alguma alegria no rosto, no entanto, há dias em que as lembranças daquela maldita guerra colonial que vivemos em África estão sempre presentes!. É a vida!. Vamos à história de hoje!.

(…whew, what a relief!. We want to, we do almost everything to walk around showing some joy on our faces, however, there are days when the memories of that damned colonial war we are experiencing in Africa are always present! Is life!. Let’s get to today’s story)!.

… já lá iam quase dois anos!. Quando ali chegámos era uma aldeia chamada Mansôa, onde ajudámos a construir um aquartelamento militar, que poderíamos considerar um “Posto Avançado de Fronteira”, ou seja, um lugar onde os militares de combate, tomavam conhecimento das primeiras savanas, rios, riachos, bolanhas, (terras lamacentas de cultivo de arroz), pântanos e florestas de trilhas frescas, usadas pelos guerrilheiros que lutavam pela independência do seu território, querendo libertar-se da presença dos Europeus, que por ali andavam há quase quinhentos anos!.

(…it had been there for almost two years!. When we arrived there, it was a village called Mansôa, where we helped to build a military barracks, which we could consider a “Frontier Outpost”, that is, a place where the combat soldiers learned about the first savannas, rivers, streams, bolanhas , (muddy rice-growing land), swamps and forests with fresh trails, used by the guerrillas who fought for the independence of their territory, wanting to free themselves from the presence of the Europeans, who had been around for almost five hundred years)!.

…continuando, era um dia de Setembro muito abafado, não corria nenhuma aragem, o sol estava encoberto, os mosquitos zumbiam e pousavam na pele, se mordiam, não se sentia, porque a pele já estava morena!. A garrafa da coca-cola que quase sempre nos acompanhava, ainda tinha um pouco de líquido, que era uma mistura de café, vinho tinto e um pouco de álcool, roubado no cabanal onde funcionava a enfermaria!. 

(…continuing, it was a very sultry September day, there was no breeze, the sun was overcast, the mosquitoes buzzed and landed on the skin, biting themselves, I couldn’t feel it, because the skin was already brown!. The bottle of Coca-Cola that almost always accompanied us still had some liquid, which was a mixture of coffee, red wine and a little alcohol, stolen from the cabin where the infirmary operated)!.

…andávamos por ali, ouvimos algum barulho e levantámos os olhos!.  Chegava ao aquartelamento um grupo de combate que tinha saído em patrulha pela manhã!. Alguns militares saltaram das viaturas, ajudando uma africana idosa e duas crinças nuas a descerem!. Barafustavam, falavam alto, onde a palavra “filho da puta” era constante, e nós, querendo saber o porquê daquela mulher africana e daquelas crianças apróximámo-nos, ouvindo a história pela boca do amigo “Trinta e Seis”, soldado telegrafista!. 

(…we walked around, heard some noise and looked up!. A combat group that had gone out on patrol in the morning arrived at the barracks! Some soldiers jumped out of their vehicles, helping an elderly African woman and two naked children down! They barafustavam, they spoke loudly, where the word “son of a bitch” was constant, and we, wanting to know why that African woman and those children, we got close, listening to the story through the mouth of our friend “Thirty and Six”, a telegraph soldier)!.

…como acima explicámos, tinham saído do aquartelamento manhã cedo, ao começo da luz do dia nas viaturas que os deixaram ao norte, aproximadamente a uns vinte quilómetros do aquartelamento, onde tinham começado um patrulhamento!. Na frente iam uns tantos africanos, que faziam parte das forças armadas portuguesas, que normalmente faziam de guias e tradutores, pois por vezes, havia contacto, com as populações locais!. Era um patrulhamento de rotina, inspecionavam a zona por onde passavam, principalmente, se havia vestígios dos guerrilheiros!. Este grupo de militares, era comandado por um alferes miliciano!.

(…as we explained above, they had left the barracks early in the morning, at the beginning of daylight, in the vehicles that left them to the north, approximately twenty kilometers from the barracks, where they had started a patrol!. At the front were a few Africans, who were part of the Portuguese armed forces, who normally acted as guides and translators, as sometimes there was contact with the local population! It was a routine patrol, they inspected the area they were passing through, especially if there were any traces of the guerrillas! This group of soldiers was commanded by a militia ensign)!.

…o “Curvas”, que carinhosamente apelidámos de “alto e refilão”,  combatente com a especialidade de atirador, andava sempre contrariado, seguindo ao lado do seu amigo “Trinta e Seis”, soldado telegrafista, baixo e forte na estatura, que carregava uma aparelhagem às costas, com um telefone!. Tinha posto pilhas novas antes de sairem e, trabalhava perfeitamente!. 

(…the “Curvas”, which we affectionately dubbed “tall and reelão”, a combatant with the specialty of a sniper, was always annoyed, following alongside his friend “Thirty and Six”, a telegraph soldier, short and strong in stature, who carried a stereo on the back, with a phone!. He had put in fresh batteries before they left and it worked perfectly)!.

…ambos levavam a espingarda metralhadora G-3 e alguns carregadores extra na cinta, assim como duas granadas ofensivas que lhes tinham sido distribuídas pela manhã antes de saírem!. As granadas eram distribuídas, antes de qualquer operação de patrulhamento e entregues no final da mesma, claro, se não tivesse havido contacto com o inimigo!. Quando se procedia à distribuição das granadas, alguém estava à espera que a caixa ficasse vazia, para com a madeira da mesma, construir uma gaiola, para o seu piriquito, um  banco, ou quarquer outro utensílio, portanto, quando eram entregues as granadas no final da operação, iam para um canto do cabanal da arrecadação de material de guerra!. 

(…both carried the G-3 submachine gun and some extra magazines on their belt, as well as two offensive grenades that had been distributed to them the morning before they left!. The grenades were distributed, before any patrol operation and delivered at the end of it, of course, if there had been no contact with the enemy! When proceeding with the distribution of the grenades, someone was waiting for the box to be empty, to use the wood in the box, to build a cage, for your parakeet, a bench, or any other utensil, therefore, when the grenades were delivered to the at the end of the operation, they went to a corner of the war material storage hut)!.

…normalmente a G-3, era transportada, debaixo do braço direito, pronta a disparar, mas com o cano sempre em direcção do chão!. O “Curvas”, levava três granadas, duas distribuídas pela manhã e uma outra que ele nunca entregou de operações anteriores e dizia a alguns que sabiam, que essa granada era dele!. Portanto, no seu pensamento, a granada não era do exército, era dele!.

(…usually the G-3, it was carried under the right arm, ready to fire, but with the barrel always towards the ground!. The “Curvas” carried three grenades, two distributed in the morning and another one that he had never delivered from previous operations and told some who knew, that this grenade was his!. So, in his mind, the grenade wasn’t from the army, it was his)!.

…o alferes miliciano que comandava esta operação de patrulha, dizia constantemente ao “Trinta e Seis” para ir sempre próximo dele, pois em qualquer momento podia precisar do telefone!. O “Trinta e Seis”, não acatava a ordem, pois era amigo do “Curvas” e seguia sempre a seu lado, talvez com a intenção de se protegerem!. Tinham saído de um pântano e iam em terreno seco, com alguma vegetação!. 

(…the militia ensign who was in charge of this patrol operation constantly told the “Thirty-six” to always come close to him, because at any time he might need the phone!. The “Thirty and Six” did not obey the order, as he was a friend of “Curvas” and always followed by his side, perhaps with the intention of protecting themselves!. They had come out of a swamp and were going on dry ground, with some vegetation)!.

…a antena do rádio era alta, tocava em tudo e o “Trinta e Seis”, furioso dizia ao “Curvas”, “porque carga de água, é que o alferes, traz o pessoal, para um local destes, com tanto arvoredo, tantos mosquitos e tão difícil de avançar no terreno, se fosse da parte da tarde, dizia que andava bêbado”!. Pois o alferes, tinha fama de andar sobre influência, (alcool) lá no aquartelamento, mas era uma excelente pessoa!.

(…the radio antenna was high, it rang everywhere and “Thirty-six”, furious, would say to “Curvas”, “because it’s a load of water, it’s just that the ensign brings the people to a place like this, with so much trees, so many mosquitoes and so difficult to advance on the ground, if it was in the afternoon, he said he was drunk”!. Well, the second lieutenant had a reputation for walking under influence (alcohol) at the barracks, but he was an excellent person)!.

…passado um certo tempo, deparam com uma aldeia com umas tantas casas e circundada por uma vedação com estacas e ramos de árvores!. Lá na frente, os soldados africanos entram na aldeia e falam alto, numa linguagem que ninguém entende!. Neste momento diz o “Curvas”, na sua  linguagem reles ao “Trinta e Seis”, “de que é que estes cabrões, estão a falar?. Estão a dar as boas vindas, ou a avisar a população para fugir, que os soldados estão próximos”!. Era uma incógnita, que ninguém sabia responder!. 

(…after a while, they come across a village with a few houses and surrounded by a fence with stakes and tree branches!. Up ahead, the African soldiers enter the village and speak loudly, in a language that no one understands! At this moment, “Curvas” says, in his language similar to “Thirty and Six”, “what are these bastards talking about?. They are welcoming, or warning the population to flee, that the soldiers are close”!. It was an unknown, no one knew how to answer)!.

…na aldeia, havia somente uma mulher magra, já de uma certa idade, nua da cinta para cima, com algumas argolas em volta do pescoço, talvez servindo de enfeite,!. Estava sentada, ao lado de um cesto de arroz com casca, com as mãos ao lado da cara, falando aflita numa linguagem incompreensível e, de vez em quando tirava as mãos da cara, fazia gestos para a frente, ao mesmo tempo que balançava o corpo para a frente e para trás!. Na sua frente, estavam duas crianças, também magras, e nuas!. 

(…in the village, there was only one thin woman, already of a certain age, naked from the waist up, with some rings around her neck, perhaps serving as an ornament!. She was sitting beside a basket of husk rice, with her hands by her face, speaking in distress in incomprehensible language, and from time to time she took her hands away from her face, gestured forward while shaking the body back and forth!. In front of her were two children, also skinny, and naked)!.

…estas três pessoas eram no momento os habitantes da aldeia e, os soldados africanos, chamados pelo alferes para traduzirem as palavras da mulher, diziam, “ela se lastima por os soldados lhe terem morto os seus dois filhos e diz para se irem embora, que aqui não há mais ninguém!. Também diz que tem quatro filhas, que desapareceram um certo dia pela madrugada, mas que a visitavam de vez em quando, pois neste momento são guerrilheiras, transportadoras de material de guerra”!. 

(…these three people were at the time the villagers and the African soldiers, called by the lieutenant to translate the woman’s words, said, “she is sorry that the soldiers killed her two children and says to go away, that there is no one else here!. She also says that she has four daughters, who disappeared one day at dawn, but who visited her from time to time, because at the moment they are guerrillas, transporters of war material)”!.

…o “Curvas”, diz para o “Trinta e Seis”, “se esta gaja não se cala, meto-lhe já dois tiros nos cornos”!. O alferes, repreende o “Curvas”, que continua a argumentar, dizendo, “é uma mentirosa, filha da puta”!. Só o “Trinta e Seis”  é que o acalma e o manda calar!. O alferes entra em contacto com o comando, contando a situação da aldeia quase abandonada, recebendo ordens para a captura da mulher e as duas crianças e em seguida, queimar e destruir a aldeia!.

…“Curvas”, she says to “Thirty and Six”, “if this girl doesn’t shut up, I’ll shoot her twice in the horns”!. The ensign scolds the “Curvas”, who continues to argue, saying, “she’s a liar, motherfucker”!. Only “Thirty-six” calms him down and tells him to shut up!. The ensign comes into contact with the command, telling the situation of the almost abandoned village, receiving orders to capture the woman and the two children and then burn and destroy the village)!.

…aqui começa o saque à aldeia!. Os militares encontraram algumas armas, munições e documentos que estavam à superfície e, os africanos encarregavam-se dos objectos com algum valor, como panelas, tachos, roupas, às vezes até encontravam dinheiro, bicicletas, enfim tudo o que para alguns, entendessem que era útil!.

(…here the sacking of the village begins!. The military found some weapons, ammunition and documents that were on the surface and the Africans took care of objects with some value, such as pots, pots, clothes, sometimes they even found money, bicycles, everything that for some, they understood that it was useful)!.

…depois era só deitar fogo a tudo e, no espaço de uma a duas horas, com fogo controlado, deixava de haver aldeia!. Esta aldeia era pequena, tinha somente oito casas, durante o fogo ouviram-se alguns rebentamentos, sinal de que havia mais algum material explosivo, talvez enterrado!.

(…then it was just a matter of setting fire to everything and, within one to two hours, with a controlled fire, there would no longer be a village!. This village was small, it had only eight houses, during the fire there were some explosions, a sign that there was some more explosive material, maybe buried)!.

…os prisioneiros vieram para o aquartelamento, seguindo em seguida para o hospital, na capital da província!. O “Curvas”, começou o fogo, com o lançamento da sua granada preferida para o meio da aldeia, ao mesmo tempo que gritava em plenos pulmões, “filhos da puta”!. O alferes, repreendeu-o, no entanto, isso nele não produzia qualquer efeito, era alto e refilão, não acatava ordens e queria mandar, devia ser general!. 

(…the prisoners came to the barracks, then to the hospital in the provincial capital!. “Curvas” started the fire, throwing his favorite grenade into the middle of the village, at the same time shouting at the top of his lungs, “sons of a bitch”!. The second lieutenant, scolded him, however, that had no effect on him, he was tall and a recluse, he didn’t obey orders and wanted to rule, he must be a general)!.

…mas o mais lamentável é que, tal como já por diversas vezes referimos nos nossos escritos, os famintos, os doentes, os analfabetos e a miséria que naquela época eram constantes, infelizmente continuaram, mesmo depois, quando parecia que já havia paz, fazendo-me lembrar que defacto nós os militares de Portugal, saímos de África físicamente, mas possívelmente não trouxémos as armas, as bombas e as balas, deixando lá apenas, como seria nossa inteira obrigação, todas as maravilhosas armas da paz do século XX!. 

(…but the most unfortunate thing is that, as we have mentioned several times in our writings, the hungry, the sick, the illiterate and the misery that were constant at that time, unfortunately continued, even later, when it seemed that there was already peace, making remind me that in fact we, the Portuguese military, left Africa physically, but possibly we did not bring the weapons, bombs and bullets, leaving there only, as it would be our entire obligation, all the wonderful weapons of peace of the 20th century)!.

…e nós, quando regressámos à Europa, ao fim de dois longos anos, como veteranos de guerra, passando por algumas experiências de vida mais traumáticas que se possam imaginar e que nos acompanharam para o resto das nossas vidas, a família que nos recebeu, sabia, notava imediatamente, que alguma coisa estava mal connosco, pela nossa linguagem, maneira de nos comportar, que estávamos diferentes, talvez um pouco loucos e algo agressivos!.

(…and we, when we returned to Europe, after two long years, as war veterans, going through some of the most traumatic life experiences imaginable and that have accompanied us for the rest of our lives, the family that welcomed us, I knew, I noticed immediately, that something was wrong with us, because of our language, the way we behaved, that we were different, maybe a little crazy and a little aggressive)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

…não jogues com a vida! (…don’t play with life)!.

…às vezes a vida torna-se cansativa!. Parece que vivemos numa sociedade selvagem que glorifica a ganância e o poder daqueles que sem muitos escrúpulos, vão dificultando cada vez mais a nossa normal vida, oprimindo, sobrecarregando e esgotando alguns dos benefícios, sobretudo daquilo que a Mãe Natureza nos oferece, que devia de ser para todos!. 

(…sometimes life gets tiring!. It seems that we live in a wild society that glorifies the greed and power of those who, without many scruples, make our normal life more and more difficult, oppressing, overloading and depleting some of the benefits, especially what Mother Nature offers us, which should of be for everyone)!.

…cremos que o facto de estarmos aqui, ou seja, nascermos e vivermos neste planeta Terra, não foi acidental!. Assim, devemos dar tudo o que podermos para que a nossa vida seja vivida com alguma felicidade e também em prol da comunidade em que nos inserimos, porque em troca, iremos receber mais do que podemos imaginar e, devemos pensar sempre que seja o que for que a vida nos dê, mesmo que nos doa, sejamos fortes, agindo como estivéssemos bem, porque as paredes fortes às vezes estremecem, mas nunca desabam!.

(…we believe that the fact that we are here, that is, that we are born and live on this planet Earth, was not accidental!. Thus, we must give everything we can so that our life is lived with some happiness and also for the benefit of the community we are part of, because in return, we will receive more than we can imagine and, we must always think whatever it is may life give us, even if it hurts us, let us be strong, acting as if we were okay, because strong walls sometimes shake, but never collapse)!.

…algumas normas de como nos devemos comportar não se aprendem na escola ou no seio da família, vêm com a idade, com os anos vividos, muitas vezes “no meio de muitas dificuldades”, mas que no entanto, sendo aproveitadas, ajudam o nosso comportamento, beneficiando os outros, tornando o mundo um pouco melhor!.

(…some norms of how we should behave are not learned at school or within the family, they come with age, with the years lived, often “in the midst of many difficulties”, but which, however, if taken advantage of, help our behavior, benefiting others, making the world a little better)!.

…por exemplo!. Quando ouvimos apenas o que desejamos, não estamos realmente ouvindo, porque ouvindo o que não queremos ouvir, também nos faz crescer, e claro, fantasiar sobre outros tempos ou lugares pode-se tornar perigoso, tal como se apegar fortemente ao nosso passado e sonhar  fervorosamente com o futuro, porque nos faz perder o valor real e até a beleza que está aqui e agora, na presente época e no lugar em que vivemos!. 

(…for example!. When we only hear what we want, we’re not really listening, because hearing what we don’t want to hear also makes us grow, and of course, fantasizing about other times or places can become dangerous, such as clinging tightly to our past and dreaming fervently with the future, because it makes us lose the real value and even the beauty that is here and now, in the present time and in the place in which we live)!.

…muitas vezes perdemos o nosso tempo esperando que o caminho ideal nos apareça, e claro, isso raramente acontece, porque os caminhos são feitos caminhando, não esperando!. Assim, teremos que dar algum crédito àquilo que fomos aprendendo, porque a vida além de ser curta, por vezes é muito difícil, no entanto, quase sempre conseguimos sobreviver!. Por exemplo, em momentos de alguma aflição, lembrarmo-nos daquela vez em que pensámos que não iriamos sobreviver, no entanto sobrevivemos e estamos aqui!. Em outras palavras, “não perca, nem desista da sua vida”!.

(…often we waste our time waiting for the ideal path to appear, and of course this rarely happens, because paths are made by walking, not waiting!. Thus, we will have to give some credit to what we have been learning, because life is not only short, but sometimes it is very difficult, however, we almost always manage to survive!. For example, in moments of some distress, remembering that time when we thought we wouldn’t survive, yet we survived and we’re here! In other words, “don’t lose or give up on your life”)!.

…com a idade, passámos por muita coisa mas também crescemos algo e, apesar de alguns erros, (porque errar é normal e humano), às vezes, temos que fazer o que é melhor para nós e não apenas o que é melhor para todos os outros, no entanto, não existe absolutamente nada de errado ou egoísta com esta acção, porque não podemos dar o que não temos, todavia, quando estamos enriquecendo a nossa vida, também estamos enriquecendo a vida dos outros, por intermédio da comunidade onde estamos inseridos!.

(…with age, we’ve gone through a lot but we’ve also grown something and, despite some mistakes, (because making mistakes is normal and human), sometimes we have to do what’s best for us and not just what’s best for everyone for others, however, there is absolutely nothing wrong or selfish with this action, because we cannot give what we do not have, however, when we are enriching our lives, we are also enriching the lives of others, through the community where we are inserted)!.

…uma pequena parte de nossa vida é decidida por circunstâncias completamente incontroláveis, principalmente na hora de mudar algo que pensamos que é normal, todavia isto é apenas uma parte do processo de crescimento, assim, devemos ser pacientes, saber esperarar, porque às vezes a paciência é a habilidade de manter uma atitude positiva e focada enquanto trabalhamos no duro para fazer a nossa vida seguir em frente!.

(…a small part of our life is decided by completely uncontrollable circumstances, especially when it comes to changing something we think is normal, however this is only part of the growth process, so we must be patient, know how to wait, because sometimes Patience is the ability to maintain a positive and focused attitude while working hard to move our lives forward)!.

…continuando, devemos nos concentrar no que é importante, tirando do nosso pensamento o que não importa!. Como tal, por vezes é bom criar novos e bons hábitos, mas isso não se forma da noite para o dia!. Demora meses, às vezes anos para formar um hábito, portanto, devemos observar sempre o lado bom da vida, construindo pequenos hábitos de mudança, sempre seguindo objectivos alegres e de crescimento, porque existe uma grande diferença entre estar cansado e algo triste e pensar que esse estado de espírito é gratificante!. Sabe qual é a diferença?. A vida é muito curta!.

(…continuing, we must focus on what is important, taking out of our thinking what doesn’t matter!. As such, it is sometimes good to create new and good habits, but it doesn’t happen overnight! It takes months, sometimes years to form a habit, so we should always look at the good in life, building small habits of change, always following happy and growth goals, because there is a big difference between being tired and something sad and thinking that this state of mind is gratifying!. Do you know what the difference is? Life is too short)!.

…a nossa força mental é extremamente importante mas, facilmente esquecida!. Devemos frequentar ambientes que ajudem a nossa mente, passando algum tempo com pessoas que realmente nos inspiram positivamente, lendo livros,  aprendendo novos costumes que nos ajudem a crescer e a melhorar a nossa maneira de viver, porque a nossa vida é a nossa escolha!.

(…our mental strength is extremely important but easily forgotten!. We must attend environments that help our mind, spending time with people who really inspire us positively, reading books, learning new customs that help us grow and improve our way of living, because our life is our choice)!.

…antigos padrões da nossa vida, às vezes são difíceis de parar!. Se entender-mos que os devemos parar, conscientemente, não devemos voltar a esses  velhos padrões, porque hábitos e comportamentos tóxicos sempre nos tentam a voltar quando já estamos numa vida melhor e, se continuar-mos a mostrar aos outros tal como sendo uma vítima, sempre seremos tratados como tal, porque a  vida nem sempre oferece as circunstâncias que desejamos, a vida, oferece-nos as circunstâncias de que precisamos… para aprender, sempre crescendo!. É a natureza no seu melhor!.

(…old patterns of our life, sometimes hard to stop!. If we understand that we must consciously stop them, we must not go back to these old patterns, because toxic habits and behaviors always tempt us to come back when we are already in a better life and if we continue to show others as being a victim, we will always be treated as such, because life does not always offer the circumstances we want, life offers us the circumstances we need… to learn, always growing!. It’s nature at its best)!.

…a calma é uma superpotência!. A capacidade de não reagirmos de forma exagerada ou levar as coisas para o lado da violência, mantém a nossa mente limpa e o coração em paz e, uma vez que começamos a valorizar a nossa paz interior, também sobe a necessidade de reagir certo e alguma calma, e quando verificamos que estamos certos, experimentamos mais paz interior, e claro, alguma felicidade, porque ninguém ganha num jogo de xadrez apenas avançando, às vezes, temos que retroceder para nos colocarmos em posição de vencer!. Esta é uma metáfora perfeita para a vida!.

(…calm is a superpower!. The ability not to overreact or take things to the side of violence keeps our minds clear and hearts at peace, and once we begin to value our inner peace, so does the need to react right and some. calm, and when we verify that we are right, we experience more inner peace, and of course, some happiness, because nobody wins in a game of chess just advancing, sometimes we have to go back to put ourselves in a position to win! This is a perfect metaphor for life)!.

…às vezes as coisas começam a encaixar-se na nossa vida, apegando-se, dificultando, e quando isso acontece é bom começar a subtrair-las!. A vida fica muito mais simples quando limpamos a desordem que a torna complicada e, às vezes nem tudo e todos os que perdemos são uma verdadeira perda!. E, num mundo com tanto barulho e desordem, devemos abrir algum espaço para nos ouvir a nós mesmo, a voz da nossa própria alma, abraçando o silêncio, respirando livremente, estejamos onde estivermos!.

(…sometimes things start to fit into our life, clinging, making it difficult, and when that happens it’s good to start subtracting them!. Life gets much simpler when we clean up the clutter that makes it complicated and sometimes not everything and everyone we lose is a real loss! And, in a world with so much noise and disorder, we must make some space to hear ourselves, the voice of our own soul, embracing the silence, breathing freely, wherever we are)!.

…a popularidade é uma coisa irrelevante!. Tudo o que fizer-mos, devemos fazer com paixão, humildade e honestidade e não para ter um aplauso, porque todos os gestos, por mais gentis que faremos ou as coisas mais importantes, podem ser vistos publicamente, mas os pormenores são e serão sempre nossos, e às vezes, ficamos impressionados com os aplausos de algumas pessoas, talvez por motivos errados, no entanto, nunca, mas mesmo nunca, nos devemos impressionar com o dinheiro, títulos, diplomas ou até a aparência, devemos sim, ficar mais impressionados com generosidade, integridade, humildade e a bondade das pessoas!.

(…popularity is irrelevant! Everything we do, we must do it with passion, humility and honesty and not to have an applause, because all gestures, no matter how kind we do or the most important things, can be seen publicly, but the details are and will always be ours, and sometimes, we are impressed by the applause of some people, maybe for the wrong reasons, however, never, but never, we should be impressed with the money, titles, diplomas or even the appearance, we should, yes, be more impressed with generosity, integrity, humility and kindness of people)!.

…e finalmente, a vida é muito curta para se discutir e lutar!. Teremos que ser muito selectivos nas nossas batalhas!. Às vezes a paz pode ser melhor do que a nossa razão e, devemos lembrar-nos que, cada pessoa que conhecemos, também tem medo de algo, ama algo ou perdeu algo! Devemos ter isto sempre presente, respeitando-as, sendo sempre extremamente gentil no seu trato!.

(…and finally, life is too short to argue and fight! We will have to be very selective in our battles! Sometimes peace can be better than our reason and we must remember that every person we meet is also afraid of something, loves something or has lost something! We must always bear this in mind, respecting them, always being extremely kind in their dealings)!.

…às vezes, o perdão é necessário para a nossa paz pessoal!. Perdoar os outros, não porque eles absolutamente mereçam perdão, mas porque nós  merecemos ter paz. A vida tira-nos coisas e dá-nos coisas e é engraçado como superamos tudo o que antes pensávamos que não poderíamos viver sem e, devemos lembrar sempre que, alguns dos melhores capítulos da nossa vida não terão um título com o qual nos devemos sentir totalmente confortáveis!. É a vida, e claro, devemos fazer o nosso  melhor para abraçar todas as suas incertezas!.

(…sometimes forgiveness is necessary for our personal peace! To forgive others, not because they absolutely deserve forgiveness, but because we deserve peace. Life takes things from us and gives us things and it’s funny how we’ve overcome everything we previously thought we couldn’t live without and, we must always remember that some of the best chapters in our life won’t have a title we should feel about totally comfortable!. It’s life, and of course, we must do our best to embrace all its uncertainties)!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).