…mais um grito de revolta!. (Yet another cry of revolt)!.

“Por favor, por favor, não consigo respirar”. (“Please, please, I can’t breathe”)

“Por favor – Floyd é ouvido dizer enquanto está morrendo” (“Please – Floyd is heard saying while he is dying”)

“George Floyd morreu depois de ser preso e mantido no chão pelo policial, que pressionou o joelho no pescoço por vários minutos, impedindo-o de respirar!. A morte do homem provocou protestos não só de afro-americanos na cidade, exigindo justiça!. O policial foi preso e formalmente investigado por assassinato enquanto os seus três colegas, que testemunharam a cena impassivelmente, foram demitidos e não se exclui que eles também serão indiciados por contribuir para a tragédia”.

(“George Floyd died after being arrested and kept on the ground by police officer, who pressed his knee to his neck for several minutes, preventing him from breathing!. The man’s death provoked protests not only by African-Americans in the city, demanding justice!. The policeman was arrested and formally investigated for murder while his three colleagues, who impassively witnessed the scene, were dismissed and it is not excluded that they too will be charged with contributing to the tragedy”).

…eram estas palavras que se podiam ler ou ouvir nos últimos dias na comunicação social, que na nossa opinião, foi uma coisa horrível, que nunca devia de ter acontecido, todavia, também existem casos em que o comum cidadão dispara uma arma de fogo, matando um ou mais polícias, até inocentes pessoas, mas nós, ao tomar conhecimento deste acto criminoso, entendemos que, duas, três ou quatro coisas más, não fazem uma coisa boa, no entanto, ainda acreditamos nas boas intenções das forças de segurança em servir e ajudar o comum cidadão, ou seja, na ajuda da maior parte dos elementos da polícia, mas infelizmente…, existem os outros…, e isso sim, é o problema que nos aflige e nos preocupa!. (These were the words that could be read or heard in the last few days in the media, which in our opinion was a horrible thing, which should never have happened, however, there are also cases in which the ordinary citizen fires a firearm, fire, killing one or more policemen, even innocent people, but we, upon learning of this criminal act, understand that two, three or four bad things do not do a good thing, however, we still believe in the good intentions of the forces of security in serving and helping the common citizen, that is, in helping most of the police elements, but unfortunately…, there are others…, and that is the problem that afflicts and worries us)!.

…nós, também já sofremos, por mais que uma vez alguns casos descriminatórios de policiais, ocasionalmente quando viajámos pelos diversos estados deste grande país e, mencionando um pequeno e simples resumo da historia universal, procurando única e simplesmente uma possível resposta para horríveis casos como este, respeitando ideias e acções, sem o mínimo intuito de querer ferir qualquer personalidade na sua dignidade, muitos historiadores acreditam, que a cultura anglo-saxónica se iniciou por volta do século V, quando invasores germânicos, que já se haviam estabelecido na Grã-Bretanha como mercenários, atravessaram o Mar do Norte e mataram muitos habitantes britânicos ou os empurraram para o País de Gales, Cornowall e para a Escócia!. (We, too, have suffered, more than once, some discriminatory cases of police, occasionally when we traveled through the different states of this great country and, mentioning a small and simple summary of universal history, looking for a single and simply possible answer to horrible cases like this, respecting ideas and actions, without the least intention of wanting to hurt any personality in their dignity, many historians believe that the Anglo-Saxon culture started around the 5th century, when German invaders, who had already established themselves in the Britain as mercenaries, they crossed the North Sea and killed many British inhabitants or pushed them to Wales, Cornowall and Scotland)!.

…quando estes invasores germânicos chegaram ao sul da Grã-Bretanha, já lá havia um pequeno grupo de dinamarqueses que juntos, destruíram muitas cidades romanas, que formavam uma fortificação defensiva que ia das margens do rio Tyne, perto do Mar do Norte, até o Solway Firth, no mar da Irlanda, que era o limite norte do Império Romano, considerada a Muralha de Adriano, que na época era uma parte periférica desse Império Romano do Ocidente, perdida ocasionalmente por rebeliões ou invasões, mas até então sempre se recuperava mas, que as forças conjuntas dos dinamarqueses e dos invasores germânicos, terminaram de uma vez, com a civilização e o idioma romanos, que por lá existiam!. (When these Germanic invaders arrived in the south of Great Britain, there was already a small group of Danes who together destroyed many Roman cities, which formed a defensive fortification that ran from the banks of the River Tyne, near the North Sea, to the Solway Firth, in the Irish Sea, which was the northern limit of the Roman Empire, considered Hadrian’s Wall, which at the time was a peripheral part of that Western Roman Empire, lost occasionally by rebellions or invasions, but until then it recovered but, that the joint forces of the Danes and the Germanic invaders, ended at once, with the Roman civilization and language, that existed there)!.

…embora os anglo-saxónicos trouxessem a sua religião pagã, o cristianismo continuou a espalhar-se na Inglaterra, sobretudo graças ao papa Gregório Magno, que enviou Santo Agostinho à Grã-Bretanha por volta do ano de 597, fundando muitos mosteiros, no entanto os anglo-saxónicos impuseram a sua língua, a sua cultura, os seus sistemas políticos e judiciários, dividindo a Inglaterra em diferentes reinos!. (Although the Anglo-Saxons brought their pagan religion, Christianity continued to spread in England, mainly thanks to Pope Gregory the Great, who sent Saint Augustine to Britain around 597, founding many monasteries, however, the Anglo-Saxons imposed their language, their culture, their political and judicial systems, dividing England into different kingdoms)!.

…após este período de guerras e destruição, o tal invasor anglo-saxónico estabeleceu-se na Grã-Bretanha com as suas famílias!. Eram guerreiros, fazendeiros ou pescadores, morando em cabanas de madeira cobertas de colmo, amavam a liberdade e preferiam viver em pequenas comunidades, tendo como base da sua economia a agricultura, no entanto, também eram conhecidos como piratas!. (After this period of wars and destruction, the Anglo-Saxon invader settled in Britain with his families!. They were warriors, farmers or fishermen, living in thatched wooden huts, they loved freedom and preferred to live in small communities, based on agriculture, however, they were also known as pirates)!.

…sim, conhecidos como piratas, que devia de ser o nome que davam naquela época, aos invasores vindos do continente, no entanto, eram um povo que tinha muitos valores e ideias pelas quais vivia e mantinha sagrado no dia a dia!. Esses valores incluiam, bravura, lealdade, genorisidade e heroísmo, onde se incluíam as tais pessoas de tribos germânicas que migraram para a ilha da Europa continental, e claro, grupos indígenas britânicos que se foram adoptando a alguns aspectos da cultura e do idioma anglo-saxões!. (Yes, known as pirates, which should be the name they gave at that time, to invaders coming from the continent, however, they were a people who had many values and ideas for which they lived and kept sacred in their daily lives!. These values included, bravery, loyalty, genority and heroism, which included those people from Germanic tribes who migrated to the island of continental Europe, and of course, British indigenous groups that were adopting some aspects of the Anglo-Saxons culture and language)!.

…gostavam de jogos de azar, brigando e bebendo, sobretudo cerveja, tendo algum respeito pelas mulheres!. Gostavam de música e de cantar, sentando-se ao redor das mesas comunitárias, ouvindo histórias sobre guerras, caça, aventuras de luta e lendas heróicas do passado, ou seja, o que hoje se lê na maior parte da literatura inglesa mais antiga, mais conhecida como iiteratura Anglo-Saxónica!. (They liked games of chance, fighting and drinking, especially beer, having some respect for women!. They liked music and singing, sitting around community tables, listening to stories about wars, hunting, fighting adventures and heroic legends of the past, that is, what is read today in most of the oldest English literature, most known as Anglo-Saxon Literature)!.

…com este espírito de aventura, vivendo numa ilha gigante como a Grã-Bretanha, depressa se organizaram, saindo para o mar em barcos armados, navegando por diferentes oceanos, introduzindo uma identidade e cultura, a que hoje chamam, a tal cultura Anglo-Saxónica!. (With this spirit of adventure, living on a giant island like Britain, they quickly organized themselves, going out to sea in armed boats, sailing through different oceans, introducing an identity and culture, which today they call, that culture Anglo-Saxon)!.

…como tal, hoje, países de língua inglesa, como por exemplo, a própria Grã-Bretanha, os Estados Unidos, o Canadá, a Austrália, a Nova Zelândia, a Irlanda, a África do Sul ou as Antilhas Britânicas, devido aos seus vínculos históricos, ainda conservam alguns traços culturais, onde infelizmente ainda persistem até ao dia de hoje, pelo menos nas pequenas cidades, vilas ou aldeias, nem que seja um pouco, mesmo muito pouco, da cultura Anglo-Saxónica!. (As such, today, English-speaking countries, such as Great Britain, the United States, Canada, Australia, New Zealand, Ireland, South Africa or the British Antilles, due to to their historical ties, they still retain some cultural traits, where unfortunately they still persist today, at least in small cities, towns or villages, even if it is a little, even very little, of Anglo-Saxon culture)!.

…que era, nem mais nem menos do que, centrada em torno de três classes de homens, normalmente brancos com o cabelo loiro, que se podiam designar como, o trabalhador, o clérigo e o guerreiro, que formaram as estruturas que contribuíram para o desenvolvimento da sociedade anglo-saxônica, onde as pequenas áreas tribais se foram fundindo em reinos maiores, com uma elite de guerreiros a reis se desenvolvendo, havendo a tal superioridade de uns sobre os outros, ou seja, a partir de então, reinos maiores começaram a dominar os reinos menores!. (Which was, neither more nor less than, centered around three classes of normally white men with blond hair, who could be designated as, the worker, the cleric and the warrior, who formed the structures that contributed to the development of Anglo-Saxon society, where small tribal areas merged into larger kingdoms, with an elite of warriors and kings developing, with such superiority over one another, that is, from then on, larger kingdoms began to dominate the smaller kingdoms)!.

…impondo assim uma aparência de unidade política, que na verdade não existia, a povos que, condicionados pela derrota e pelo mêdo, permaneceriam conscientes aos seus respectivos costumes, repudiando silenciosamente qualquer outra interferência de estranhos, o que, infelizmente formou uma composição genética das populações, que hoje, muitas centenas de anos depois, ainda mostra divisões nas unidades políticas tribais, que acreditamos, vieram daquela época do início do período anglo-saxão!. (Thus imposing an appearance of political unity, which in fact did not exist, to peoples who, conditioned by defeat and fear, would remain aware of their respective customs, silently repudiating any other interference from strangers, which, unfortunately, formed a composition population genetics, which today, many hundreds of years later, still shows divisions in the tribal political units, which we believe, came from that time of the beginning of the Anglo-Saxon period)!.

…como tal, a cultura dos anglo-saxões foi especialmente solidificada e cultivada nos principais reinos então conquistados, que cresceram absorvendo principados menores, e os meios pelos quais eles o fizeram e o carácter que os seus reinos adquiriram, como resultado, representam um dos principais temas do período anglo-saxónico, iniciando nas tais três classes de pessoas, a divisão da terra para se viver, os presentes, as armas, a comida, a cerveja, as roupas e tudo o mais necessário para cada uma das três classes de homens e, reconstruindo o parentesco tribal, ou seja, as famílias continuarem sem possíveis cruzamentos com pessoas de raça ou cor estranhas, porque eles sim, se consideravam uns seres superiores e assim queriam continuar. (As such, the culture of the Anglo-Saxons was especially solidified and cultivated in the main kingdoms then conquered, which grew up absorbing smaller principalities, and the means by which they did so and the character that their kingdoms acquired, as a result, represent one of the main themes of the Anglo-Saxon period, starting with the three classes of people, the division of the land to live, gifts, weapons, food, beer, clothes and everything else necessary for each of the three classes of men and, reconstructing the tribal kinship, that is, families continue without possible crossings with people of strange race or color, because they did, they considered themselves superior beings and so they wanted to continue)!.

…claro, atitudes e leis como estas, criaram alguma descriminação e ódio entre as populações, onde alguns, obedecendo a estes princípios, entendiam que era correcto, incutindo esta cultura aos seus descendentes, outros…, embora não concordando, eram obrigados a contrair matrimónio, às vezes com inimigos, mas que pertenciam a determinado clã!. (Of course, attitudes and laws like these, created some discrimination and hatred among the populations, where some obeying these principles, understood that it was correct, instilling this culture in their descendants, others …, although not agreeing, they were obliged to marry, sometimes with enemies, but who belonged to a certain clan)!.

…exemplo de tudo o que acabamos de explicar, é que nos dias de hoje, centenas e centenas de anos depois, até os descendentes da “Família Real Inglesa”, compreendendo e repudiando este fenómeno, contrairam matrimónio com normais e comuns cidadãos e cidadãs, querendo mostrar ao mundo, que todos nós seres humanos, somos iguais, com as mesmas aspirações e direito a respirar o ar do vento que sopra e, felizmente por enquanto ainda vai sendo gratuito!. (An example of everything that we have just explained, is that today, hundreds and hundreds of years later, even the descendants of the “English Royal Family”, understanding and repudiating this phenomenon, contracted marriage with normal and common citizens, wanting to show the world that all of us human beings are equal, with the same aspirations and the right to breathe the air of the wind that blows and, fortunately for now it is still free)!.

…depois…, depois, como a princípio mencionámos, em algumas pequenas cidades, vilas ou aldeias, ainda hoje existem nas suas populações, de onde normalmente as forças de segurança são recrutadas, e cuja tarefa é ajudar e proteger as populações, pequenos vestígios da época anglo-saxónica, onde um elemento que devia proteger o comum cidadão, talvez por usar um equipamento de polícia, se julga um ser superior, discriminando, consoante a raça ou a cor da pessoa, ou seja, da sua vítima, iniciando o ódio, o medo ou a morte, levando as populações a revoltarem-se protestando e…, no meio de tudo isto, existem sempre os tais oportunistas, que tiram vantagem da catastrófica situação, que julgamos ter a sua origem nas atitudes que acima mencionámos!. (Later…, later, as we mentioned at first, in some small towns, towns or villages, they still exist in their populations today, from where security forces are normally recruited, and whose task is to help and protect the populations , small vestiges of the Anglo-Saxon era, where an element that was supposed to protect the common citizen, perhaps by using police equipment, considers himself to be a superior being, discriminating, depending on the person’s race or color, that is, his victim, initiating hatred, fear or death, leading populations to revolt in protest and…, in the midst of all this, there are always such opportunists, who take advantage of the catastrophic situation, which we believe to have its origin in the attitudes that we mentioned above)!.

…levando aos protestos nos últimos três dias, mais propriamente na área metropolitana de Minneapolis e na sua cidade “gêmea”, Saint Paul, separada apenas pelo rio Mississippi, onde incidentes violentos ocorreram nas últimas três noites, com centenas de manifestantes a cortaram uma ponte no centro da cidade que liga as duas cidades, a saques de empresas, incêndios em veículos policiais e confrontos com agentes, onde grupos de manifestantes, alguns ajoelhados com os punhos erguidos, reuniram-se em frente ao quartel da polícia do terceiro distrito, no sudeste de Minneapolis, que foi incendiado nos tumultos de quinta-feira à noite, sob o grito de, “Não pode parar todos nós” ou “Não consigo respirar”!.  (Leading to protests in the past three days, more specifically in the Minneapolis metropolitan area and its “twin” city, Saint Paul, separated only by the Mississippi River, where violent incidents have occurred in the past three nights, with hundreds of protesters cutting it off a bridge in the city center that connects the two cities, to looting by companies, fires in police vehicles and clashes with agents, where groups of protesters, some kneeling with their fists raised, gathered in front of the police district of the third district , in southeastern Minneapolis, which was set on fire in Thursday night’s riots, under the cry, “You can’t stop us all” or “I can’t breathe”)!.

…lamentávelmente, tudo isto se está a passar num mundo civilizado e no ano de 2020 da era de Cristo, onde nós, comum cidadão, depois de descrever todo este cenário, também nos apetece dizer, “Não consigo respirar”!. (Unfortunately, all of this is happening in a civilized world and in the year 2020 of the era of Christ, where we, as a citizen, after describing this whole scenario, also feel like saying, “I can’t breathe”)!.

Tony Borie, June 2020.

…queremos ser livres e sair por aí!. (We want to be free and go out there)!.

…queremos ser livres e sair por aí!. (We want to be free and go out there)!.

…somos veteranos sobreviventes de um “conflito colonial”, que envolvia uma mortífera e angustiante guerra de guerrilha, numa região de África, onde uma das partes mais trágicas, para alguns talvez esperançosa, era a cara da necessidade humana!. Era o doente abandonado, a família faminta, a criança que não sabia ler, eram homens e mulheres, alguns sem abrigo, com roupa em farrapos, lutando pela sobrevivência, numa terra muito rica e com um solo muito fértil!. (We are veterans surviving a “colonial conflict”, which involved a deadly and distressing guerrilla war, in a region of Africa, where one of the most tragic parts, for some perhaps hopeful, was the face of human need!. It was the abandoned patient, the hungry family, the child who could not read, they were men and women, some homeless, with clothes in rags, fighting for survival, in a very rich land and with very fertile soil)!.

…em outras palavras, ou seja, trocando por miúdos ou talvez por milhões, aquela guerra entre Europeus e Africanos, vivida no interior daquela África negra do século passado, era desajustada ao presente, aliás, tal como todas as guerras o são, mas que infelizmente ignorou o futuro, porque os famintos, os doentes, os analfabetos e a miséria que eram constantes, infelizmente continuaram, mesmo depois, quando parecia que já havia paz, fazendo-nos lembrar que defacto saímos de África físicamente, mas possívelmente não trouxémos as armas, as bombas e as balas, deixando lá apenas, como seria nossa inteira obrigação, todas as maravilhosas armas da paz, que nos dizem existir no século XXI!. (In other words, that is, exchanging for small things or maybe millions, that war between Europeans and Africans, lived inside that black Africa of the last century, was out of place for the present, in fact, as all wars are, but unfortunately it ignored the future, because the hungry, the sick, the illiterate and the uncertainties that were constant, unfortunately continued, even afterwards, when it seemed that there was already peace, reminding us that in fact we left Africa physically, but possibly we did not bring the weapons, bombs and bullets, leaving there only, as would be our entire obligation, all the wonderful weapons of peace, which we are told to exist in the 21st century)!.

…e hoje, pois já lá vão quase seis dezenas de anos, tentamos de novo sobreviver a outra guerra!. A tal que chamam a pandemia do maldito “coronavírus19”, que neste mundo considerado moderno, entre outras catástrofes, causou uma crise à desaceleração económica, que também infelizmente, envolve não só Europeus e Africanos, mas sim todo o mundo, que oxalá não, pode levar de novo ao doente abadonado, à família faminta, à criança que fica sem saber ler, a homens e mulheres, alguns sem abrigo, com a roupa em farrapos, lutando pela sobrevivência!. Tudo isto, no tal mundo moderno, onde nos dizem existir todas as armas da paz e todo o conforto para se viver saudável e prósperamente!. (And today, as it has been almost six dozen years, we try again to survive another war!. The one called the cursed pandemic “coronavirus19”, which in this world considered modern, among other catastrophes, caused a crisis to the economic slowdown, which also unfortunately, involves not only Europeans and Africans, but the whole world, which hopefully not, he can take the sick sick, the hungry family, the child who is unable to read, men and women, some homeless, with their clothes in tatters, fighting for survival again!. All of this, in such a modern world, where we are told that there are all the weapons of peace and all the comfort to live healthy and prosperously)!.

…continuando com o “hoje”, quando rebenta uma guerra ou qualquer conflito, as pessoas normalmente dizem: “NÃO PODE DURAR MUITO, SERIA ESTÚPIDO”!. Sem qualquer dúvida, uma guerra é muito estúpida, mas isso infelizmente não a impede de durar, porque a estupidez insiste sempre, e compreendê-la-íamos melhor, se não pensássemos sempre em nós, porque salvo raras excepções, os nossos concidadãos, pensam em si próprios!. (Continuing with “today”, when a war or any conflict breaks out, people usually say: “IT CANNOT LAST LONG, IT WOULD BE STUPID”!. Without a doubt, a war is very stupid, but that unfortunately does not prevent it from lasting, because stupidity always insists, and we would understand it better, if we did not always think of ourselves, because with rare exceptions, our fellow citizens, think themselves)!.

…isto, talvez será um aviso, porque a natureza é muito inteligente!. Vamos pressupor que os flagelos, tal como este maldito “coronavírus19” eram impossíveis de existir?. As pessoas continuavam com o consumismo, a adquirir bens não necessários, a preparar viajens dispendiosas, a fazer os seus negócios maldosos de enriquecimento rápido com negócios próprios e egoístas, sendo os principais responsáveis por milhões de mortes, tanto de humanos como de espécies animais ao longo da nossa história e, a cada ano, testemunhamos pelo menos algumas dessas anomalias terríveis!. Em outras palavras, as pessoas, onde nós nos incluímos, julgamo-nos livres e, infelizmente “nunca ninguém será livre, enquanto existirem estes flagelos, tal como esta maldita epidemia “coronavírus19”!. (This, perhaps, will be a warning, because nature is very intelligent!. Are we going to assume that scourges, like this damned “coronavirus19” were impossible to exist?. People continued with consumerism, purchasing unnecessary goods, preparing expensive trips, doing their evil business of quick enrichment with selfish and selfish businesses, being the main responsible for millions of deaths, both of humans and animal species around the world, throughout our history and, each year, we witness at least some of these terrible anomalies!. In other words, people, where we include ourselves, think of ourselves as free and, unfortunately “no one will ever be free, as long as these scourges exist, just like this damned epidemic “coronavirus19”)!.

…mas vamos à parte da sobrevivência!. No momento actual, para lá do nosso espaço, apesar da nossa já um pouco avançada idade, continua a existir um mundo que nos preocupa, e ver as pessoas usando luvas e máscara, sem o telemóvel colado às mãos, com os olhos embaciados cheios de nada, cria em nós uma certa confusão de vazio, um certo distanciamento, um ar doentio de medo e desorientação que nos dá também uma certa frustação!. (But let’s go to the survival part!. At the present moment, beyond our space, despite our already a little old age, there is still a world that worries us, and to see people wearing gloves and a mask, without the cell phone glued to their hands, with misty eyes full of nothing, creates in us a certain confusion of emptiness, a certain distance, a sickly air of fear and disorientation that also gives us a certain frustration)!.

…como tal, cá vão de novo as tais recomendações de sobrevivência, numa linguajem normal, (sem aqueles termos técnicos que poucos compreendem), e que agora fica acessível a todos, ou quase todos!. (As such, here are those survival recommendations again, in a normal language, (without those technical terms that few understand), and that is now accessible to everyone, or almost everyone)!.

…em algumas nações, os seus governantes felizmente tomaram várias acções para mitigar alguns desafios de acessibilidade que poderiam surgir ou impedir o acesso oportuno aos testes e tratamento do maldito “coronavírus19”, porque actualmente não existe vacina para prevenir esta maldita doença e, a melhor maneira de prevenir doenças é evitar ser exposto a elas, pois pensa-se que este vírus se espalhe principalmente de pessoa para pessoa, especialmente entre pessoas que estão em estreito contacto umas com as outras, pelo menos até um metro e meio de distância!. (In some nations, their leaders have happily taken several actions to mitigate some accessibility challenges that could arise or prevent timely access to tests and treatment of the damn “coronavirus19”, because currently there is no vaccine to prevent this damn disease and, the best way to prevent diseases is to avoid being exposed to them, as this virus is thought to spread mainly from person to person, especially among people who are in close contact with each other, at least up to a meter and a half away)!.

…através de gotículas respiratórias produzidas, quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou fala, essas gotículas podem pousar na boca ou no nariz de pessoas próximas ou possivelmente inaladas nos pulmões, como é o caso do Influenza, o vírus responsável por uma normal gripe, porque infelizmente alguns estudos recentes sugeriram que esta pandemia pode ser transmitida por pessoas que não apresentam sintomas!. (Through respiratory droplets produced when an infected person coughs, sneezes or speaks, these droplets can land on the mouth or nose of people close to or possibly inhaled into the lungs, such as Influenza, the virus responsible for a normal flu, because unfortunately some recent studies have suggested that this pandemic can be spread by people who have no symptoms)!.

…portanto, lave as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente depois de estar num local público ou depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar!. Se água e sabão não estiverem prontamente disponíveis, use um desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 60% de álcool!. Cubra todas as superfícies de suas mãos e esfregue-as juntas até que se sintam secas, evitando etretanto tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas!. (Therefore, wash your hands frequently with soap and water for at least 20 seconds, especially after being in a public place or after blowing your nose, coughing or sneezing!. If soap and water are not readily available, use a hand sanitizer that contains at least 60% alcohol!. Cover all surfaces of your hands and rub them together until they feel dry, avoiding however touching your eyes, nose and mouth with your unwashed hands)!.

…evite contato próximo com pessoas doentes, mesmo dentro de sua casa!. Se possível, mantenha um metro e meio entre a pessoa doente e outros membros da família!. Coloque distância entre você e outras pessoas fora de sua casa, pois lembre-se de que algumas pessoas sem sintomas podem espalhar esta pandemia, ficando sempre a pelo menos 6 pés (cerca de 2 braços) de outras pessoas!. (Avoid close contact with sick people, even inside your home!. If possible, keep five feet between the sick person and other family members!. Put distance between you and other people outside your home, as remember that some people without symptoms can spread this pandemic, always staying at least 6 feet (about 2 arms) from other people)!.

…não se reúna em grupos!. Fique longe de lugares lotados e evite reuniões em massa, porque manter distância de outras pessoas é especialmente importante para pessoas com maior risco de ficarem muito doentes!. No entanto, a recomendação do uso de máscara pode não ser sustentada por robusta evidência produzida por ensaios clínicos, mas é justificada pelo “princípio da precaução”, pois neste momento, o uso da máscara, trata-se de uma medida cívica que pode permitir o reinício da convivência social e da atividade económica de forma mais segura e solidária!. (Do not meet in groups!. Stay away from crowded places and avoid mass meetings, because keeping your distance from other people is especially important for people at greater risk of becoming very sick!. However, the recommendation to use a mask may not be supported by robust evidence produced by clinical trials, but it is justified by the “precautionary principle”, because at this moment, the use of the mask is a civic measure that may allow the restart of social coexistence and economic activity in a more secure and solidary way)!.

…cobrir tosses e espirros!. Se estiver num ambiente privado e não tiver cobertura no rosto com a máscara, “a nossa principal proteção é a máscara do outro”, lembre-se de sempre cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel quando tossir ou espirrar ou usar a parte interna do cotovelo, (tal como se fazia quando crianças, que nos assoávamos do ranho do nariz), jogando imediatamente o lenço de papel no lixo, lavando de seguida as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, e claro, se sabão e água não estiverem prontamente disponíveis, limpe as mãos com um desinfetante para as mãos que contenha pelo menos 60% de álcool!. (Cover coughs and sneezes!. If you are in a private environment and you don’t have a mask on your face, “our main protection is the other’s mask”, remember to always cover your mouth and nose with a tissue when you cough or sneeze or use the inner part of the elbow, (as we did when we were children, we would blow our nose snots), immediately throwing the tissue in the trash, then washing our hands with soap and water for at least 20 seconds, and of course, if soap and water are not readily available, clean your hands with a hand sanitizer that contains at least 60% alcohol)!.

…limpe e desinfecte diariamente as superfícies tocadas com frequência!. Isto inclui mesas, maçanetas, interruptores de luz, bancadas, pegas, telefones, teclados, banheiros, torneiras ou pias!. Se as superfícies estiverem sujas, limpe-as, usando um detergente ou sabão e água antes da desinfecção!. Em seguida, use um desinfetante, nem que seja doméstico!. (Clean and disinfect frequently touched surfaces daily!. This includes tables, doorknobs, light switches, countertops, handles, telephones, keyboards, bathrooms, taps or sinks!. If the surfaces are dirty, clean them using a detergent or soap and water before disinfection!. Then use a disinfectant, even if it’s domestic)!.

…sobretudo, esteja alerta para os sintomas!. Observe febre, tosse, falta de ar ou outros sintomas, especialmente se você estiver executando as suas tarefas essenciais, ou mesmo no local de trabalho ou em qualquer outro local onde pode ser difícil manter uma distância física de 1,5 metros!. É muito importante tomar a sua temperatura se os sintomas se estiverem a desenvolver, no entanto, não tome a sua temperatura dentro de 30 minutos após o exercício ou após tomar medicamentos que possam diminuir sua temperatura!. (Above all, be alert to the symptoms!. Observe for fever, cough, shortness of breath or other symptoms, especially if you are performing your essential tasks, or even at the workplace or anywhere else where it can be difficult to maintain a physical distance of 1.5 meters!. It is very important to take your temperature if symptoms are developing, however, do not take your temperature within 30 minutes after exercising or after taking medications that can lower your temperature)!.

…depois disto, desejamos-lhe muita, mesmo muita boa sorte, porque o mundo enfrenta uma dolorosa epidemia, ainda sem fim à vista e, mais máscara menos máscara, o nosso nariz voltará a estar entupido e a desanuviar, as flores vão desabrochar e a ficar murchas, os passarinhos vão cantar ou a ficar calados e tristes, e as pessoas, quer queiram quer não, vão voltar ao consumismo selvagem, assistindo a uma propaganda nos meios de comnicação, cada vez mais pornográfica!. (After this, we wish you a lot, even a lot of good luck, because the world faces a painful epidemic, still with no end in sight and, more mask less mask, our nose will be clogged and clear again, the flowers will bloom and wilt, the birds will sing or be silent and sad, and people, whether they like it or not, will return to wild consumerism, watching an advertisement in the media, increasingly pornographic)!.

Tony Borie, May 2020.

…começando a fumar!. (Starting to smoke)!.


…começando a fumar!. (Starting to smoke)!.

…a idade vai sendo cada vez mais longa, tal como as noites, onde pela madrugada já estamos despertos e, tal como já por diversas vezes mencionamos, a maldição de um veterano combatente, é que nunca esquece!. Uma vez que sentimos o perigo mortal, o horror puro, o mêdo, num campo de batalha, ficamos marcados para o resto da vida, tal como se fosse uma bala cravado no corpo, que a equipa médica retirou, mas só a parte física, pois essa bala continua lá dentro, no local mais sensível, onde nos continua a doer, ao mais leve toque!. (The age is getting longer and longer, as are the nights, where by dawn we are already awake and, as we have already mentioned several times, the curse of a combatant soldier, is that he never forgets!. Once we feel the mortal danger, the pure horror, the fear, in a battlefield, we are marked for the rest of our lives, as if it were a bullet stuck in the body, which the medical team removed, but only the physical part, because that bullet is still inside, in the most sensitive place, where it continues to hurt us, at the slightest touch)!.

…vamos escrevendo com a intenção de que a nossa dor sirva de exemplo, sobretudo para os jovens, para que nunca se envolvam em nenhum conflito armado!. Temos alguma experiência de vida, já por nós passaram muitas primaveras floridas, muitas temperaturas tórridas de verão, chuvas torrenciais de outono e muitos frios glaciares de inverno, contudo, a força que nos faz mover os dedos, ao passar pelo computador, é o reflexo de momentos de horror, mêdo e angústia, de um veterano de guerra, que deu os melhores anos da sua jovem vida em defesa do seu País, numa guerra sangrenta em África, a milhares de quilómetros da aldeia onde nasceu, combatendo pessoas, que nenhum mal lhe tinham feito antes e, que nem sequer conhecia!. (We are writing with the intention that our pain will serve as an example, especially for young people, so that they never get involved in any armed conflict!. We have some life experience, many flowering springs have passed through us, many torrid summer temperatures, torrential autumn rains and many cold winter glaciers, however, the force that makes us move our fingers, when passing through the computer, is the reflection of moments of horror, fear and anguish, of a war veteran, who gave the best years of his young life in defense of his country, in a bloody war in Africa, thousands of kilometers from the village where he was born, fighting people, that none they had barely done it before, and that they didn’t even know)!.

…esta é uma das razões porque hoje mostramos ao mundo, todas estas memórias, daquele conflito armado em África, que envolveram muitas cenas de horror, mêdo e angústia, num cenário de uma guerra terrestre de guerrilha, onde éramos o “Cifra”, um soldado desarmado, onde a disciplina de um campo de batalha não era lá muito eficaz para a nossa sobrevivência, onde um pequeno descuido ou desleixo, onde as emboscadas, minas ou fornilhos, podiam a qualquer momento fazer com que a nossa alma nos abandonasse, na procura de uma qualquer galáxia distante!. (This is one of the reasons why today we show the world, all these memories, of that armed conflict in Africa, which involved many scenes of horror, fear and anguish, in a scenario of a terrestrial guerrilla war, where we were the “Cipher”, an unarmed soldier, where the discipline of a battlefield was not very effective for our survival, where a small carelessness or neglect, where ambushes, mines or bowls, could at any moment make our soul abandon us , in search of any distant galaxy)!.

…num cenário onde uma tijela de arroz ou um naco de pão era mais importante do que uma ração de combate, às vezes até mesmo do que a espingarda metralhadora G-3, onde os campos abandonados da plantação de arroz, se transformaram em pântanos perigosos, onde o volume e o ruído do fogo inimigo nos trazia estarrecidos, onde só talvez, o excesso de álcool, nos dava algum miserável conforto!. (In a scenario where a bowl of rice or a loaf of bread was more important than a combat ration, sometimes even than the G-3 machine gun, where the abandoned fields of the rice plantation turned into dangerous marshes, where the volume and noise of enemy fire made us terrified, where only perhaps, the excess of alcohol, gave us some miserable comfort)!.

…enfim, memórias, memórias, onde não se encontra explicação para as injustiças, alguns actos de profunda repugnância e violência, onde resultaram, combates, mêdo, fúria e muitas mortes!. (Finally, memories, memories, where there is no explanation for injustices, some acts of deep disgust and violence, which resulted in fighting, fear, fury and many deaths)!.

…mas vamos à história de hoje, que na verdade não é uma história, mas sim um relato violento passado num cenário de combate, onde os humanos se odeiam, matando-se mútuamente!. (But let’s go to today’s story, which is not really a story, but a violent story set in a combat scenario, where humans hate each other, killing each other)!.

…quando ali chegámos, ao interior da então província da Guiné Portuguesa, estacionámos numa aldeia onde ajudámos a construir um aquartelamento militar, que poderíamos considerar um “Posto Avançado”, ou seja, um lugar onde os militares de combate, tomavam conhecimento das primeiras savanas, rios, riachos, bolanhas, (terras lamacentas de cultivo de arroz), pântanos e florestas de trilhas frescas, usadas pelos guerrilheiros que lutavam pela independência do seu território, querendo libertar-se da presença dos Europeus, que por ali andavam há quase quinhentos anos!. (When we arrived there, in the interior of the then province of Portuguese Guinea, we parked in a village where we helped to build a military barracks, which we could consider an “Outpost”, that is, a place where the combat military, took notice of the first savannas, rivers, streams, bolanhas, (muddy lands of rice cultivation), swamps and forests of fresh trails, used by the guerrillas who fought for the independence of their territory, wanting to free themselves from the presence of Europeans, who had been walking there for almost five hundred years)!.

…no início, montámos o nosso acampamento improvisando, utilizando tudo o que nos parecia útil, junto de um antigo edifício em ruínas, que todos acreditavam que tinha sido usado por padres de uma ordem religiosa francesa!. (At the beginning, we set up our camp improvising, using everything that seemed useful to us, next to an old ruined building, which everyone believed had been used by priests of a French religious order)!.

…um nosso companheiro, baptizado com o nome de guerra “Marafado”, soldado pequeno na estatura, magro e moreno, talvez por andar sempre com o corpo descoberto, sem camisa, e que fazia parte do Pelotão de Morteiros, era oriundo da província do Algarve, no sul de Portugal, dizendo que era capaz de convidar o taverneiro da sua aldeia para beber um copo, e no final não pagava, pois o taverneiro, oferecia o vinho!. (A companion of ours, baptized with the war name “Marafado”, a small soldier in stature, thin and dark, perhaps because he always walked with his body uncovered, without a shirt, and who was part of the Platoon of Morteiros, came from the Algarve province, in the south of Portugal, saying that he was able to invite the tavern keeper from his village to drink a glass, and in the end he didn’t pay, because the tavern keeper, offered the wine)!.

…foi baptizado com este nome, porque cantava uns fados, muito desafinados, e não podia ver a caneca do café, cheia de vinho, que logo bebia, nos intervalos em que tirava o cigarro “três vintes” da boca, mostrando já uns dentes bastante escuros, aliás como quase todos os militares ali estacionados, devia de ser da água e, dizia-nos com frequência que “não era pássaro de gaiola”!. (He was baptized with this name, because he sang some fados, very out of tune, and he could not see the coffee mug, full of wine, which he soon drank, in the intervals when he took the cigarette “three vintes” from his mouth, showing already some very dark teeth, in fact like almost all the soldiers stationed there, it must be from the water and, he often told us that “it was not a bird in a cage”)!.

…em especial pela manhã, quase sempre se dirigia a uma aldeia com casas cobertas de colmo que existia perto do aquartelamento, indo para lá, com a ideia de conversar com alguém, ver as raparigas, comer fruta de cajú, às vezes beber aguardente de palma!. Nesse para nós miserável dia, para encurtar caminho, aliás como quase sempre fazia, passa mais ou menos pelo meio do edifício em ruínas, e vê, ao lado de uma parede de adobe, em ruínas também, dois corpos de africanos, quase nús, esticados no chão!. (Especially in the morning, he almost always went to a village with thatched houses that existed near the quarter, going there, with the idea of talking to someone, seeing the girls, eating cashew fruit, sometimes drinking palm brandy!. On that miserable day for us, to shorten the path, moreover, as he almost always did, he passes more or less through the middle of the ruined building, and sees, next to an adobe wall, also in ruins, two bodies of Africans, almost naked, stretched on the floor)!.

…fica arrepiado, colhido pelo mêdo!. Pára, põe as mãos na cara e aproxima-se!. Um cheiro esquisito vem dos corpos, já sem vida, no chão!. Não acreditando, no que vê, vai ao encontro de alguém mais velho na província, e questiona!. Esse alguém, vendo a cara e a atitude do “Marafado”, mostrando pânico e desespero, encolhe os ombros, acende um cigarro e responde:

   – Qual é o teu problema?. Chegaste ontem à guerra?. Pois sejas benvindo!.

…e mais lhe disse:

   – Hó pá, isso com toda a certeza, que é o resultado dos interrogatórios, que se realizaram durante toda a noite, por essa polícia, (PIDE, Polícia Internacional e de Defesa do Estado), que anda aí, e que eu até tenho medo de falar no nome dela, pois lá na minha aldeia, muitos foram presos só de falar nesse nome!. Também esse gajo africano, que ajuda nos interrogatórios, usa o cavalo marinho, como se fosse um autêntico vaqueiro do oeste americano!. Até dizem que bate com um arame dobrado!. Tu não viste, como a luz falhava de vez em quando esta noite?. Olha que o problema não foi do gerador, que trabalhou toda a noite!.

(Gets goosebumps, caught by fear!. Stop, put your hands on your face and get closer!. A strange smell comes from the bodies, already lifeless, on the floor!. Not believing, in what he sees, he meets someone older in the province, and questions!. That someone, seeing the face and attitude of “Marafado”, showing panic and despair, shrugs, lights a cigarette and replies:

    – What’s your problem?. Did you arrive at the war yesterday?. Well be welcome!.

… and more I said:

   – Hey man, that’s for sure, which is the result of interrogations, which were carried out all night, by this police, (PIDE, International Police and State Defense), who are there, and that I even have afraid to speak in her name, because there in my village, many were arrested just for speaking in that name!. This African guy, who helps with interrogations, also uses the seahorse, as if he were an authentic cowboy from the American West!. They even say it hits with a bent wire!. You didn’t see, how the light failed from time to time tonight?. Look, the problem was not with the generator, which worked all night)!.

…o cenário macabro, que acabou de presenciar, com os seus próprios olhos, acompanhou-o em pensamento, pelo menos, durante todo o resto da sua comissão de serviço na dita província e, quando nos veio falar, pois éramos companheiros amigos, disse-nos, com as mãos na cabeça:

    – Estes desgraçados, não resistiram!. O que teriam feito?. Isto é mesmo a sério!. Não é como nos filmes que eu via, na televisão, quando bebia o meu copo na taverna da aldeia, em Portugal!.

(The macabre scenario, which he just witnessed, with his own eyes, accompanied him in thought, at least, during all the rest of his service commission in that province and, when he came to speak to us, as we were fellow friends, he told us, hands on his head:

   – These bastards, they couldn’t resist!. What would they have done?. This is really serious!. It is not like in the movies I saw on television when I drank my glass in the village tavern in Portugal)!.

…nós, fomos ao local e era mesmo verdade, quase todos os militares sabiam que era verdade!. Estavam lá, os desgraçados, mortos, tesos, com o tal cheiro esquisito, e só com um farrapo a cobrir-lhe os orgãos genitais, via-se um pouco das costas, com marcas de chicote, ou qualquer outro objecto, na área dos pulsos tinham marcas com sangue, os olhos de um, estavam abertos, e as faces do rosto, mostravam aflição!. Esse cadáver, tinha mais marcas de sangue nas pernas e no peito, e uma marca profunda em todo o redor do pescoço, talvez de um arame!. (We went to the place and it was really true, almost all the military knew it was true!. They were there, the bastards, dead, stiff, with such a strange smell, and only with a rag covering their genitals, could they see a little bit of the back, with whip marks, or any other object, in the area of the wrists were marked with blood, the eyes of one were open, and the cheeks of the face showed distress!. This corpse, had more blood marks on the legs and chest, and a deep mark all around the neck, maybe a wire)!.

…esta cena horrível, ficou gravada na nossa memória para toda a vida e, jurámos ali mesmo que não iríamos morrer, sem a divulgar!. (This horrible scene, was recorded in our memory for life and, we swore right there that we would not die without disclosing it)!.

…ao cair da tarde, desse mesmo dia, já muito perto da noite, uns tantos prisioneiros, comandados por esse tal africano, que colaborava com a tal polícia nos interrogatórios, retiraram os corpos do local, e caminharam em direcção ao sul, saindo das ruínas!. Passado pouco tempo, para esse lado, viu-se um enorme clarão, do que talvez tivesse sido uma grande fogueira!. (At dusk, on the same day, already very close to night, a few prisoners, commanded by this African man, who collaborated with the police in the interrogations, removed the bodies from the place, and walked towards the south, leaving the ruins!. After a short while, to that side, there was a huge flash of what might have been a big fire)!.

…tanto nós como o “Marafado”, quando nos encontrávamos, a primeira coisa em que pensávamos, era na imagem dos dois corpos, direitos, firmes, em cima dos ombros dos prisioneiros, que começaram a caminhar e desapareceram com o cair da noite, rumo ao sul!. (Both we and “Marafado”, when we met, the first thing we thought about was the image of the two bodies, straight, firm, on the shoulders of the prisoners, who started walking and disappeared with the fall of the night, heading south)!.

…a partir desse momento, o “Marafado”, era outro homem e deixou de cantar!. E nós, de achar graça a certas piadas, que se contavam a respeito dos guerrilheiros, convivendo e respeitando ainda mais o povo africano, que eram pessoas, sobretudo com sentimentos, pelo menos nos seus usos e costumes!. (From that moment on, the “Marafado”, was another man and stopped singing!. And we, to find grace in certain jokes, which were told about the guerrillas, living and respecting even more the African people, who were people, especially with feelings, at least in their uses and customs)!.

…e começando a criar algumas rugas na testa, a roer as unhas em sinal de nervosismo, a perder o control algumas vezes, sendo mesmo agressivos na nossa linguagem, olhámos para o companheiro “Marafado”, dizendo-lhe:

   -dá-me um cigarro!.

(And starting to create some wrinkles on his forehead, biting his nails as a sign of nervousness, losing control sometimes, even being aggressive in our language, we looked at our companion “Marafado”, saying:

   – Give me a cigarette)!.

Tony Borie, May 2020.

…o lixo é nosso, a natureza é de todos!. (The garbage is ours, nature belongs to everyone)!.

…o lixo é nosso, a natureza é de todos!. (The garbage is ours, nature belongs to everyone)!.

…um dia, viajando pelo oeste, entrámos num desses restaurantes económicos de aldeia onde não havia qualquer pessoa a servir e, logo à entrada havia um letreiro que dizia, “a tua mãe não está aqui, como tal limpa o que sujares”!. (One day, traveling in the west, we entered one of those cheap village restaurants where there was no one to serve and, right at the entrance there was a sign that said, “your mother is not here, so clean up whatever you dirty”)!.

…ao longo das nossas vidas existiram muitos desastres naturais, alguns devastadores, todavia, as guerras, as pestes ou a ganância dos humanos não respeitando a Mãe Natureza e com pensamentos de enriquecimento rápido com negócios próprios e egoístas, têm sido os principais responsáveis por milhões de mortes, tanto de humanos como de espécies animais ao longo da nossa história e, a cada ano, testemunhamos pelo menos algumas dessas anomalias terríveis!. (Throughout our lives there have been many natural disasters, some devastating, however, the wars, pests or greed of humans not respecting Mother Nature and with thoughts of getting rich quick with their own and selfish businesses, have been primarily responsible for millions of deaths, both of humans and animal species throughout our history and, each year, we witness at least some of these terrible anomalies)!.

…no entanto, embora tenha havido muitas injustiças, causando mortes, fome e miséria, também existem muitas histórias de sobrevivência heróicas e, neste momento menos feliz com o aparecimento do maldito “Coronavírus19”, deve ser esse o ponto em que nos devemos focar, ou seja, na sobrevivência, na esperança de que tudo vai passar e, dias melhores virão por aí!. (However, although there have been many injustices, causing deaths, hunger and misery, there are also many stories of heroic survival and, at this moment less happy with the appearance of the damn “Coronavirus19”, this must be the point where we must focus, that is, on survival, in the hope that everything will pass and, better days will come around)!.


…lembrando os golfinhos que na semana que passou nos acompanharam pela baía de Matanzas por algum tempo, que para nós naquele precioso momento representavam o que de bom a natureza ainda nos reserva, pareciam treinados e comandados, enviados não sabemos por quem nem porquê, talvez, pensamos nós, para nos lembrar o estilo de vida que o ser humano tem levado, o caminho que o mundo tem seguido, rumo à sua possível exterminação, onde inexoravelmente tudo pode acabar!. (Remembering the dolphins that last week accompanied us through the bay of Matanzas for some time, which for us at that precious moment represented what good nature still has in store, seemed trained and commanded, sent we don’t know by whom or why , perhaps, we think, to remind us of the lifestyle that the human being has taken, the path that the world has followed, towards its possible extermination, where inexorably everything can end)!.

…o maldito “Coronavírus19” anda por aí matando, criando fome e miséria, sem honra nem glória, e pensamos nós que, perante o desabar dos seus equilíbrios, um dia a Mãe Natureza se iria a sério zangar, mostrando-nos que perante a sua força, com todos os desrespeitos e afrontas, iria determinar o fim de todos os que durante as últimas décadas a hostilizaram, e como acima já referimos, a capturaram para negócios próprios e egoístas, sem tratarmos de que ela, a natureza era de todos, e de todos, um património a preservar!. (The damn “Coronavirus19″ is out there killing, creating hunger and misery, without honor or glory, and we think that, before the collapse of their balance, one day Mother Nature would be seriously angry, showing us that in the face of her strength, with all the disrespect and affront, she would determine the end of all those who over the past few decades had harassed her, and as we have already mentioned, captured her for her own selfish business, without considering that she, nature was of all, and of all, a heritage to preserve)!.

…talvez com este aviso queira e exija que mudemos de vida e de paradigma!. Talvez esteja exigindo que sendo todos nós mortais e, assim sendo iguais a todos os demais, devemos pensar no bem comum, e ela, a natureza, queira dizer que somos todos iguais quer para o bem quer para o mal, parecendo-nos tudo isto uma paragem no tempo, onde ela, depois de nos fazer pensar a nós os humanos, renascerá ainda mais pujante e pródiga, sempre pronta a nos censurar se mais uma vez for desrespeitada!. (Maybe with this warning you want and demand that we change our life and paradigm!. Perhaps it is demanding that since we are all mortals and, therefore, being the same as everyone else, we must think about the common good, and it, nature, means that we are all equal, whether for good or for evil, looking like all of this. a stop in time, where she, after making us think of us humans, will be reborn even more vigorous and lavish, always ready to censor us if she is once again disrespected)!.

…parados os automóveis e o tráfico em geral, com as ruas das cidades, vilas e aldeias quase desertas, talvez outro ar seja possível respirar, embora usando a “máscara”, quase nos apetece dizer, “abram as janelas e deixem o ar de novo entrar, encham os pulmões deste ar puro, obrigado Mãe Natureza por mais uma vez nos ter feito pensar”!. No entanto, aqueles que a respeitam, também têm algum direito de lhe perguntar, “quando poderemos retornar à nossa normal vida”?. (With cars and traffic in general stopped, with the streets of cities, towns and villages almost deserted, perhaps another air is possible to breathe, although using the “mask”, we almost feel like saying, “open the windows and leave the air again, fill the lungs with this pure air, thank you Mother Nature for once again making us think ”!. However, those who respect it, also have some right to ask, “when can we return to our normal life”)?.

…queremos acreditar que a maior parte dos riscos existenciais criados pelos seres humanos não é intencional, mas à medida que a ciência e a tecnologia avançam, é cada vez mais preocupante a possibilidade de ataques catastróficos propositados, como, por exemplo, a criação de um vírus de laboratório usando biotecnologia, e infelizmente, se houvesse um botão a dizer “fim do mundo”, que pudesse destruir-nos a todos, há um número preocupante de pessoas que escolheria usá-lo, e esse sim, é o grande problema da humanidade!. (We want to believe that most of the existential risks created by humans are unintentional, but as science and technology advance, the possibility of purposeful catastrophic attacks, such as creation of a laboratory virus using biotechnology, and unfortunately, if there was a button saying “end of the world” that could destroy us all, there are a worrying number of people who would choose to use it, and that is the big thing problem of humanity)!.

…até lá, que venha outra primavera, o despertar das flores, crianças brincando felizes e sem fome, o cantar da passarada, as montanhas com neve, os campos verdejantes com papoilas selvagens, os oceanos limpos com água azul e verde e os golfinhos nadando, vindo visitar-nos na baía do Rio Matanzas!. No entanto, algo nos diz que o mundo mudou por acção do ser humano, que já nada será igual ao que foi noutros tempos e, alguma coisa se está a desmoronar ao nosso redor, como tal, é muito importante manter-nos seguros durante esta “tempestade”!. (Until then, let another spring come, the awakening of flowers, children playing happily and without hunger, the singing of the birds, the snowy mountains, the green fields with wild poppies, the clean oceans with blue and green water and the dolphins swimming, coming to visit us in the Matanzas River bay!. However, something tells us that the world has changed due to human action, that nothing will be the same as it was in the past, and something is falling apart around us, so it is very important to keep us safe during this “storm”)!.

…e nós, estando ao lado de todas as famílias que perderam os seus entes queridos pelo motivo do maldito “Coronavírus19”, estamos a ficar “empanturrados” com as notícias constantes que nos aparecem nos meios de comunicação social, como tal desliga-mos a TV e o computador, voltando a ligá-los lá para o final da tarde, já um pouco livres do cansaço e das vozes delirantes dos locutores, que com um sorriso nos lábios, nos anunciam as desgraças que por aí vão e, da publicidade, por vezes pornográfica e enganosa, aconselhando-nos ao consumismo selvagem!. (And we, being with all the families that lost their loved ones due to the damn “Coronavirus19”, are getting “stuffed” with the constant news that appears to us in the media, as such we turn on the TV and the computer, turning them back on towards the end of the afternoon, already a little free from the tiredness and the delirious voices of the announcers, who with a smile on their lips, announce the misfortunes that go on and on, advertising, at times pornographic and misleading, advising us of wild consumerism)!.

…quando saírem à rua, usem o equipamento de proteção e até para a semana, talvez!. (When you go out on the street, wear protective equipment and even for the week, maybe)!.

Tony Borie, May 2020.

…olá!. Já vamos saindo à rua!. (Hello!. We are already going out on the street)!.!.

…olá!. Já vamos saindo à rua!. Claro…, levando o equipamento de proteção, tal como se tratasse de uma simples camisola ou mesmo uns sapatos, pois é a nova realidade de vida, ou seja, uma nova época, a época do “Coronavirus19”!. (Hello!. We are already going out on the street!. Of course…, taking the protective equipment, as if it were a simple sweater or even shoes, as it is the new reality of life, that is, a new era, the era of “Coronavirus19”)!.

…felizmente, ainda não fazemos parte dos mais ou menos dois milhões de pessoas contabilizadas no mundo que dizem moderno, (porque infelizmente devem de haver muito mais, todavia não são ainda contabilizadas), que já contrairam a infeção do maldito “Coronavirus19”, das quais, infelizmente, algumas não se conseguiram libertar!. (Fortunately, we are still not part of the more or less two million people in the world who say modern, (because unfortunately there must be a lot more, yet they are not yet accounted for), who have already contracted the infection from the damn “Coronavirus19”, of which, unfortunately, some have not managed to break free)!.

…de acordo com os professionais da medicina, nós, nesta já um pouco avançada idade, entre outros “adjectivos”, que para nós é um “palavrão” que se junta ao substantivo para o qualificar, somos classificados como “pessoas de alto risco”!. Como tal, sempre respeitando as ditas normais pessoas, sentimo-nos no direito de ser um pouco desarrumados, (não com a nova realidade do equipamento de proteção), de ser livres, pois já vimos muitos amigos queridos e familiares deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento!. (According to medical professionals, we, in this slightly advanced age, among other “adjectives”, which for us is a “bad word” that joins the noun to qualify it, are classified as “people of high risk”!. As such, always respecting so-called normal people, we feel entitled to be a little untidy, (not with the new reality of protective equipment), to be free, as we have seen many dear friends and family leave this world too soon, before they understand the great freedom that comes with aging)!.

…e hoje, pensando um pouco no momento em que vivemos, em que a vida humana está em constante perigo com o aparecimento destes novos malditos vírus, para os quais nós os humanos, que nos julgamos superiores e acima de tudo o que existe neste planeta que habitamos, ainda não temos resposta, quem nos vai censurar por fazer aquela viajem estúpida ao estado do Alaska, com muita aventura, dormindo na caravana, ou atravessar a ponte Golden Gate, na cidade de San Francisco, a pé, com todo aquele vento e nevoeiro por momentos e logo a seguir céu azul e sol radiante, por andar por aí na nossa bicicleta, armados em campeão de ciclo-cross, atravessando praias e riachos com alligators ou cobras, caindo aqui, levantando-nos ali!. (And today, thinking a little about the moment in which we live, when human life is in constant danger with the appearance of these damn new viruses, for which we humans, who consider ourselves superior and above all that exists on this planet we inhabit, still we have no answer, who is going to blame us for making that stupid trip to the state of Alaska, with a lot of adventure, sleeping in the caravan, or crossing the Golden Gate Bridge, in the city of San Francisco, on foot, with all that wind and fog for a moment and then blue sky and radiant sun, for riding around on our bike, armed in a cycle-cross champion, crossing beaches and streams with alligators or snakes, falling here, getting up there)!.

…ou até mesmo comprar algo supérfluo que não precisávamos, ou mesmo se resolvemos ficar a ler, ou a procurar novos horizontes no computador até tarde, se às duas, três ou quatro da madrugada, já não dormimos…, e depois…, talvez vamos dormir até meio-dia!. Se, como alguém já disse, nos apetecer dançar ao som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 60 e 70, e se…, ao mesmo tempo, quisermos chorar por um amor perdido, lá nossa aldeia da montanha…, dancemos e choramos, às vezes com baba e ranho!. (Or even buy something superfluous that we didn’t need, or even if we decided to stay reading, or look for new horizons on the computer until late, if at two, three or four in the morning, we no longer sleep…, and then…, maybe we’ll sleep until noon!. If, as someone has said, we feel like dancing to the wonderful hits of the 60s and 70s, and if…, at the same time, we want to cry for a lost love, there our mountain village…, we dance and we cry, sometimes with drool and snot)!.

…claro, tudo isto quando éramos livres, podendo transitar sem fronteiras!. No entanto, bocadino após bocadinho, com algum receio…, começámos a sair de casa e…, a primeira saída de lazer, ou seja, não ir ao médico, à farmácia ou fazer compras de géneros alimentícios…, foi ir aqui à vizinha praia de Matanzas, fazendo o que carinhosamente chamamos a “Trilha da Água”, que não é mais do que caminhar na praia em redor da entrada da baía do Rio Matanzas, levando no corpo uns comuns calções não muito apropriados, sobre um corpo decadente, mergulhando nas ondas com abandono, apesar dos olhares penalizados dos outros…, todavia, que nos há-de importar…, eles também vão envelhecer!. (Of course, all this when we were free, being able to move without borders!. However, bit by bit, with some fear…, we started to leave the house and…, the first leisure trip, that is, not going to the doctor, the pharmacy or shopping for foodstuffs…, went to the neighboring beach of Matanzas, doing what we affectionately call the “Water Trail”, which is nothing more than walking on the beach around the entrance to the Matanzas River bay, wearing ordinary shorts that are not very appropriate, on a decadent body, plunging into the waves with abandon, despite the penalized looks of others…, however, that will matter to us…, they will also grow old)!.

…caminhando, parando aqui e ali, rodeámos esta baía, com história de corsários, também rodeada de árvores, algumas com séculos de vida, que se falassem, nos contariam passagens de um mundo de outros tempos, talvez de batalhas navais, lutas territoriais mas, que hoje completam um cenário maravilhoso, cheio de beleza, charme e aventura!. (Walking, stopping here and there, we surrounded this bay, with history of corsairs, also surrounded by trees, some with centuries of life, that if they spoke, they would tell us passages from a world of other times, perhaps of sea battles, fights but which today complete a wonderful scenario, full of beauty, charm and adventure)!.

…e…, um casal de golfinhos nadavam por lá, a nossa dedicada esposa Isaura fotografou-os!. Acompanharam-nos por determinado tempo, dando-nos as “boas-vindas”, talvez querendo saber por onde andámos, sentindo a nossa ausência forçada de cativeiro!. (And…, a couple of dolphins were swam there, our dedicated wife Isaura photographed them!. They accompanied us for a certain time, giving us a “welcome”, perhaps wanting to know where we were, feeling our forced absence from captivity)!.

…as garças, tanto azuis como brancas, procuravam algo para comer, têm uma visão excelente, talvez um anglo de 360 graus, pois assim que nos aproximamos, param nos movimentos, olham-nos de lado e levantam vôo!. (The herons, both blue and white, were looking for something to eat, they have an excellent view, perhaps a 360 degree angle, because as soon as we get close, they stop in their movements, look at us from the side and take flight)!.

…somos uns abençoados por termos vivido o suficiente para já não ter muitos cabelos na cabeça, não ter o riso da juventude, pois muitos nunca riram, muitos dos nossos amigos, e lembramos os companheiros combatentes da guerra lá naquela Guiné africana, que morreram jovens…, muito antes de perderem o cabelo!. (We are blessed to have lived long enough to not have too much hair on our heads, not to have the laughter of youth, as many have never laughed, many of our friends, and we remember the fellow war fighters there in that African Guinea, who they died young…, long before they lost their hair)!.

…nós, agora ouvindo mais e argumentando menos, com os anos a passarem muito rápidos, temos o direito de algumas vezes ainda estar errados, como tal, também por ser idosos, a idade libertou-nos e gostamos da pessoa em que nos tornámos, embora sabendo que não vamos viver para sempre, pois o nosso futuro, com o aparecimento do maldito “Coronavírus19”…, pode começar e acabar daqui a um minuto, talvez segundos!. (We, now listening more and arguing less, with the years passing by too fast, we have the right to sometimes still be wrong, as such, also because we are elderly, age has set us free and we like the person we are in, we have come back, although knowing that we will not live forever, because our future, with the appearance of the damn “Coronavirus19″…, it can start and end in a minute, maybe seconds)!.

…tal como os golfinhos que nos vieram saudar, representando o que de bom ainda existe na natureza, também vos saudamos dizendo, “bem-vindos ao novo sistema de viver, com equipamento de proteção”!. (Just like the dolphins that came to greet us, representing the good that still exists in nature, we also greet you saying, “welcome to the new system of living, with protective equipment”)!.

…esperamos estar convosco na próxima semana, talvez!. (We hope to be with you next week, maybe)!.

Tony Borie, May 2020.

…precisamos de proteção! (We need protection)!

…olá, lá, já saímos à rua!. Fomos à vizinha cidade de Daytona, comprar alguns géneros alimentícios!. Sim…, levámos luvas e máscara!. (Hello, there, we have already taken to the street!. We went to the neighboring city of Daytona, to buy some food!. Yes… we took gloves and a mask!.

…algumas pessoas com quem nos cruzámos, também usavam máscara!. Dizemos algumas, porque da população humana do planeta Terra, na sua última contagem era de aproximadamente sete biliões de pessoas e…, neste momento, com a maldita pandemia “Coronavírus19”, já devem de ser menos…, portanto dizemos algumas!. (Some people we met, also wore a mask!. We say some, because of the human population of planet Earth, in its last count it was approximately seven billion people and…, at this moment, with the accursed pandemic “Coronavirus19”, it must be less…, so we say some)!.

…durante a viajem chovia!. Todavia, pouco nos importava, porque três quartos da superfície deste planeta é coberto por oceanos, deixando um quarto como terra, metade dessa área mais ou menos 14%, é deserta, altas montanhas ocupam 27%, outros terrenos são impróprios, ficando aproximadamente um oitavo da superfície da terra adequada para nós os seres humanos e, lá para o ano de 2022, se lá chegarmos…, espera-se que 60% da população mundial esteja a viver em áreas urbanas, fugindo das áreas rurais, ou seja do campo, onde se cultivam os géneros alimentícios mais saudáveis, porque aqueles que comprámos na vizinha cidade de Daytona, vinham de arcas frigoríficas!. (During the trip it rained!. However, it didn’t matter to us, because three quarters of the surface of this planet is covered by oceans, leaving a quarter as land, half of that area, roughly 14%, is deserted, high mountains occupy 27%, other lands are unsuitable, leaving approximately one eighth of the earth’s surface suitable for us humans and, by the year 2022, if we get there…, it is expected that 60% of the world population will be living in urban areas, fleeing rural areas, that is from the countryside, where the healthiest foodstuffs are grown, because those we bought in the neighboring city of Daytona, came from refrigerators)!.

…como ainda estamos confinados ao espaço do interior da nossa casa, que como já referimos em textos anteriores, nos faz sentir numa quase “depressão”, que afinal, se está a tornar num abaixamento de nível, num enfraquecimento, num abatimento, tanto físico como moral, que nos faz viver numa zona de baixa pressão atmosférica, em torno da qual o vento não sopra, seja em que direcção for e, o único movimento que vimos à nossa volta, são os ponteiros do relógio…, passamos muito do nosso tempo navegando pela internet!. (As we are still confined to the space inside our house, which, as we have already mentioned in previous texts, makes us feel almost “depressed”, which, after all, is becoming a lowering of the level, a weakening, an abatement, both physical and moral, which makes us live in an area of low atmospheric pressure, around which the wind does not blow, in any direction, and the only movement we saw around us are the hands of the clock…, we spend a lot of our time surfing the internet)!.

…e, vejam lá a nossa sorte!. Descobrimos que o Planeta Terra se formou há 4,5 biliões de anos, sendo o terceiro planeta do Sol, cuja luz nos ilumina, quando girando à sua volta, para ele ficamos virados e, é o único no Universo conhecido por abrigar vida!. Será?. Ninguém sabe ao certo, porque das poucas pessoas que vimos na vizinha cidade de Daytona, algumas usavam máscara, por tal pouco ou nada lhe víamos do rosto, parecendo-nos a nós…, pessoas de outro planeta!. (And, check out our luck!. We discovered that Planet Earth was formed 4.5 billion years ago, being the third planet from the Sun, whose light illuminates us, when turning around it, we face it, and it is the only one in the Universe known to harbor life!. It will be?. Nobody knows for sure, because of the few people we saw in the neighboring city of Daytona, some wore masks, for little or nothing we saw on their faces, looking like us…, people from another planet)!.

…nós os humanos, somos os únicos membros de determinada tribo, pertencente à família dos grandes símios!. Somos caracterizados por termos uma postura direita, movendo-nos através da acção dos membros inferiores, ou seja, das pernas, com uma alta destreza manual, com um cérebro maior, raciocínio e inteligência, usamos uma linguagem aberta e algo complexa, tudo isto, em comparação com outros animais, por tal motivo, nós seres humanos, além de tudo isto, agora também somos os principais transmissores da maldita pandemia “Coronavírus19”!. (We humans are the only members of a certain tribe, belonging to the great ape family!. We are characterized by having a straight posture, moving through the action of the lower limbs, that is, the legs, with a high manual dexterity, with a larger brain, reasoning and intelligence, we use an open and somewhat complex language, all of this, compared to other animals, for this reason, we humans, in addition to all this, now we are also the main transmitters of the cursed pandemic “Coronavirus19”)!.

…que trouxe uma catástrofe ao nosso planeta, onde se chegou ao ponto de que, além de tudo o que se vai vendo por aí, as Nações Unidas, vulgo ONU, que são uma organização intergovernamental que visa manter a paz e a segurança internacionais, desenvolvendo relações amistosas entre as nações, (oxalá que sim), diz que nos próximos tempos vai haver 135 milhões de pessoas com fome!. (That brought a catastrophe to our planet, where it got to the point that, in addition to everything that is seen there, the United Nations, aka UN, which are an intergovernmental organization that aims to maintain peace and security international, developing friendly relations between the nations, (hopefully so), says that in the near future there will be 135 million hungry people)!.

…isto sim, é uma catástrofe!. Pessoas, onde se incluem crianças…, com fome!. Onde a Mãe Natureza é soberana, é ela que dita as ordens, claro, respondendo ferozmente, quando é atacada pelo ser humano e, nada nos pode valer, nem a interação gravitacional entre a Terra e a Lua, que causa a maré oceânica e estabiliza a orientação da Terra no seu eixo, diminuindo gradualmente a sua rotação, nem governantes, que se julgam seres com mentes superiores, dizendo-nos que o “pico” já passou, nos vai trazer qualquer solução para a catástrofe que presentemente vivemos!. (This, is a catastrophe!. People, including children…, hungry!. Where Mother Nature is sovereign, she is the one who dictates the orders, of course, responding fiercely, when she is attacked by the human being and, nothing can help us, neither the gravitational interaction between the Earth and the Moon, which causes the oceanic tide and stabilizes the orientation of the Earth on its axis, gradually decreasing its rotation, nor rulers, who believe themselves to be beings with superior minds, telling us that the “peak” has passed, will bring us any solution to the catastrophe we currently live in)!.

…vamos ter que viver neste planeta, que se vai transformando na sua maneira de o usar!. Tudo vai ser diferente a partir de agora!. Vamos levar anos a nos habituar ao novo procedimento, talvez uma geração, mesmo que em breve se descubra a famigerada “vacina”!. A culpa é nossa, do ser humano!. O aparecimento do maldito “Coronavírus19”, tem algo de mão humana, porque o método de procedimento como tem usado e abusado deste planeta, mais cedo ou mais tarde, isto viria a acontecer!. (We will have to live on this planet, which will become your way of using it!. Everything will be different from now on!. It will take us years to get used to the new procedure, perhaps a generation, even if the infamous “vaccine” will soon be discovered!. It is our fault, of the human being!. The appearance of the accursed “Coronavirus19”, has something of a human hand, because the method of procedure as you have used and abused this planet, sooner or later, this would happen)!.

…não é por acaso que desde o ano de 1800, a população humana aumentou de um bilião para mais de sete biliões, talvez por esse motivo o ser humano procura novo território fora do Planeta Terra, pois já cerca de 487 pessoas visitaram o espaço sideral e chegaram à órbita e, destas, doze já caminharam na Lua, existindo mesmo uma Estação Espacial Internacional cuja população de seis pessoas, é substituída a cada seis meses!. (It is not by chance that since the year 1800, the human population has increased from one billion to more than seven billion, perhaps for this reason the human being seeks new territory outside Planet Earth, as already about 487 people have visited the outer space and reached orbit, and of these, twelve have already walked on the Moon, and there is even an International Space Station whose population of six people is replaced every six months)!.

…continuamos contentes, mesmo muito contentes por ainda por cá andarmos, mas reconhecemos que nós os humanos, tivémos e temos um efeito dramático no ambiente, somos predadores de ponta, sendo raramente atacados por outras espécies!. Actualmente, através do desenvolvimento da terra, combustão de combustíveis fósseis e poluição, acredita-se que os seres humanos sejam os principais contribuintes para a mudança climática global!. Se isso continuar no seu ritmo actual, está previsto que a mudança climática vai acabar com metade de todas as espécies de plantas e animais ao longo do próximo século!. (We are still happy, even very happy that we are still here, but we recognize that we humans, we had and have a dramatic effect on the environment, we are cutting edge predators, being rarely attacked by other species!. Today, through land development, combustion of fossil fuels and pollution, human beings are believed to be the main contributors to global climate change !. If that continues at its current pace, it is predicted that climate change will wipe out half of all species of plants and animals over the next century)!.


…se o ser humano, não parar com o sistema de tornar as coisa mais fáceis, tendo em vista o enriquecimento das sociedades complexas, que visam sòmente o lucro, o enriquecimento rápido, um dia, nunca ninguém saberá quando, se ainda existir uma coisa rara a que hoje chamamos água, se ainda houver árvores e florestas, se os peixes ainda nadarem nos rios, lagos e oceanos, ao que restar da existência humana, irá de novo ser sustentada pela caça, pesca e por uma agricultura sedentária, como fizeram há cerca de milhares de anos atrás, domesticando plantas e animais, permitindo assim o crescimento de uma nova civilização!. (If the human being does not stop with the system of making things easier, in view of the enrichment of complex societies, which only seek profit, rapid enrichment, one day, no one will ever know when, if it still exists a rare thing we call water today, if there are still trees and forests, if fish still swim in rivers, lakes and oceans, what remains of human existence, will again be supported by hunting, fishing and sedentary agriculture, as they did about thousands of years ago, domesticating plants and animals, thus allowing the growth of a new civilization)!.

…até lá, infelizmente vai ser quase um, “salve-se quem poder”!. (Until then, unfortunately it will be almost one, “save whoever can”)!

Tony Borie, May 2020.

…ainda temos papel higiénico!. (We still have toilet paper)!.

Tony Borie - "Pieces of my life"

…ainda temos papel higiénico, vulgo “papel pr’ó cú”!.(We still have toilet paper, commonly, “paper to clean the ass”)!.

…olá, olá, olá, já saímos à rua!. Andámos na volta da casa, cortando a relva!. Os cães da vizinha ladraram-nos! Não sabemos se era felicitando-nos ou repreendendo-nos por andar-mos lá fora!. (Hello, hello, hello, we are already out on the street!. We walked around the house, cutting the grass!. The neighbor’s dogs barked us!. We don’t know if it was congratulating us or scolding us for walking outside!.

…é um problema dos humanos, que não compreendem a linguagem dos animais, tão pouco da natureza, que às vezes se revolta… claro, contra os humanos!. (It is a problem of humans, who do not understand the language of animals, so little of nature, that sometimes revolts… of course, against humans)!.

…mais uma semana passou!. Ainda andamos por cá!. Do quarto para a sala…

View original post 763 more words