…um bilhete de volta, para um momento que se foi!. (A ticket back, for a moment gone)!.

…um bilhete de volta, para um momento que se foi!. (A ticket back, for a moment gone)!.

…tal como o nome do nosso Blog indica, “Pieces of my life”, que quer mais ou menos dizer, “Pedaços da nossa vida”, neste texto iremos falar um pouco de nós, não só da nossa experiência como “veteranos de guerra”, mas também como “fotógrafos amadores”, sem qualquer pretenção, a não ser a de registar para todo o sempre alguns momentos que já se foram!. (As the name of our blog indicates, “Pieces of my life”, in this text we will talk a little about ourselves, not just about our experience as “war veterans” but also as “amateur photographers”, without any pretense, except to record forever some moments that are gone)!.

…hoje, vivemos quase de recordações, aqui no estado da Flórida, no entanto as nossas raízes continuam vivas, não só no pensamento, como no corpo, onde sofremos a angústia e os momentos de medo e sofrimento, debaixo do fogo inimigo!. (Today we live almost in memory here in the state of Florida, yet our roots are still alive, not only in thought, but in the body, where we suffer anguish and moments of fear and sufferin, under enemy fire)!.

…combatendo homens e mulheres, que nada tínhamos em contra, nem nunca antes tínhamos visto, que queriam a independência do seu território, livres das decisões dos Europeus!. (Fighting men and women whom we had nothing against, and never seen before, who wanted the independence of their territory, free from the decisions of Europeans)!.

…com a esperança de poderem viver em liberdade, decidir o seu futuro, educar os seus filhos, continuando os seus usos e costumes, herdados dos seus antepassados!. (With the hope of being able to live in freedom, decide their future, educate their children, continuing their customs and customs, inherited from their ancestors)!.

…isto são lembranças da nossa passagem pela Guerra Colonial Portuguesa, onde fomos combatentes por um período de dois anos, sobrevivendo no interior de um aquartelamento cercado de arame farpado, nas selvas, savanas, rios e pântanos da então Província Colonial Portuguesa da Guiné, em África, para onde nós, jovens que despertávamos para uma vida, vivendo em paz e em família, no silêncio da nossa aldeia do Vale do Ninho D’Águia, na vertente agreste da montanha do Caramulo, em Portugal, lá na Europa!. (This is a reminder of our time in the Portuguese Colonial War, where we were combatants for a period of two years, surviving inside a barbed wire barracks, in the jungles, savannas, rivers and marshes of the then Portuguese Colonial Province of Guinea, in Africa, where we young people who were awakening to a life, living in peace and family, in the silence of our village of Vale do Ninho D’Águia, in the wild slope of Caramulo mountain, in Portugal, in Europe)!.

…sendo levados, ou seja “arrancados”, treinados e mentalizados para combate, num campo de treinos duma cidade de província, que era uma mistura de ruídos, obstáculos, armas, tiros e atrapalhação, onde poucos meses depois, metidos no porão de um navio de carga, navegámos pelo oceano Atlântico, rumo a África, rumo a um teatro de operações, colocando-nos num terrível cenário de guerra!. (Being taken, that is, “uprooted”, trained and mentalized for combat, in a training camp of a provincial town, which was a mixture of noise, obstacles, weapons, gunfire and disruption, where a few months later, put in the basement from a cargo ship, we sailed across the Atlantic Ocean, towards Africa, towards an theater of operations, placing us in a terrible war scenario)!.

…vamos escrevendo, com a intenção de que a nossa dor, sirva de exemplo, sobretudo para os jovens, para que nunca se envolvam em nenhum conflito armado!. Longe do nosso pensamento, recordar aquele ditado que diz, “É frustante quando você conhece quase todas as respostas, mas ninguém se preocupa em fazer as perguntas”!. (We are writing with the intention that our pain will serve as an example, especially for young people, so that they never get involved in any armed conflict!. Far from our thinking, remember that saying, “It’s frustrating when you know almost all the answers, but no one bothers to ask the questions”)!.

…não, não é essa a nossa intenção, temos alguma experiência de vida, já por nós passaram muitas primaveras floridas, muitas temperaturas tórridas de verão, chuvas torrenciais de outono e muitos frios glaciares de inverno, contudo, a força que nos faz mover os dedos, ao passar pelo computador, é o reflexo de momentos de horror, mêdo e angústia, de um veterano de guerra onde, tanto o seu corpo como a sua mente, reagem automáticamente aos disparos da memória, sentindo de novo, em certos momentos, as feridas, o medo e o horror que por si passaram, enquanto presente num cenário de combate!. (No, that’s not our intention, we have some life experience, many flowering springs, many torrid summer temperatures, torrential autumn rains and many cold winter glaciers have passed us, but the strength that makes us Moving his fingers as he passes the computer is a reflection of moments of horror, fear, and anguish, of a war veteran where both his body and his mind automatically react to the firing of his memory, feeling again, in certain ways. moments, the wounds, the fear and the horror that passed by itself while present in a combat scenario)!.

…a maldição de um veterano de guerra, é que nunca esquece!. Contudo, já o dissémos em algumas vezes, o mêdo ou talvez a coragem, que nos ajudou a sobreviver num campo de batalha, não funciona muito bem agora, nesta avançada idade, mas ainda vai sendo possível assumir o control dessa horrível vivência e, vamos continuando a expulsar alguma energia positiva que nos resta, daquela que nos foi roubada, pelo desastre daquela maldita Guerra Colonial Portuguesa, em África!. (The curse of a war veteran is that he never forgets!. However, we have said it sometimes, fear or perhaps courage, which helped us survive on a battlefield, does not work very well now, at this advanced age, but it is still possible to take control of this horrible experience and, let’s continuing to expel some of the positive energy we have left of the one we were robbed of by the disaster of that damn Portuguese Colonial War in Africa)!.

…por exemplo, lembramo-nos que, num daqueles dias em que nos sentíamos angustiados, com bastante desespero, dirigimo-nos ao nosso comandante, expressando-lhe o nosso momento menos bom, ao que ele, pedindo-nos para nos sentar-mos na metade de um barril de vinho vazio, que por ali andava, colocando-nos a mão no ombro, com uma cara, que até nem parecia a de um comandante, nos disse mais ou menos isto:

 – parabéns, estás a começar a ser uma pessoa normal!. Continua a fazer as tuas tarefas de cifrar e decifrar as mensagens, pois o teu mêdo é igual ao meu e, não significa que és um covarde, a tua coragem é fazeres as tuas tarefas, num cenário de guerra onde o mêdo, é um fenómeno constante!.

(For example, we remember that on one of those days when we were feeling anguished, with great despair, we went to our commander, expressing to him our least good moment, to him, asking us to sit down halfway through an empty wine barrel that was walking around, placing a hand on our shoulder, with a face that didn’t even look like a commander’s, told us something like this:

– Congratulations, you are starting to be a normal person!. Keep doing your tasks of encrypting and deciphering the messages, because your fear is the same as mine, and that doesn’t mean you’re a coward, your courage is to do your tasks in a war setting where fear is a phenomenon. constant)!.

…já chega de lembranças da Guerra Colonial Portuguesa mas, todo este resumo vem a propósito da nossa nova máquina fotográfica, que nos faz lembrar a primeira que tivémos, cujas fotos eram um “bilhete de volta para um momento que se foi”!. (Enough memories of the Portuguese Colonial War, but all this summary comes about the purpose of our new camera, which reminds us of the first one we had, whose photos were a “ticket back to a moment gone”)!.

…era uma caixa de fotografar, marca Kodak, oferta do Movimento Nacional Feminino, que foi uma organização de suporte, voltada para a organização das mulheres em torno do apoio à Guerra Colonial Portuguesa, em particular quando o conflito nas então províncias colonias de Angola, Mozambique e Guiné se intensificou, caixa de fotografar esta, que nos desapareceu por altura de um desastre de avioneta que tivémos lá no norte, perto da fronteira com o país Senegal!. (Was a Kodak-branded photo box, offered by the National Women’s Movement, which was a supportive organization focused on the organization of women around the support of the Portuguese Colonial War, particularly when the conflict in the then colonial provinces of Angola, Mozambique and Guinea have intensified, this box of photographs, which disappeared at the time of a plane crash we had in the north, near the border with the country Senegal)!.

…depois, numa das nossas “fugidas” que frequentemente fazíamos na “camioneta dos doentes” à capital da província, comprámos outra, era uma Konica, já com mais botões e complicada, que tirava fotografias quase como as das revistas!. (Then, in one of our “escapades” that we often did in the “sick truck” to the provincial capital, we bought another, it was a more complicated and buttonsed Konica, which took pictures almost like those of magazines)!.

…a melhor maneira de descrever esta máquina de fotos, era que era o nosso “tanque de batalha”, era o abrigo que nos protegia dos ataques do inimigo, porque olhando através da sua lente em alguns momentos de reflexão, víamos imagens e cenários de rios, pântanos e floresta virgem, que também nos trazia alguns momentos de paz!. (The best way to describe this camera was that it was our “battle tank”, it was the shelter that protected us from enemy attacks, because looking through your lens in some moments of reflection, we saw images and scenery of rivers, marshes and virgin forest, which also brought us some moments of peace)!.

…e claro, nas nossas viagens pelas diferentes zonas de guerra, na entrega de material classificado do qual éramos o responsável, fazíamos dezenas de fotografias, umas do ar, outras em terra, algumas chocantes, outras de paisagens deslumbrantes da selva, de animais, de pássaros exóticos, de cenários de guerra, de colegas, enfim, de tudo o que se entendesse que era útil fotografar!. Os rolos para a máquina, a preto e branco, vinham da capital da província, dos serviços cartográficos do exército, onde também eram processadas as fotografias, pois o amigo e companheiro Braga, ali em serviço, encarregava-se de todo esse processo!. (And of course, in our travels through the different war zones, in delivering classified material for which we were responsible, we made dozens of photographs, some from the air, some on the ground, some shocking, some stunning jungle landscapes, animals, exotic birds, war scenes, colleagues, in short, everything that was considered useful to photograph!. The black-and-white rollers for the camera came from the provincial capital, from the army’s cartographic services, where the photographs were also processed, since his friend and companion Braga, in service, was in charge of the whole process)!.

…algum tempo depois, o nosso comandante, verificando o jeito que tínhamos para tirar fotos, requereu uma máquina, também Konica, aos serviços do exército, que por ocasião destes acontecimentos era uma das melhores máquinas fotográficas que havia no mercado, que nos ofereceu com a condição de as melhores fotos lhe serem entregues!. (Some time later, our commander, checking the way we had to take pictures, requested a camera, also Konica, from the army services, which at the time of these events was one of the best cameras on the market, that we offered on the condition that the best photos are delivered to you)!.

…quando imigrámos, tanto essa máquina como todo o espólio fotográfico, ficou em casa dos nossos pais, lá na aldeia do Vale do Ninho d’Águia onde, alguns anos depois, quando fomos por elas, tinham desaparecido, estando algumas em casa de familiares, já em muito fraco estado, no
entanto ainda recuperámos as possíveis, que consideramos hoje, bons documentos da nossa passagem por aquela maldita guerra!. (When we immigrated, both this camera and the whole photographic estate, stayed at our parents’ house, there in the village of Vale do Ninho d’Águia where, some years later, when we went for them, they had disappeared, some at home family, already in very poor condition, in the however, we still recovered the possible, which we consider today, good documents of our passage through that damn war)!.

…neste texto mostramos algumas delas, numa simples composição, dado o seu estado de conservação, assim como outras cedidas por companheiros felizmente ainda vivos, que connosco viveram esta miserável guerra e, ainda as conservam e que nos vão cedendo algumas, pelo menos dos locais por onde passámos, o que nós agradecemos, considerando-as não só umas verdadeiras relíquias como verdadeiros documentos, esperando que as vejam e apreciem, simplesmente como documentos, oriundos de um veterano de guerra!. (In this text we show some of them, in a simple composition, given their state of conservation, as well as others given by happily still living companions, who lived with us this miserable war and still preserve them and that are giving us some, at least from the places we went through, which we appreciate, considering them not only true relics but real documents, hoping that they will see and appreciate them simply as documents from a war veteran)!.

…depois, desde que nos lembramos, sempre trouxémos uma máquina fotográfica ao pescoço, ou seja apreciamos ver o mundo através de uma lente, acompanhando o crescimento da nossa família, registando e documentando os principais marcos da nossa vida!. (Then, as long as we remember, we have always brought a camera around our neck, that is, we enjoy seeing the world through a lens, following the growth of our family, recording and documenting the main milestones of our lives)!.

…gostaríamos de lembrar com alguns pormenores exactamente como conseguimos comprar algumas das máquinas que nos foram acompanhando durante a nossa existência mas, realmente não nos lembramos!. Todavia, com alguns pormenores, apenas nos lembramos de uma daquelas engraçadas, que pareciam ruins para a época, muito pequenas mas eficazes, que finalmente moldaram a nossa maneira de fotografar!. (We would like to remind you in some detail exactly how we were able to buy some of the machines that have been with us during our lifetime but we really don’t remember!. However, with a few details, we just remember one of those funny ones, which seemed bad for the time, very small but effective, that finally shaped our way of shooting)!.

…hoje, tal como a princípio já mencionámos, vivemos quase de recordações aqui na Florida e, graças a essas máquinas pequenas que cabem no nosso bolso de trás, registamos uma criatividade ilimitada com um simples clique de um botão, podendo compartilhar as nossas verdades que vamos observando aqui e ali, por este mundo além, onde mostramos algumas que não precisam de legenda, pois são tal como postais ilustrados que frequentemente se vêm em algumas revistas de turismo e, nós tivemos a felicidade de por lá passar, registando com a nossa máquina de fotografar, a tal que cabe no nosso bolso de trás, todos esses momentos!. (Today, as we mentioned earlier, we live almost on memories here in Florida, and thanks to those small machines that fit in our back pockets, we register unlimited creativity, at the click of a button, sharing our truths that we are observing here and there, around this world, where we show some that do not need subtitles, as they are like picture postcards that often come in some tourist magazines and, we were fortunate to pass by, registering with our camera, such as that fits in our back pocket, all these moments)!.

…é a nossa preferida, essa tal que cabe no bolso de trás, já com alguma idade, mais de noventa mil milhas de viajem na nossa “White Fox”,(caravana), mais de trinta mil cliques, depois de atravessar alguns continentes, com áreas de frio, neve, calor tórrido, chuva ou mesmo tempestades, desertos e ondas das águas do oceano, acabou agora por ter alguma dificuldade em clicar!. (Is our favorite, the one that fits in our back pocket, at an older age, over ninety thousand miles of travel in our “White Fox” (caravan), over thirty thousand clicks, after crossing a few continents, with areas of cold, snow, torrid heat, rain or even storms, deserts and waves of ocean waters, now have some difficulty clicking)!.

…resultado!. Procurámos outra para a substituir, mas teve que ser igual, precisamente igual, onde no momento da compra, nos tentaram vender outra moderna, dizendo-nos que esta estava desactualizada, o que compreendemos mas, é ela a que ao clicar nos oferece uma sinfonia familiar!. (Result!. We looked for another one to replace it, but it had to be the same, exactly the same, where at the time of purchase, we were tried to sell another modern one, telling us that it was out of date, which we understand, but it is that clicking offers us a symphony familiar)!.

…tiramos fotos para recordar algumas experiências que nos moldaram e nos fizeram, tiramos fotos para diminuir a distância e diminuir o tempo, emprestando um legado às pequenas coisas e alguma vida aos esquecidos!. (We took pictures to remember some of the experiences that shaped and made us, we took pictures to narrow the distance and shorten the time, lending a legacy to the little things and some life to the forgotten)!.

…quando por aqui caminhamos, se houver apenas alguns minutos para apreciar o céu azul, ou um pôr do sol cor-de-rosa, a nossa intenção é levar tudo isto para dentro da nossa máquina de tirar fotos!. (When we walk here, if there are only a few minutes to enjoy the blue sky, or a pink sunset, our intention is to take all of this into our camera)!.

…clicando, deixemos a nossa máquina de fotos ser a nossa arte, a nossa imagem, talvez a nossa história!. (By clicking, let our camera be our art, our image, perhaps our story)!.

…tiramos fotos como um bilhete de volta para um momento que se foi!. (We took pictures as a ticket back to a moment gone)!.

…todas as fotos, por mais simples que sejam, são significativas, são histórias, são lembranças, são a conexão visual ao nosso passado, tanto quanto ao presente e até às gerações futuras!. (All photos, no matter how simple, are meaningful, they are stories, they are memories, they are the visual connection to our past, as well as the present and even future generations)!.

…nós, tiramos fotos para nos sentirmos como artistas na quinta-feira e contadores de histórias no domingo, esperando que esta nova, mas de modelo antigo, nos continue a oferecer imagens, que nos vão trazer de volta alguns momentos que se foram!. (We took pictures to feel like artists on Thursday and storytellers on Sunday, hoping that this new but old model will continue to offer us images that will bring us back a few moments that are gone)!

Tony Borie, October 2019.

One thought on “…um bilhete de volta, para um momento que se foi!. (A ticket back, for a moment gone)!.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s