…the swamps of Cypresses!.

…os pântanos de Ciprestes!. (The swamps of Cypresses)!.

…quando por aqui, à volta da cidade onde vivemos, que se situa na área norte/leste do estado da Flórida, ao caminharmos ou pedalando na bicicleta pelas diferentes “trilhas”, principalmente próximo do canal, além de outros cenários, deparamos frequentemente com algumas áreas de pequenos pântanos, onde crescem árvores com milhares de anos de vida!. (When around here, around the city where we live, which is located in the north / east area of the state of Florida, when walking or cycling on the different “tracks”, especially near the canal, in addition to other scenarios, often with some areas of small marshes, where trees grow with thousands of years of life)!.

…o habitate destas árvores, é um dos locais preferidos para os “alligators” (espécie de crocodilo) e para os répteis de várias espécies, assim como muitas lindas aves exóticas!. Nós, apreciamos, mas em terra firme, sem molhar os pés água!. (Tthe habitat of these trees, is one of the favorite places for alligators and for reptiles of various species, as well as many beautiful exotic birds!. We enjoyed it, but on dry land, without watering the feet)!.

…são os Ciprestes!. São árvores nativas que adoram climas temperados e húmidos, onde a precipitação anual é mais alta, nascendo e crescendo ao longo das várzeas, principalmente em pântanos ou ao longo de lagoas rasas!. Têm diferentes nomes e, pelo menos ao nosso olhar, aqui no estado da Flórida, existem dois tipos principais de Cipreste, pois são os mais frequentes e aqueles com que nos deparamos a todo o instante!. (Are the Cypresses!. They are native trees that worship temperate and humid climates, where annual precipitation is highest, rising and growing along the floodplains, especially in marshes or along shallow lagoons!. They have different names and, at least to our eye, here in the state of Florida, there are two main types of Cypress, because they are the most frequent and those that we come across at any moment)!.

…são o Cipreste-lagoa e Cipreste-calvo!. São fáceis de identificar, pois ambos perdem as suas folhas e os seus cones a cada inverno!. Podem ser encontrados crescendo com pinheiros e carvalhos vivos, em áreas como por exemplo aqui no nosso quintal, e claro, sempre fortemente cobertos de “musgo espanhol”, mas em contrapartida, quando perdem as suas folhas, logo nascem flores semelhantes a borlas, perto da borda dos raminhos, o que lhes dá um aspecto de árvores de floresta selvagem e tropical!. (Are the Cypress-Pond and Bald Cypress!. They are easy to identify, as they both lose their leaves and their cones every winter!. They can be found growing with pines and live oaks, in areas such as here in our backyard, and of course, always heavily covered with “Spanish moss”, but in return, when they lose their leaves, soon flowers are born similar to tassels, near from the edge of the sprigs, which gives them a look of wild and tropical forest trees)!.

…as outras espécies são, os meridionais, os brancos, os vermelhos ou os do golfo, que também conhecemos pela sua madeira, pois quando por aqui passam as tempestades tropicais, alguns são derrubados, e nós, aproveitamos algumas partes, para dar liberdade à nossa imaginação, construindo algumas “figuras” com a sua madeira!. Claro, devem de existir mais espécies mas, como não temos um conhecimento aprofundado, não sabemos o seu nome específico, mas sabemos que crescem em áreas inundadas, não só aqui no estado da Flórida, como nas planícies do sudeste, ou até nas planícies costeiras do Golfo dos Estados Unidos!. (The other species are southern, white, red or gulf, which we also know for their wood, because when tropical storms pass through, some are overturned, and we take advantage of some parts to give freedom to our imagination, building some “figures” with your wood!. Of course, there must be more species but, as we do not have an in-depth knowledge, we do not know its specific name, but we know that they grow in flooded areas, not only here in the state of Florida, but also in the plains of the Southeast, or even in the coastal plains of the Gulf of United States)!.

…são árvores grandes, de crescimento lento e longa vida!. Geralmente, alcançam alturas de 30 a 35 m (100 a 120 pés) e um diâmetro de tronco de 1 a 2 m (3-6 pés)!. Os troncos principais são cercados por ramificações que alargam um pouco a sua dimensão, formando raízes conhecidas como “joelhos”, que são umas extensões verticais e amassadas no seu sistema radicular, muitas vezes vistas, projetando-se sobre as águas rasas, onde estas árvores mais tipicamente crescem!. Como acima explicámos, adoram climas húmidos e temperados mas, as árvores maiores são capazes de tolerar temperaturas muito mais baixas e humidade também mais baixa!. (Are big trees, slow growing and long life!. They usually reach heights of 30 to 35 m (100 to 120 feet) and a trunk diameter of 1 to 2 m (3-6 feet)!. The main trunks are surrounded by ramifications that widen their size a little, forming roots known as “knees”, which are vertical extensions and kneaded in their root system, often seen, projecting on the shallow waters, where these trees more typically grow!. As we have explained above, they love humid and temperate climates but, the larger trees are able to tolerate much lower temperatures and also lower humidity !.

…os seus habitates naturais geralmente são inundados com água durante a maior parte do ano, nessas lagoas rasas e mal drenadas onde estas árvores prosperam, que lhe oferecem fluxos lentos mas estáveis de água rica em minerais, requerendo relativamente pouco oxigénio, dos quais estas árvores obtêm os nutrientes necessários para sobreviver num habitate que também as protege dos focos de incêndio, embora a existência destas próprias árvores, favoreçam essas áreas pantanosas tornando-as resistentes ao fogo!. (Their natural habitats are usually flooded with water for most of the year in these shallow, poorly drained lagoons where these trees thrive, which provide slow but steady flows of mineral-rich water, requiring relatively little oxygen, of which these trees get the nutrients needed to survive in a habitat that also protects them from fire outbreaks, although the existence of these trees themselves will favor those marsh areas making them resistant to fire)!.

…como somos curiosos, fomos procurar alguma informação e descobrimos algumas curiosidades, como por exemplo:

…a sua faixa nativa estende-se desde o sudeste do estado de Nova Jersey ao sul e oeste da Flórida, continuando para oeste até ao leste do estado do Texas e sudeste do estado de Oklahoma, também para o interior do rio Mississippi, nas antigas florestas, com algumas árvores com mais de 1.700 anos!. Todavia, as maiores remanescentes de estepes antigas estão aqui no estado da Flórida, em Corkscrew Swamp Sanctuary, perto da cidade de Naples!.

(As we are curious, we went to look for some information and we discovered some curiosities, as for example:

(Its native range stretches from southeastern New Jersey to southern and western Florida, continuing west to eastern Texas and southeastern Oklahoma, also into the Mississippi River, in the old forests, with some trees with more than 1,700 years!. However, the largest remnants of ancient steppes are here in the state of Florida at Corkscrew Swamp Sanctuary, near the city of Naples)!.

…continuando a nossa pesquisa, o espécime mais alto conhecido, existe perto de Williamsburg, no estado da Virgínia, que tem 44,11 m de altura, o mais robusto é conhecido no Refúgio Nacional da Vida Selvagem de Cat Island, perto de Baton Rouge, no estado da Louisiana, que tem um diâmetro na altura do peito de 521 cm., o espécime vivo mais antigo conhecido, está no Condado de Bladen, no estado da Carolina do Norte, que tem mais de 1.620 anos, tornando-se uma das plantas mais antigas da América do Norte!. (Continuing our research, the highest known specimen, exists near Williamsburg in the state of Virginia which is 44.11 m tall, the most robust being known at the Cat Island National Wildlife Refuge near Baton Rouge, Louisiana, which has a breast height of 521 cm, the oldest known living specimen, is in Bladen County, North Carolina, which is over 1,620 years old, one of the oldest plants in North America)!.

…embora existam espécimes estimados em aproximadamente 2.000 anos, em Sky Lake, no condado de Humphreys, no estado do Mississippi, todavia, a determinação precisa da idade é difícil, porque os núcleos de árvores mais antigas tornaram-se vazios!. (Although there are estimated specimens in approximately 2,000 years, in Sky Lake, Humphreys County, Mississippi. However, accurate age determination is difficult because the most old have become empty)!.

…continuando, agora já mesmo por pura curiosidade, no ano de 2012, mergulhadores descobriram uma floresta submersa a vários quilómetros da costa da cidade de Mobile, no estado do Alabama, a 18 metros de profundidade!. A floresta contém árvores que não podiam ser datadas com métodos de radiocarbono, uma vez que têm mais de 50.000 anos de idade, portanto, provávelmente viviam no intervalo glacial inicial da última era glacial!. A floresta contém árvores tão bem preservadas que, quando cortadas, ainda têm cheiro de cipreste fresco!. (Continuing, now even out of sheer curiosity, in the year 2012, divers discovered a submerged forest several miles off the coast of the city of Mobile, Alabama, 18 meters deep!. The forest contains trees that could not be dated with radiocarbon methods since they are over 50,000 years old, so probably lived in the initial glacial interval of the last ice age!. The forest contains trees so well preserved that, when cut, still smell fresh cypress)!.

Tony Borie, January 2019.

…the bicycle!.

…the bicycle!.

…a bicicleta!. (The bicycle)!.

…a bicicleta continua a ser um meio de transporte bastante popular!. Talvez por curiosidade descobrimos que hoje, existem no mundo para cima de um bilião de bicicletas, quase o dobro do número de veículos automóvel!. (The bicycle continues to be a popular means of transportation!. Perhaps out of curiosity we find that today, there are in the world up to a billion bicycles, almost double the number of motor vehicles)!.

…também descobrimos que, no princípio do século dezanove uma pessoa de nacionalidade alemã, com duas rodas em linha, com uma estrutura em madeira, sentado entre as duas rodas, inventou um veículo, que fazia circular com a ajuda dos pés no chão!. Foi uma grande inovação, tomava balanço, com as pernas no ar, circulando com mais velocidade do que as normais pessoas!. (We also found that in the early nineteenth century a person of German nationality, with two wheels in line, with a wooden structure, sitting between the two wheels, invented a vehicle, which circulated with the aid of feet on the ground!. It was a great innovation, taking stock, legs in the air, circling faster than normal people)!.

…depois, com os anos foram aperfeiçoando este veículo e hoje, já existem modelos, que se levantam com dois dedos da mão, de tão leves que são e, chamam-lhe BICICLETA!. (Later, with the years were perfecting this vehicle and today, there are already models, which arise with two fingers of the hand, so light they are and call it BIKE)!.

…depois da sua invenção, pelo menos na  Europa, passou logo a ser popular, e hoje ainda é o principal meio de transporte em muitas regiões, e dada a sua configuração, com duas rodas, sendo movida com o esforço físico, portando não gastando combustível, é usada não só como exercício, mas também como meio de transporte para diversas tarefas, como por exemplo,  militares,  polícia,  serviços de correios, e mais um sem número outras utilizações!. (After its invention, at least in Europe, it soon became popular, and today it is still the main means of transport in many regions, and given its two-wheeled configuration, it is moved with physical effort, carrying not expending fuel, is used not only as an exercise, but also as a means of transportation for various tasks, such as military, police, postal services, and a host of other uses)!.

…na cidade onde vivemos, existem algumas “trilhas”, que podem ter o seu piso em alcatrão, cimento ou simplesmente terra, onde se pode caminhar ou viajar de bicicleta!. São aproximadamente 100 milhas, em volta desta pequena cidade!. Nós, alguns dias por semana, andamos por lá de bicicleta!. (In the city where we live, there are some “trails”, which can have your floor in tar, cement or simply dirt, where you can walk or ride a bicycle!. It’s about 100 miles, around this little town!. We, a few days a week, walk there by bike)!.

…já não utilizávamos uma bicicleta há mais de quarenta anos e, quando chegámos a esta cidade ainda por aqui não havia as tais “trilhas”, mas com o passar do tempo, foram-se construindo incitando as pessoas ao exercício físico!. (We had not used a bicycle for over forty years, and when we arrived in this city there were no such “tracks”, but over time, they were built by inciting people to exercise)!.

…nós, quase construímos uma bicicleta, portanto sem nome de marca, comprando o quadro, ou seja a sua estrutura principal, a uma pessoa que tinha a sua bicicleta já encostada a alguns anos, encontrámos quatro rodas, na frente de uma residência, que iam para o lixo, aproveitámos duas, ficando com as outras duas, para no caso de haver algum “acidente”, o selim, também “roubámos” do lixo, assim como o guiador e os travões, com que circulámos por alguns anos!. (We almost built a bicycle, so without a brand name, buying the frame, that is its main structure, a person who had his bike already leaning for a few years, we found four wheels, in front of a residence , that went to the trash, we took two, staying with the other two, in case there was an “accident”, the saddle, we also “stole” the garbage, as well as the handlebar and the brakes, with which we circulated for a few years)!.

…depois, talvez seguindo aquela história de um ciclista, que já deitado no seu leito de morte, pediu ao seu melhor amigo que lhe fizesse um favor quando se fosse!. Favor este que era quase uma imploração, dizendo-lhe mais ou menos ao seu ouvido, “Não deixes a minha esposa vender as minhas bicicletas pelo preço que eu lhe disse, que eu paguei por elas”!. (Later, perhaps following that story of a cyclist, who already lying on his deathbed, asked his best friend to do him a favor when it was!. Please this who was almost a plea, saying more or less to his ear, “Do not let my wife sell my bikes for the price I told you, I paid for them”!).

…o nosso vizinho e amigo Fernando, uma excelente pessoa, tinha uma das modernas, de uma marca famosa, custou-lhe uma fortuna, é daquelas, que nós dizemos, “quando for grande, quero uma assim”, mas é linda, leve, quando nela circulava, atingia mais velocidade, com o mínimo de esforço!. (Our neighbor and friend Fernando, an excellent person, had one of the modern ones, of a famous brand, cost him a fortune, it’s those, we say, “when I grow up, I want one like that”, but it’s beautiful, light, when it circulated in it, it reached more speed, with the minimum of effort)!.

…o Fernando, na companhia da sua esposa Dona Maria, foram viver para o norte, passando grandes temporadas em Portugal e, ofereceu-nos a sua bicicleta!. Agora a nossa esposa Isaura, viaja nela e, passa-nos à frente, rindo-se!. (Fernando, in the company of his wife Dona Maria, went to live to the north, spending great seasons in Portugal and, offered us his bike!. Now our wife Isaura, travels on her and, pass us by, laughing)!.

…o maravilhoso mundo do ciclismo permite que os ciclistas se desafiem, procurem amigos para explorar lugares, onde num cenário de natureza, passando de perto por animais, aves ou repteis, próximo de pântanos e florestas, que pode ser visto e apreciado, que de outro modo era quase impossível!. (The wonderful world of cycling allows cyclists to challenge themselves, seek friends to explore places, where in a nature setting, passing by animals, birds or reptiles, near marshes and forests, which can be seen and appreciated, which otherwise was almost impossible)!.

…além disso, o ciclismo actua como uma saída para a liberdade!. Claro, também não exageramos e seguimos a história daquela pessoa que dizia, “Desde que as coisas azedaram com minha esposa há duas semanas, passei a andar 50 milhas por dia para limpar minha mente!. Agora, estou a mais de 700 milhas de casa”!. (In addition, cycling acts as an outlet for freedom!. Of course, we also do not overdo it and follow the story of that person who said, “Since things sour with my wife two weeks ago, I started cycling 50 miles a day to clear my mind!. Now, I am more than 700 miles from home”)!.

…na nossa já um pouco avançada idade, é um pouco difícil atacar uma subida ou ganhar um sprint, tendo sempre muita atenção quando viajamos na bicicleta, para que não nos aconteça nada parecido com aquela cena onde, um pedestre atravessa a estrada sem olhar e é imediatamente derrubado por um ciclista que por ali vai passando!. Depois, cai cada qual para seu lado e, o ciclista ao levantar-se, diz para o pedestre, “Você teve muita sorte, pois eu geralmente conduzo um camião”!. (In our already somewhat advanced age, it is a little difficult to attack a climb or gain a sprint, always having a lot of attention when traveling on the bike, so that nothing happens to us like that scene where a pedestrian crosses the road without look and is immediately knocked over by a cyclist who is passing by!. Then, each one falls to his side and the cyclist upon rising, says to the pedestrian, “You were very lucky, because I usually drive a truck!”.

…devemos sempre transportar connosco um pequeno “kit” de reparação e cuidados médicos, porque não estamos livres, de no nosso percurso nos surgir um qualquer buraco, vidro partido ou uma pequena peça de metal e fure ou corte um pneu!. (We must always carry with us a small repair kit and medical care, because we are not free, in the course of which we come up any hole, broken glass or a small piece of metal and pierce or cut a tire)!.

…esperamos sempre viajar na bicicleta em perfeitas condições físicas, todavia, não acreditamos que nos apareça pela frente um buraco que nos engula inteiros, mas uma pequena queda, ferindo-se em menor grau, talvez uma contusão num ombro ou numa perna, ficar com a camisa ou os calções sujos de lama ou grama, podem acontecer!. Não se deixe intimidar por isso, pois não deve acontecer mais do que algumas vezes!. (We always hope to travel on the bike in perfect physical condition, however, we do not believe that a hole appears to us that swallows us whole, but a small fall, wounding to a lesser degree, perhaps a bruise on a shoulder or a leg, to keep your shirt or shorts dirty with mud or grass, can happen!. Do not be intimidated by this, as it should not happen more than a few times)!.

…sabemos que das estradas podem vir todos os tipos de perigos!. Alguns são pequenos, outros são grandes, alguns são fáceis de evitar e outros não!. No entanto, entendemos que as coisas mais perigosas com que nos deparamos enquanto viajamos na nossa bicicleta, não são os animais selvagens, as cobras, os esconderijos, os precipícios, as florestas ou os pântanos!. São os motoristas irados, alguns que não nos respeitam, a nós ciclistas!. São os tais “Ass Holes”!. (We know that roads can come with all kinds of hazards!. Some are small, others are great, some are easy to avoid and some are not!. However, we understand that the most dangerous things we encounter while traveling on our bike are not wild animals, snakes, hiding places, cliffs, forests or swamps!. It’s the drivers who are angry, some who do not respect us, cyclists!. These are the “Ass Holes”)!.

…quando viajávamos pelo norte, na distante e quase deserta “Estrada do Alaska”, por nós passavam alguns ciclistas, que nos diziam que andavam na estrada, vindos do sul, havia meses, às vezes anos!. Seguiam, devagar, pedalando, pedalando, sempre na berma da estrada, levantando a mão em sinal de “Olá”, mostrando um sorriso, sempre que por eles algum veículo passava e se desviava, dando-lhes alguma estrada livre, sentindo-se agradecidos, apesar do esforço e das condições meteriológicas em que pedalavam!. (When we traveled in the north, in the distant and almost deserted “Alaska Highway”, we were passing by some cyclists, who told us that they were on the road, coming from the south, for months, sometimes years!. They were slowly following, pedaling, pedaling, always on the side of the road, raising their hand as a sign of “Hello”, showing a smile, whenever a vehicle passed by them and went off, giving them some free road, feeling grateful, despite the effort and the meteorological conditions in which they pedaled)!.

…nós, quando começámos a viajar por aqui de bicicleta, quase nos apelidaram de “Tonto das bicicletas”, riram-se e, declaravam que esta aventura não duraria um mês!. Já lá vão uns anos e, acreditamos que é uma boa manutenção física, uma vez que ficamos familiarizados com a bicicleta, podemos exercitar diferentes grupos musculares para que estejam funcionando no sentido certo e, o resultado disso é que ficamos mais fortes, e por mais tempo!. (We, when we started to travel here by bicycle, almost nicknamed us “Silly Bike”, laughed and declared that this adventure would not last a month!. It’s been a few years, and we believe it’s a good physical maintenance, once we become familiar with the bike, we can exercise different muscle groups so that they are working in the right direction and the result is that we get stronger, and for more time)!.

…em cima de uma bicicleta, o que custa mais é pedalar a primeira hora, depois, o esforço não se nota e, o que desejamos é andar mais e mais!. Além dos movimentos, continuamos com o sentido de equilíbrio, o que, na nossa idade é muito importante!. (On a bicycle, what costs more is to pedal the first hour, then the effort does not show and what we want is to walk more and more!. In addition to the movements, we continue with the sense of balance, which, at our age is very important)!.

Tony Borie, January 2019.

…Water Trail!.

…Water Trail!.

…caminho da água!. (Water Trail)!.

…era o primeiro dia do ano!. Fomos fazer o “trail da água”, que é como carInhosamente chamamos a um pequeno circuito composto pela praia e pelas ondas de água salgada do oceano Atlântico!. (It was the first day of the year!. We went to do the “water trail” which is how we call it a small circuit made up of the beach and the salt water waves of the Atlantic Ocean)!.

…onde por vezes alguns golfinhos tendem em aparecer, onde nós caminhando, passamos sob a ponte da foz do rio Matanzas, entrando pela baía, onde usufruímos de uma vista previlegiada do Monumento Nacional do Forte de Matanzas!. (Where sometimes some dolphins tend to appear, where we walking, we pass under the bridge of the mouth from the Matanzas river, entering the bay, where we enjoy a privileged view of the National Monument of the Matanzas Fort!.

…apanhámos um pequeno búzio, já partido e gasto pelas águas revoltas de anos, talvez séculos, de ventos do norte e tempestades oceânicas, onde navegaram barcos de corsários, que davam à costa, na procura, entre outras coisas, talvez esconderem arcas que continham tesouros, que eram o espólio da pilhagem de algumas aldeias da costa marítima do mar das Caraíbas!. (We picked up a small conch, already broken and worn by the turbulent waters of years, perhaps centuries, of northern winds and ocean storms, where boats of buccaneers sailed to shore, looking for, among other things, perhaps hiding coffers which contained treasures, which were the spoils of the looting of some villages on the coast of the Caribbean Sea)!

…também apanhámos um pequeno pau de madeira, coberto de pequenas conchas e lodo, que íamos balançando nos braços, cantando suavemente uma pequena lamúria de saudades, com os olhos postos no horizonte, lembrando o lado de lá do oceano Atlântico!. (We also picked up a small wooden stick, covered with little shells and mud, which we were swinging in our arms, singing softly a small whine of longing, with our eyes on the horizon, remembering the side of the Atlantic Ocean)!.

…todo este cenário nos ajudava a fingir que caminhávamos na praia do farol da barra de Aveiro, próximo da nossa aldeia do Vale do Ninho D’Águia, na encosta agreste da montanha do Caramulo, lá no Portugal da Europa distante!. (This whole scenario helped us to pretend we were walking on the lighthouse beach of the Aveiro bar, near our village of the Valley of the Nest of Eagle, on the rugged hillside of Caramulo mountain, in Portugal in distant Europe)!.

…a maré estava a descer, a água corria em direcção ao oceano, não ia cristalina como era normal!. (The tide was coming down, the water flowed towards the ocean, it was not crystal clear as it was normal)!.

…naquele momento, a sua cor era cinzenta da floresta de inverno e dos pântanos que circundam a baía, fazendo diversos desenhos no areal, querendo levar consigo alguma areia, pequenas pedras, conchas e búzios, que entendia que eram suas, levando-as de volta ao oceano!. (At that moment his gray color was of the winter forest and the marshes that surround the bay, making several designs on the sand, wishing to carry with him some sand, small stones, shells and shells, which he understood to be his own, bring them back to the ocean)!.

…todavia nós, seguíamos caminhando se possível pela água, as gaivotas e as garças, voavam ao sentirem a nossa presença próxima!. (However, we continued walking if possible by the water, the seagulls and herons, flying as they felt our near presence)!.

…onde devia haver água, havia um grande areal, aqui e ali, pequenas áreas mais fundas onde um qualquer pequeno cardume de peixe miúdo se sentia aflito por ter ficado ali, preso a ver a água a desaparecer!. (Where there must have been water, there was a large sandy area, here and there, smaller, deeper areas where any small school of small fish felt distressed for having stood there, bound to see the water disappear)!.

…claro, as gaivotas e as garças aproximavam-se de novo, depois de passar-mos, preparando-se para a pesca!. (Of course, the seagulls and herons were approaching again, after we passed, preparing for the fishing)!.

…entretando já próximos do Monumento Nacional do Forte de Matanzas, não havia ninguém no local onde era costume haver muitas pessoas!. O motivo era que, única e simplesmente estava fechado o Centro de Visitas e por tal, não havia transporte para visitas à Ilha das Cobras e ao Monumento Nacional do Forte de Matanzas!. (Already near the National Monument of the Fort of Matanzas, there was nobody in the place where it was customary to have many people!. The reason was that the Visitor Center was simply closed and there was no transportation for visits to Snake Island and the Matanzas Fort National Monument)!.

…porquê?. Não é muito simples de explicar mas, ao longo dos anos, a vida dá-nos muitas razões para nos sentar-mos e fazer alguma busca na nossa alma, numa reflexão silenciosa, talvez para parar e ler a nossa história, talvez emocionarmo-nos um pouco e deixar que tudo seja transparente, pois as palavras e o diálogo, são poderosas e podem ajudar-nos a curar corações partidos e espíritos quebrados por diferentes opiniões e respectivas conclusões!. Parece-nos que a ordem para que este maravilhoso parque se encontre encerrado é, devido a uma ordem emitida pelo “Serviço Nacional de Parques, Departamento do Interior dos EUA”, pelo menos é o que está escrito num pequeno letreiro, que nos diz:

“ÁREA FECHADA, devido a um lapso nas dotações federais, o Monumento Nacional Forte de Matanzas está fechado para a segurança dos visitantes e dos recursos do parque”!.

(Because?. It is not very simple to explain, but over the years life gives us many reasons to sit down and do some searching in our soul, in silent reflection, perhaps to stop and read our story, maybe to get excited a little and let everything be transparent, because words and dialogue, are powerful and can help us heal broken hearts and spirits broken by different opinions and their conclusions!. It seems to us that the order for this wonderful park to be closed is due to an order issued by the National Parks Service, US Department of the Interior, at least that is what is written on a small sign that tells us:

“AREA CLOSED, because of a lapse in federal appropriations, Fort Matanzas National Monument is closed for the safety of visitors and park resources”)!.

…nós, tal como os navegantes que por aqui ancoram os seus barcos, tal como os viajantes que por aqui param, que vêm de diferentes estados ou até de diferentes países, estacionam os seus veículos e usam as excelentes facilidades, e claro, vão de seguida visitar o Monumento Nacional Forte de Matanzas, esperam que os tais “lapsos nas dotações federais”, se resolvam, cheguem a bom termo e, esta paragem turística quase obrigatória, seja aberta num mínimo período de tempo!. (We, like the navigators who here anchor their boats, like the travelers who stop here, who come from different states or even from different countries, park their vehicles and use the excellent facilities, and of course, they will then visit the Forte de Matanzas National Monument, they expect that such “lapses in federal appropriations” will be resolved, they will come to fruition, and this almost obligatory tourist stop will be opened in a minimum period of time)!

…ao ver este local fechado, quebra-nos o coração e, neste primeiro dia do ano de 2019, pensamos em paz, amor, saúde e “chocolates”, com que tudo, se possível seja “cinco estrelas” para todos nós, e entretanto possamos deixar de ver este maravilhoso parque fechado, deserto e sem pessoas, principalmente para as crianças, desejosas de ouvirem entre outras coisas, histórias de aventuras e corsários!. (On seeing this place closed, it breaks our hearts and, on this first day of 2019, we think of peace, love, health and “chocolate”, with which everything, if possible, is “five stars” for all of us, and however we can not see this wonderful park closed, deserted and without people, especially for children, desirous of listening among other things, stories of adventures and buccaneers)!.

…pedindo a reabertura deste parque, cremos que não estamos a pedir muito, estamos sòmente e pedir o suficiente para que a nossa cultura continue a ser apreciada, e sobretudo, continuemos a sentir muito orgulho nas nossas raízes, na nossa história, no nosso passado!. (Asking us to reopen this park, we believe that we are not asking for much, we are only asking for enough that our culture continues to be appreciated, and above all, we continue to feel very proud in our roots, in our history, in the our past)!.

Tony Borie, January 2019.

…happy New Year for all!.

…happy New Year for all!.

…bom Ano Novo para todos!. (Happy New Year for all)!.

…oxalá o ano de 2019, entre em todos os lares com saúde, paz e felicidade e, que entre outras, esta palavra horrível, que dá pelo nome de “discriminação”, seja banida para sempre, não só do dicionário linguístico, como do pensamento e nas atitudes de todos os líderes com responsabilidade em liderança, sobrevivência e bem estar de todos nós, cidadãos comuns e seres humanos, que ainda habitamos este planeta, a que chamamos Terra!. (Hopefully 2019, enter into every home with health, peace and happiness and, among other things, this horrible word, called “discrimination”, be banished forever, not only from the linguistic dictionary, as of thought and in the attitudes of all leaders with responsibility for leadership, survival and well being of all of us ordinary citizens and human beings who still inhabit this planet, which we call Earth)!.

…vamos começar a história de hoje, lembrando o começo de uma viagem, que não era bem uma viagem, era a aventura de atravessar todo este continente Americano, na nossa “White Fox” (nome de guerra da nossa caravana), até à cidade de Los Angeles, no estado da Califórnia, para percorrer a célebre e histórica “Estrada 66” !. (Let’s start the story today, remembering the beginning of a trip, which was not quite a trip, was the adventure of crossing the whole American continent, in our “White Fox” (war name of our caravan), until to the city of Los Angeles, in the state of California, to traverse the famous and historic “Route 66”)!.

…e, ao mesmo tempo prestar homenagem a um companheiro de trabalho, que nos acompanhou no dia a dia por mais de trinta anos, que infelizmente nos deixou para sempre!. (And, at the same time pay tribute to a fellow worker who has accompanied us in our daily lives for more than thirty years, which unfortunately left forever)!.

…cá vai a história!. (Here goes the story)!.

…o nosso destino era a cidade de Chicago, no estado de Illinois!. Vindos do leste, seguíamos na auto-estrada 90, no sentido oeste, quando nos desviámos para uma estrada estadual, ainda no estado de Indiana, para visitar-mos a cidade de Angola!. (Our destination was the city of Chicago, in the state of Illinois!. Coming from the east, we were on highway 90 westward when we turned off for a state road, still in the state of Indiana, to visit the city of Angola)!.

…porquê a cidade de Angola?. Simples curiosidade!. Talvez a nossa descendência, pois somos imigrantes oriundos do país Portugal e antigos combatentes daquela maldita Guerra Colonial Portuguesa, em que sofremos em África, a angústia, o desespero de uma luta horrível de sobrevivência, lutando contra pessoas que nada tínhamos em contra e, nunca antes tínhamos visto, que também lutavam e sofriam, pela liberdade do seu país!. (Why the city of Angola?. Simple curiosity!. Perhaps our descendants, because we are immigrants from the country of Portugal and former combatants of that bloody Portuguese Colonial War, in which we suffered in Africa, the anguish, the desperation of a horrible struggle for survival, fighting against people we had nothing against and never before we had seen, who also struggled and suffered, for the freedom of their country)!.

…chegámos à cidade de Angola, no estado de Indiana!. Andámos por lá, é uma cidade com um nome africano e uma comunidade branca, que recebeu o seu nome por volta do ano 1837, numa época em que o local foi escolhido como sede de um município e, possívelmente foi baptizado com este nome, antes que não houvesse outro lugar conhecido chamado Angola aqui nos USA, ou em qualquer outro lugar, excepto em África!. (We arrived in the city of Angola, in the state of Indiana!. We walked there, it is a city with an African name and a white community, which was named after the year 1837, at a time when the place was chosen as the seat of a municipality and was possibly baptized by that name, before that there was no other place known as Angola here in the USA, or anywhere else except Africa)!.

…fizémos algumas pesquizas não encontrando muita informação mas, parece-nos altamente improvável que o nome de Angola tenha sido dado por já existir este nome no estado de Nova Iorque e, que as pessoas que fundaram esta cidade vieram de lá, versão que nos explicaram!. Achamos improvável por uma questão de datas, pois Angola é uma aldeia na cidade de Evans, no Condado de Erie, Nova Iorque, localizada a leste do Lago Erie, anteriormente chamada de “Estação de Evans” e onde, por volta dos anos de 1854 ou 1855, portanto depois do ano de 1837, foi criada uma estação dos correios, com o nome “Angola”!. (We did some researches not finding much information but, it seems to us highly improbable that the name of Angola was given because this name already exists in the state of New York and that the people who founded this city came from there, version that explained us!. We find it unlikely as a matter of dates, for Angola is a village in the town of Evans, Erie County, New York, east of Lake Erie, formerly called the “Evans Station,” and where, around 1854 or 1855, so after the year 1837, a post office was established, with the name “Angola”)!.

…talvez nunca saibamos com certeza, mas a velha história de que Angola recebeu o nome de Angola, Nova York, parece ser apenas uma história, no entanto de uma maneira ou de outra, nós entendemos que, Angola deve ter recebido o nome, em homenagem a Angola, em África!. Também dizem que, alguns dos antigos colonos comentaram que, o nome seria bom para um cachorro, o que nós repudiamos naturalmente, pois o nome Angola, merece-nos muito respeito, pois faz parte da história do país onde nascemos!. (We may never know for sure, but the old story that Angola was called Angola, New York, seems to be just a story, but in one way or another, we understand that Angola must have been given the name, in honor of Angola, in Africa!. They also say that some of the old settlers commented that the name would be good for a dog, which we repudiate naturally, because the name Angola, deserves a lot of respect, because it is part of the history of the country where we were born)!.

…começa aqui a homenagem ao “Mississippi”!. (Here begins the homage to the “Mississippi”)!.

…continuando a viajar rumo ao oeste, lembrando Angola, lembrando a Guiné, lembrando África, lembrando antigos companheiros de guerra africanos, lembrando os antigos companheiros de trabalho aqui nos USA, os tais afro-americanos, alguns que nos acompanharam no dia a dia por mais de trinta anos, de que já por diversas vezes aqui lembrámos a sua memória, chegámos finalmente ao sul da cidade de Chicago!. (Continuing to travel westward, remembering Angola, remembering Guinea, remembering Africa, remembering former African war mates, remembering the old workmates here in the USA, the African-Americans, some who accompanied us on the day for over thirty years, that we have remembered his memory several times, we have finally reached the south of the city of Chicago)!.

…ao atravessar-mos uma passagem do caminho de ferro, logo nos vem ao pensamento as conversas quase diárias, que mantínhamos com um dos tais afro-americanos, amigo e companheiro de trabalho, a quem carinhosamente chamávamos de “Mississippi”, que nos contava a história dos seus avós, olhando o infinito, com uma atitude calma, humilde e concentrada, onde por vezes lhe saíam algumas palavras, explicando acções e atitudes, difíceis de compreender nos dias de hoje, mas que eram reais, eram verdadeiras, onde nos explicava o que foi a vida dos seus antepassados que foram escravos!. Ele próprio tinha algumas marcas, no peito, no braço e uma outra ao lado, um pouco abaixo da orelha esquerda, com que os pais o marcaram quando nasceu!. Talvez fossem marcas de família, no entanto, ele orgulhava-se de mostrar essas marcas, eram desenhos na pele, parecidos com os que frequentemente víamos na África, quando combatentes ao serviço do exército do então governo colonial de Portugal!. (As we cross a passageway on the railroad, the almost daily conversations that we had with one of those African-Americans, a friend and workmate, whom we affectionately call “Mississippi,” come to mind!. He told us the story of his grandparents, looking at the infinite, with a calm, humble and concentrated attitude, sometimes giving him some words, explaining actions and attitudes, difficult to understand these days, but which were real, were true, where explained the life of their ancestors who were slaves!. He himself had some marks on his chest, on his arm and another on his side, just below his left ear, with which his parents marked him when he was born!. Perhaps they were family marks, yet he was proud to show these marks, they were drawings on the skin, similar to those we often saw in Africa, when combatants serving the army of the then colonial government of Portugal)!.

…os seus antepassados, quando chegaram ao continente americano foram escravos!. Algumas vezes ele, até explicava ao pormenor que o pai do seu bisavô, foi escravo na plantação com o nome tal, foi vendido duas vezes, pois era muito valente e todos o queriam ter naquelas plantações de tabaco, de algodão, ou cana de açúcar!. A sua família, continuou por lá, ele, nasceu e cresceu, numas terras, por onde passava um comboio, ao lado do rio Mississippi, que os seus pais não sabiam a quem pertenciam, mas agora eram suas e onde viviam, e ele, simplesmente nasceu lá, tal como os seus irmãos e irmãs, tal como já lá tinham nascido os seus pais e avós!. Aprendeu a nadar no rio Mississippi, sem qualquer receio das cobras, nem dos “alligatores”, uma espécie de crocodilos!. Pelo contrário, caçava-os e comia-os!. (Their ancestors, when they arrived in the American continent, were slaves!. Sometimes he even explained to the detail that his great-grandfather’s father was a slave in the plantation with the same name, he was sold twice, for he was very brave and everyone wanted him on those plantations of tobacco, cotton, or sugar cane!. His family, he continued there, he was born and raised in a land, where a train passed, alongside the Mississippi River, which his parents did not know to whom they belonged, but now they were his and where they lived and he, simply he was born there, just like his brothers and sisters, just as his parents and grandparents had already been born!. He learned to swim on the Mississippi River, without any fear of snakes or “alligators,” a kind of crocodile!. On the contrary, he hunted them and ate them)!.

…um dia, seguindo o exemplo de muitos jovens na sua situação, pois era normal naquela época, querendo fugir da fome e da miséria que levavam, entra, juntamente com outro irmão mais velho, com a roupa que traziam vestida, na carruagem dum comboio de mercadorias que lentamente por lá passava!. Vieram parar ao estado de Nova Jersey, mas muitos iam parar ao estado de Illinois, principalmente à cidade de Chicago!. Outros ficavam em Detroit, no Estado de Michigan, ou outros estados com indústria, onde lhes diziam que havia muito trabalho!. Para o “Mississippi”, não foi difícil procurar trabalho, pois era alto, com corpo de um atleta e força física um pouco fora do normal, mas o coração era de uma boa pessoa, obediente, quase como uma criança, compreendia o bem e o mal, pedia desculpa, se sem querer insultava alguém, com receio de que alguém o acusasse de algo, às vezes até era obediente demais e certas pessoas tiravam vantagem desse pormenor!. (One day, following the example of many young people in their situation, since it was normal at that time, wanting to escape the hunger and the misery they were carrying, he and another older brother entered with the clothes they wore, in a a chariot of a convoy of goods passing by!. They came to the state of New Jersey, but many went to the state of Illinois, especially to the city of Chicago!. Others were in Detroit, Michigan, or other states with industry, where they told them there was a lot of work!. For the “Mississippi”, it was not difficult to look for work, for it was tall, with an athlete’s body and physical strength somewhat out of the ordinary, but the heart was of a good person, obedient, almost like a child, understood the good and he would apologize, if he would insult someone, for fear someone would accuse him of something, sometimes he was too obedient, and certain people took advantage of that detail)!.

…ele contáva-nos, dezenas de vezes, a história dos afro-americanos na sua procura de fugir para o norte!. Principalmente para a hoje cidade de Chicago, que remonta talvez aos anos de 1780 mas, só por volta da década de 1840 alguns escravos fugitivos e libertos estabeleceram a primeira comunidade afro-americana nesta cidade!. Procuravam a cidade de Chicago, especialmente após a Guerra Civil, pois o estado Illinois teve algumas das leis anti-discriminação mais progressistas do país!. A segregação escolar foi primeiramente banida em 1874, e a segregação em acomodações públicas foi banida pela primeira vez em 1885, no entanto, muitos continuaram a enfrentar algumas das mesmas discriminações aqui em Chicago, tal como tinham tido no sul!. (He told us, dozens of times, the story of African-Americans in their quest to flee north!. Mainly for today’s city of Chicago, dating back perhaps to the 1780s, but it was only around the 1840s that some fugitive and freed slaves established the first African-American community in this city!. They sought the city of Chicago, especially after the Civil War, for Illinois had some of the most progressive anti-discrimination laws in the country!. School segregation was first banned in 1874, and segregation in public accommodations was banned for the first time in 1885, however, many continued to face some of the same discriminations here in Chicago as they had in the south)!.

…no entanto, a população afro-americana na cidade de Chicago, aumentou significativamente no início a meados de 1900, devido à Grande Migração do Sul!. E porquê?. Porque na viragem do século, os estados do sul conseguiram aprovar novas constituições e leis que desfavoreciam a maioria dos afro-americanos e de muitos brancos pobres, privando-os do direito de voto, estando sujeitos a leis discriminatórias aprovadas por legisladores brancos, incluindo a segregação racial de instalações públicas, a educação segregada para crianças afro-americanas e outros serviços foram consistentemente subfinanciados numa economia agrícola pobre!. Enquanto as legislaturas dominadas pelos brancos aprovavam leis para restabelecer a supremacia branca e criar mais restrições na vida pública, por tal a violência contra os afro-americanos aumentava, com linchamentos usados como aplicação extrajudicial!. (However, the African-American population in the city of Chicago has increased significantly in the early to mid 1900s due to the Great Migration of the South!. It’s because?. Because at the turn of the century the southern states were able to pass new constitutions and laws that disadvantaged most African-Americans and many poor whites by depriving them of the right to vote, being subject to discriminatory laws passed by white legislators, including racial segregation of public facilities, segregated education for African American children and other services were consistently underfunded in a poor agricultural economy!. While white-dominated legislatures passed laws to restore white supremacy and create more restraints in public life, so violence against African Americans increased, with lynchings used as extrajudicial enforcement)!.

…a construção da indústria para a Primeira Guerra Mundial levou milhares de trabalhadores para o norte, assim como a rápida expansão das linhas dos caminhos de ferro, ou as indústrias de processamento do aço, como tal, o abandono das plantações do sul, pelos afro-americanos, arruinou grande parte da indústria do algodão, pois centenas de milhares de sulistas afro-americanos migraram para a cidade de Chicago para escapar da violência e da segregação em busca de liberdade e também de uma melhor posição económica!. (The construction of the industry to the First World War led thousands of workers to the north, as well as the rapid expansion of the railway lines, or the steel processing industries as such, abandonment of southern plantations, by African Americans, ruined much of the cotton industry as hundreds of thousands of African American Southerners migrated to the city of Chicago to escape violence and segregation in search of freedom and also a better economic position)!.

…com as Grandes Migrações de 1910 a 1960, que trouxeram centenas de milhares de afro-americanos do sul para Chicago, tornando-se num movimento de massas, a que alguém explicou que, “A migração de afro-americanos do sul rural para o norte urbano transformaram radicalmente a cidade de Chicago, tanto política como culturalmente”!. E, o nosso companheiro de trabalho afro-americano, o “Mississippi”, dizia-nos mesmo que, a cidade de Chicago se tornou na capital afro-americana do país, pois o lado sul tornou-se predominantemente afro-americano!. (With the Great Migrations from 1910 to 1960, which brought hundreds of thousands of south African Amerians south to Chicago, becoming a mass movement, to which someone explained that, “The migration of Afro-Americans from the rural south to the urban north radically transformed the city of Chicago, both politically and culturally”!. And, our African-American workmate, the “Mississippi”, even told us that the city of Chicago became the African-American capital of the country, because the south side became predominantly African American)!.

…já anos depois, o jornal afro-americano de Chicago, o “Chicago Defender”, mandando pacotes de jornais para sul, pelos combóios da Central de Illinois, principalmente para as cidades afro-americanas, incentivando-os a tomar lugar nos combóios, tornando a cidade de Chicago conhecida pelos sulistas, dizendo em grandes parangonas que, “Chicago era a cidade do norte mais acessível para os afro-americanos do Mississippi, Louisiana, Texas ou Arkansas”!. (Years later the Chicago African-American newspaper, the Chicago Defender, sending parcels of newspapers to the south, through Central Illinois trains, especially to African-American cities, encouraging them to take Chicago made the city known to the Southerners, saying “Chicago was the most accessible northern city for African Americans in Mississippi, Louisiana, Texas, or Arkansas”)!.

…claro, com toda esta “Grande Migração”, tornou-se difícil para muitos encontrar empregos e encontrar lugares decentes para morar mas, de pouco a pouco tornaram-se uma população urbana, criando igrejas, organizações comunitárias, principalmente na música, onde agora, fazendo música, cantando ou dançando, exemplificavam os sofrimentos da sua segregação sofrida no sul!. (Of course, with all of this “Great Migration,” it became difficult for many to find jobs and find decent places to live, but little by little they became an urban population, creating churches, community organizations, especially in music, where now, making music, singing or dancing, exemplified the sufferings of their segregation suffered in the south)!.

…e nós, andámos pela cidade, parando aqui e ali, dando todo este tempo dispensado, como uma verdadeira lição de história, lembrando alguns povos no mundo, que ainda sofrem uma palavra horrível, que dá pelo nome de “discriminação”, palavra que no sentido do “preconceito” tem sido usada desde o início do século XIX, quase 200 anos atrás e, nos quer dizer mais ou menos, um tratamento injusto ou preconceituoso de diferentes categorias de pessoas ou coisas, especialmente em razão de raça, idade ou sexo!. Onde também podemos incluir, vítimas de discriminação racial, cujos sinônimos são, preconceitos, parcialidade, intolerância, injustiça, desigualdade, favoritismo, unilateralidade, partidarismo, ou até mesmo, chauvinismo, racismo, racialismo, preconceito de idade, classismo ou castaísmo!. (And we, we walked through the city, stopping here and there, giving all this time dispensed, as a true lesson of history, reminding some people in the world, who still suffer a horrible word, which gives the name of “discrimination”, a word that in the sense of “prejudice” has been used since the beginning of the nineteenth century almost 200 years ago and, we mean more or less, unfair or prejudiced treatment of different categories of people or things, especially on the basis of race, age or sex!. Where we can also include, victims of racial discrimination, whose synonyms are prejudices, partiality, intolerance, injustice, inequality, favoritism, unilateralism, partisanship, or even chauvinism, racism, racialism, old prejudice, classism or casteism)!.

…como a princípio dissémos, Feliz Ano Novo para todos!. (As we said at first, a Happy New Year for all)!.

Tony Borie, December 2018.

…a good and happy Christmas!.

…a good and happy Christmas!.

…um bom e feliz Natal!. (A good and happy Christmas)!.

…já lá vão mais de sete dezenas de anos, perto das oito dezenas!. (Already there go more than seven tens of years, near the eight tens)!.

…a manhã era fria, mesmo muito fria!. Lá na nossa aldeia, naquela vertente agreste da montanha do Caramulo, onde a crosta terrestre, lentamente começava a ser plana, flutuando por perto as zonas ribeirinhas do Rio Águeda, onde pela noite, não havendo luz eléctrica, se a terra tremesse, nascendo dos céus uma pequena luz, que seria uma qualquer estrela, talvez uma estrela nova, daquelas que fazem oscilar um continente, ninguém dava por isso!. (The morning was cold, even very cold!. There in our village, on that rugged slope of Mount Caramulo, where the earth’s crust slowly began to be flat, floating around the riverine areas of the River Águeda, where at night, there being no electric light, if the earth trembled, skies a little light, that would be any star, maybe a new star, those that make a continent oscillate, no one gave it)!.

…era dia de Natal!. Levantámo-nos, esfregando os olhos, limpando o ranho do nariz, depois de dormir sobre um colchão cheio de palha de centeio, secado numa eira térrea, (onde o seu grão nos “amaciava” o pão de brôa, cozido num forno aquecido a lenha), cultivado nas terras secas da área do pinhal, que o pai António, desbravava com uma enxada nas suas mãos!. (It was Christmas day!. We got up, rubbing our eyes, wiping the snot of the nose, after sleeping on a mattress filled with rye-straw, dried in a ground floor, (where its grain “softened” the cornbread, cooked in a furnace heated to firewood), cultivated in the dry lands of the pinewood area, which the father António, broke with a hoe in your hands)!.

…nós, descalços, com um “bibe” cobrindo-nos o corpo de criança, corremos para a lareira da cozinha, onde um pouco acima da “panela de três pernas”, que se considerava o utensílio mais importante da nossa casa, pois era onde se cozinhava as nossas refeições mais as dos animais domésticos e, onde um pouco acima, estava a porta do forno, onde se encontrava um lindo “presente”, que a nossa mãe dizia:

  – foi o Pai Natal que te trouxe este presente!.

(We, barefoot, with a “bibe” covering the child’s body, ran to the kitchen hearth, where a little above the “three-legged pot”, which was considered the most important utensil of our house, because it was where our meals were cooked plus those of the domestic animals and, where a little above, was the oven door, where was a beautiful “gift”, that our mother said:

    – It was Santa who brought you this gift)!.

…que alegria, nesse Natal!. “Ele”, o Pai Natal deu-nos um carrinho de madeira, onde deviam existir seis rodas, todavia, só tinha três!. (What a joy this Christmas!. “He”, Father Christmas, gave us a wooden cart, where there should be six wheels, yet only three!.

…uns dias antes o pai António, andava atarefado, construindo esse tal carrinho nos intervalos na sua tarefa da lavoura, onde possívelmente não teve tempo de fazer as seis rodas!. (A few days before, father António, was busy, building such a wooden cart, at intervals in his farming task, where he probably did not have time to do the six wheels)!.

…a nossa mãe Ilda, vendo a nossa cara de felicidade, entre sorrisos abraçou-nos e, depois de algum tempo, para poder conter a sua emoção, diz-nos, baixinho, quase ao ouvido, como se fosse um segrêdo entre nós os dois:

    – vez, como o Pai Natal é teu amigo!.

(Our mother Ilda, seeing our face of happiness, between her smiles embraced us and, after some time, to contain her emotion, she tells us, softly, almost to the ear, as if it were a secret between both of us:

    – Sometimes, as Santa is your friend)!.

…o frio daquela manhã, com o abraço da nossa mãe, pareceu-nos o dia mais quente do ano!. (The cold of that morning, with the embrace of our mother, seemed to us the hottest day of the year)!.

…e ela, a nossa mãe Ilda, contou-nos mais uma vez a história da narrativa tradicional do Natal, a Natividade de Jesus, delineada no Novo Testamento, onde diz que Jesus nasceu em Belém, de acordo com as profecias e, quando seus pais José e Maria chegaram à cidade, a estalagem não tinha espaço e ofereceram-lhes um estábulo em que o Menino Jesus nascera em breve, com os anjos proclamando esta notícia aos pastores que depois, também andaram por ali, espalhando a informação!. (And she, our mother Ilda, told us again the story of the traditional Christmas narrative, the Nativity of Jesus, outlined in the New Testament, where it says that Jesus was born in Bethlehem according to the prophecies and, when their parents Joseph and Mary arrived in the city, the inn did not have space and they offered them a stable in which the Baby Jesus was born soon, with the angels proclaiming this news to the shepherds who later also walked around, spreading the information)!.

…hoje, os costumes comemorativos associados ao Natal têm uma mistura de temas e origens pré-cristãs, cristãs e seculares mas na verdade, nos costumes modernos existe uma troca de cartões de Natal, serviços da Igreja, uma refeição especial, bolachas de Natal, exibição de várias decorações de Natal, incluindo árvores de Natal, luzes de Natal, presépios, visco e azevinho, que envolvem uma atividade económica muito intensa, que tem crescido constantemente nos últimos séculos em muitas regiões do mundo!. (Today, the commemorative customs associated with Christmas have a mixture of pre-Christian, Christian and secular themes and origins but in fact, in modern customs there is an exchange of Christmas cards, Church services, a special meal, biscuits Christmas, display of various Christmas decorations including Christmas trees, Christmas lights, cribs, mistletoe and holly, which involve a very intense economic activity, which has steadily grown in the last centuries in many regions of the world)!.

…em especial à nossa família, extensivo a todos vocês, desejos de um bom e feliz Natal, sobretudo com saúde e paz! (Especially to our family, to all of you, wishes for a good and happy Christmas, especially with health and peace)!.

Tony Borie, December 2018.

…meets an enemy!.

…meets an enemy!.

…encontra um inimigo!. (meets an enemy)!.

…pelo governo do então Portugal Colonial, nós, ainda jovens, fomos levados, ou seja “arrancados”, do silêncio da nossa aldeia, na encosta agreste da montanha do Caramulo, para ser treinados e mentalizados, num campo de treinos duma cidade da província, que era uma mistura de ruídos, obstáculos, armas, tiros e atrapalhação, onde poucos meses depois, metidos no porão de um navio de carga, navegámos pelo oceano Atlântico, rumo a África, rumo a um teatro de operações, mostrando-nos um terrível cenário de guerra, combatendo pessoas que, nunca tínhamos visto antes e, da nossa parte, nada havia em contra!. (By the government of the then Colonial Portugal, we, as young men, were taken from the silence of our village on the rugged hillside of the Caramulo mountain, to be trained and mentalized, in a training camp in a city of the province, which was a mixture of noise, obstacles, weapons, shots and fumbling, where a few months later, in the hold of a cargo ship, we sailed across the Atlantic Ocean towards Africa, to a theater of operations, in a terrible scenario of war, fighting people we had never seen before and, for our part, there was nothing against)!.

…por um período de dois anos, sobrevivemos como combatentes numa terrível guerra de guerrilha, na então Província Colonial da Guiné Portuguesa, que mais tarde foi denominada como o “Vietname de Portugal”!. O grupo armado, Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que nos combatia, lutando pela libertação do seu território, estava bem treinado, bem liderado e equipado, recebendo apoio substancial de portos seguros em países vizinhos, como o Senegal e a Guiné-Conacri!. Eram seus aliados perto da fronteira, excelentes para lhes fornecer uma superioridade táctica aos frequentes ataques às forças armadas Portuguesas e, reabastecer as suas bases (casas mato), para os seus guerrilheiros, nas selvas e pântanos da então Província Colonial Portuguesa da Guiné!. (For a period of two years, we survived as combatants in a terrible guerrilla war, in the then Colonial Province of Portuguese Guinea, which was later termed the “Vietnam of Portugal”! The armed group, the African Party for the Independence of Guinea and Cape Verde (PAIGC), fighting for the liberation of their territory, was well trained, well led and equipped, receiving substantial support from safe ports in neighboring countries, such as Senegal and Guinea-Conakry!. They were their allies close to the border, excellent enough to provide tactical superiority to frequent attacks on the Portuguese armed forces and to replenish their bases (bush houses), for their guerrillas in the jungles and swamps of the then Portuguese Colonial Province of Guinea)!.

…lembrando uma pequena parte desse conflito, “ele”, pertencia a um pelotão de Artilharia!. Nós, os militares aquartelados no posto avançado da vila de Mansoa, estávamos envolvidos quase diáriamente em ataques nocturnos dos guerrilheiros, talvez porque um tempo antes, o nosso comando de Agrupamento tinha ordenado um ataque a uma base inimiga, ao norte da vila de Mansabá, que envolveu bombardeamentos feitos pelos aviões da força aérea, em conjunto algumas forças especiais do grupo de comandos, vindos da capital Bissau!. (Remembering a small part of this conflict, “him” belonged to an Artillery platoon!. We, the military quartered at the outpost of the village of Mansoa, were involved almost daily in night-time attacks by the guerrillas, perhaps because some time before our command of the Group had ordered an attack on an enemy base north of the village of Mansabá, which involved bombing by air force planes, together with special forces from the command group from the capital Bissau)!.

…estes ataques quase contínuos ao nosso posto avançado da vila de Mansoa, talvez fossem uma resposta dos guerrilheiros, querendo dizer que estavam vivos e andavam por ali, tal como que por ali, naquele aquartelamento militar, havia muitos militares não conhecidos, que tinham sido provisóriamente alojados nas instalações deste posto avançado, onde estivémos permanentemente prisioneiros, dentro dum cerco de arame farpado, em missão de serviço cripto, por um período de dois anos, e “ele”, aproximou-se de nós e falou:

  – Por favor ajuda-me!. Onde posso beber água?. Isto aqui é difícil?. Onde é que vamos dormir?.

(These almost continuous attacks on our outpost in the village of Mansoa might have been a response from the guerrillas, meaning that they were alive and were walking around, just as there were many unknown soldiers in that military barracks. had been provisionally housed in the facilities of this outpost, where we were permanently prisoners, within a barbed-wire siege, on a crypto-service mission, for a period of two years, and “him” approached us and spoke:
   
    – Please, help me!. Where can I drink water?. Is this difficult here?. Where are we going to sleep)?.

…naquele momento, nós, sentados no patamar construído de pedras e terra vermelha, em frente ao Centro Cripo, olhando o horizonte, pensando na nossa aldeia em Portugal, esperando que alguma mensagem viesse do Centro de Transmissões, baixámos os olhos e, em frente a um cenário com viaturas com tropas, usando camuflados novos, que cheiravam a tinta fresca, demos de caras com a pessoa que nos falava!. (At that moment, we, sitting on the porch built of stones and red earth, in front of the Cripo Center, looking at the horizon, thinking of our village in Portugal, waiting for some message to come from the Broadcast Center, we lowered our eyes and, in front of a scene with vehicles with troops, wearing new camouflage, smelling fresh paint, we made faces with the person who spoke to us)!.

…olhámos bem, sim era “ele”, pois usava óculos graduados!. Nós, lembrando um dos momentos mais infelizes do tempo da instrução e mentalização militar, no tal campo de teinos, ainda em território do então Portugal Continental, ficámos um pouco confusos, todavia recuperámos alguma calma e, tirando o cigarro três vintes da boca, circulámos em seu redor, com a intenção de nos certificar, se era a mesma pessoa!. (We looked good, yes it was “him”, because he wore glasses graduated!. We, remembering one of the most unfortunate moments of the time of instruction and military mentation, in such a field of teinos, still in territory of the then Continental Portugal, we were a little confused, however we recovered some calm and, taking the cigarette three vintes from the mouth, circulámos in his surroundings, with the intention of making sure, if it was the same person)!.

…sim, era “ele”!. Era um tal “primeiro cabo”, que ainda só era primeiro cabo e que, num tal campo de treinos da província, no nosso último dia de instrução e mentalização, já com guia de marcha para nos deslocar no próximo dia para uma base nos arredores da capital Lisboa, na “formatura do recolher da noite”, este militar, ainda e como já explicámos, com o posto de primeiro cabo mas, que já fazia de sargento de dia, pois estava à espera de promoção ao posto imediato, que era furriel, tinha umas divisas parecidas com as de furriel miliciano, mas não era miliciano, era um primeiro cabo, que devia ter assistido a um curso, que lhe daria a promoção ao posto imediato e, naquela noite, fez de todos os militares presentes naquele campo de treinos, “gato e sapato”, como se costuma dizer!. (Yes, it was “him”!. It was such a “first corporal”, who was still only the first corporal and that, in such a field of training of the province, in our last day of instruction and mentalization, already with guide of march to move the next day to a base in the surroundings of the capital Lisbon, at the time of the “night curfew submission”, this military man, as we have already explained, with the post of first corporal, who was already a “sergeant by day”, since he was waiting for promotion to the immediate post, which was “furriel”, had some but he was not a militiaman, he was a first corporal, who should have attended a course, which would give him promotion to the immediate post, and that night made all the military present in that field of training, in a “cat and shoe” gathering, as they say)!.

…mandava pôr todos em sentido, chamava pelo número, vinha ver se era a pessoa que respondeu, pedindo a identificação, enfrentáva-nos com cara de guerreiro, mas ridícula, pois fazia rir a pessoa que enfrentava, depois dava uma volta em seu redor, analizava o cabelo, a barba, a farda, os emblemas limpos, as botas engraxadas, depois passava um raspanete agressivo, mesmo sem qualquer motivo!. Isto tudo numa parada e numa formatura de recolher, portanto à noite, fazendo prolongar essa mesma formatura por mais de uma hora, pois fazia os militares ficarem em sentido, às vezes por cinco minutos!. (He would send them all in, he would call for the number, he would come to see if he was the person who answered, asking for identification, he faced us with the face of a warrior, but ridiculous, for he made the person he was facing laugh, then gave a turn in his he would analyze the hair, the beard, the uniform, the clean emblems, the greased boots, then he would pass an aggressive scrape, even without any reason!. This all at a stop and at a graduation, so at night, doing this same graduation for more than an hour, because it made the military stay in line, sometimes for five minutes)!.

…perdendo algum control, alguns dos instruendos mais atrevidos, começaram a mandar “bocas”, como por exemplo, “queres promoção”, “cabrão”, “lateiro”, “toma lá disto”, “filho da puta” e mais uns tantos nomes bastante depreciativos!. Uns falavam de uma ponta da formação e, quando ele corria a ver quem era, logo outro chamava da outra ponta, claro, toda a formatura se ria!. O homem queria mandar, tinha mesmo sede de mandar e, com os seus excessos, tornou-se ridículo!. Talvez tivesse sido treinado para isso!. (Losing some control, some of the more daring instructors, began to send “mouths”, as for example, “you want promotion”, “bastard”, “buttress”, “take it there”, “son of a bitch” and more a few very depreciative names!. Some spoke of one end of the formation and, when he ran to see who it was, then another called from the other end, of course, the whole graduation would laugh!. The man wanted to command, he was really thirsty to command and, with his excesses, he became ridiculous!. Maybe he had been trained for it)!.

…lembrando tudo isto, perguntámos: (Remembering all this, we asked):

  – O que é que se passou?. Eras comandante!. (What happened?. You were a commander)!.

”ele”, um pouco nervoso, tirou os óculos, limpou as lentes e respondeu: (“him”, a little nervous, took off his glasses, wiped his glasses and replied):

   – Do que é que o nosso primeiro cabo, está a falar?. (What the hell is our first corporal talking about)?.

…nós respondemos, quase sorrindo: (We respond, almost smiling):

– Olha, de uma noite miserável, que nos fizes-te passar num campo de treinos da província, em Portugal!. (Look, on a miserable night, that you made us pass a training camp of the province, in Portugal)!.

...”ele”, então baixa um pouco os olhos, e diz: (“him”, then lower your eyes a little, and say):

   – Eu sei, não és só tu que me tem dito isso, fui treinado e instruído para isso!. Essa noite era uma das provas da minha promoção, não fui muito feliz e castigaram-me, não me promoveram e tenho sorte em ser primeiro cabo, pois depois disso já fui castigado outra vez, por assuntos que não gosto de lembrar!. Agora estou aqui, com estas divisas e, tenho que provar mais alguma coisa!. Olha, por favor ajuda-me, diz-me se sabes onde é que vamos dormir, cheguei aqui à tão pouco tempo e já sou um militar abatido!. (I know, you’re not the only one who told me this, I’ve been trained and educated!. That night was one of the tests of my promotion, I was not very happy and they punished me, they did not promote me and I am lucky to be first corporal, because after that I have been punished again, for subjects that I do not like to remember!. Now I’m here, with these currencies, and I have to prove something else!. Look, please help me, tell me if you know where we are going to sleep, I came here so soon and I am already a military man killed)!.

…nós, não sabíamos onde é que “ele” ia dormir, mas ajudámos no nosso melhor, dizendo-lhe que não tinha que provar nada, tinha mas era que tentar sobreviver!. Recebeu da nossa parte todo o apoio que era possível, durante o tempo que esteve no posto avançado da vila de Mansoa, claro, explicando-lhe que às vezes à noite, depois da hora do recolher, (para que se lembrasse da tal parada do recolher), onde aqui, não havia recolher nenhum, pois os guerrilheiros costumavam dar tiros e atacar o aquartelamento com granadas de morteiro e, que nessa altura estávamos todos unidos protegendo-nos, não havia tempo para formaturas ou estar-mos na posição de sentido por cinco minutos!. (We did not know where “him” was going to sleep, but we helped at our best, telling him that he did not have to prove anything, he had but it was to try to survive!. He received from us all the support that was possible during the time he was at the outpost of the village of Mansoa, of course, explaining to him that sometimes at night, after the time of the gathering, (so that he would remember the to this night), where here, there was no one to graduation, for the guerrillas used to shoot and attack the barracks with mortar shells, and at that time we were all united protecting us, there was no time for graduations or we were in the sense position for five minutes)!.

…quando “ele” partiu para a zona de combate, desejámos-lhe a maior sorte do mundo, como a tantos outros!. (when “him” left for the combat zone, we wish him the best of luck in the world, like so many others)!.

Tony Borie, December 2018.

…Sandy remembers!.

…Sandy remembers!.

…a Sandy lembra-se!.. (Sandy remembers)!.

…a nossa dedicada esposa Isaura, sofreu uma pequena intervenção cirúrgica!. Por uns dias ficou privada de certos movimentos mas, a nossa filha Sandy, com a boa compreenção do seu marido Brian, veio ajudar a sua mãe, aqui, no estado da Flórida!. (Our dedicated wife Isaura, underwent a minor surgical intervention!. For a few days she was deprived of certain movements, but our daughter Sandy, with the good understanding of her husband Brian, came to help her mother here in the state of Florida)!.

…Porquê?. A Sandy lembra-se, dos seus tempos de menina!. (Because?. Sandy remembers, from your girl times)!.

…de jovem!. (of young)!.

..de já mulher!. (Ready woman)!.

…pronta para enfrentar a sua vida!. (Ready to face your life)!.

…e constituir um lar!. (And constitute a home)!.

…onde a sua mãe Isaura, esteve sempre ao seu lado!. (Where your mother Isaura was always by your side)!.

…o seu lema continua a ser “Family is everything” (Família é tudo)!. (Your motto remains “Family is everything”)!.

…o seu dedicado marido Brian, ficou no estado de Nova Jersey, lá no norte, sózinho!. (Your devoted husband Brian, stayed in the state of New Jersey, up north, alone)!.

…cuidando de todo o labor da sua casa, lá no norte, tratando e cuidando os nossos netos ainda crianças, Brian e Ava!. (Taking care of all the work of your house, there in the north, treating and caring for our grandchildren still children, Brian and Ava)!.

…ela a Sandy, viajou para sul, trazendo consigo a nossa neta mais nova Leyla!. (She Sandy, traveled south, bringing our youngest daughter Leyla)!.

…que nos deliciou com as suas traquinices, tal como se tratasse de uma perfeita “terapia”, não só para nós, mas em especial para a sua avó Isaura!. (Which delighted us with its treachery, as if it were a perfect “therapy”, not only for us, but especially for his grandmother Isaura)!.

…é costume dizer-se que se aprecia melhor as atitudes, quando mais necessitamos delas e, a nossa filha Sandy, compreendeu, sacrificando a sua normal vida, vindo aqui ao sul ajudar a sua mãe nestes dias!. (It is customary to say that one appreciates better the attitudes, when we most need them, and our daughter Sandy, understood, sacrificing her normal life, coming here to the south to help her mother in these days)!.

…mãe, que tudo fez por ela, quando menina, jovem ou já mulher, para que enfrentasse o mundo, constituindo a sua própria família!. (Mother, who did everything for her, as a girl, young or old, to face the world, constituting her own family)!.

…família, é uma pequena palavra, mas que cria união e amor!. (Family, it’s a small word, but it creates unity and love)!.

…bem hajas, Sandy!. (Well, Sandy)!

Tony Borie, Novembro 2018.