…vivemos na lua!. (We live the moon)!.

…não queríamos voltar ao tema mas…, somos quase forçados porque…, seguindo os princípios da nossa querida avó Agar, quando as pessoas fugiam para o “desvaneio”, logo dizia que, “viviam na lua”!. E nós, já com muitos anos passados, entendemos que aqueles que não respeitam o passado, difícilmente terão um bom futuro, para não mencionar que “o futuro se escreve com o passado”!. (We did not want to return to the topic but…, we are almost forced because…, following the principles of our dear grandmother Agar, when people fled to “wander”, she immediately said that, “they lived on the moon”!. And we, with many years past, understand that those who do not respect the past, will hardly have a good future, not to mention that “the future is written with the past”!.

…é uma profunda idiotice, olhar para a história com os olhos de hoje!. A história, é um resumo das coisas que se passaram e que eram comuns e legais ou quase legais, pois as populações aceitavam-nas na época em que foi vivida e documentada, tal como a de hoje será daqui por 400 ou 500 anos, descrevendo os heróis e outras coisas notáveis do momento actual!. (It is a profound idiocy to look at history with today’s eyes!. The story is a summary of the things that happened and that were common and legal or almost legal, as the populations accepted them at the time they were lived and documented, just as today’s will be for 400 or 500 years, describing the heroes and other notable things of the present moment)!.

…claro, nessa época futura, já cá não estaremos para ver o que dirão desses heróis e momentos agora actuais, no entanto, entendemos perfeitamente que o ser humano em alguns momentos é dominado, entre outras, por uma característica que dá pelo nome de “estúpida e primitiva”, que um conjunto de pessoas, pensando em serem futuros heróis, sem o saberem, dão cabo das boas causas, que felizmente ainda existem por aí!. (Of course, in that future time, we will no longer be here to see what they will say about these heroes and now current moments, however, we fully understand that the human in some moments being is dominated, among others, by a characteristic that goes by the name of “stupid and primitive”, that a group of people, thinking of being future heroes, without knowing it, put an end to the good causes, which fortunately still exist out there)!.

…ao presenciar os noticiários da comunicação social, podemos ver imagens de manifestações antirracistas, principalmente após o assassínio de George Floyd por um polícia!. Algumas destas imagens são lindas e comoventes e, a própria família do cidadão Floyd apelou a que não existissem distúrbios, porém, isso não impediu que extremistas partissem, pilhassem e incendiassem o que podiam, ou seja, praticassem crimes e roubos a pessoas e emprezas que nada tinham a ver com as agressões que causaram a morte do cidadão Floyd, mesmo sabendo que essas pessoas e emprezas tinham ali o meio da sua subsistência, ficando assim no desemprego e na miséria!. (When watching the media news, we can see images of anti-racist demonstrations, especially after the murder of George Floyd by a policeman!. Some of these images are beautiful and moving, and Citizen Floyd’s own family appealed for no disturbances, but that did not stop extremists from leaving, plundering and setting fire to what they could, that is, to commit crimes and thefts to people and businesses that they had nothing to do with the aggressions that caused the death of citizen Floyd, even though he knew that these people and businesses had the means of subsistence there, thus remaining unemployed and destitute)!.

…e continuando, chegou-se ao cúmulo da vandalização, derrube e lançamento à água, de algumas estátuas, que por isto ou por aquilo eram traficantes de escravos, ganhando dinheiro com o tráfico negreiro, claro, numa época em que a consciência geral não condenava essa actividade, (que nós também condenamos), mas que se passou naquela época e…, foi desenvolvida com a colaboração de alguns dos próprios negros, árabes, indianos ou até índios, que de outro modo não seria concretizada!. (And continuing, it reached the height of vandalization, overthrow and launch into the water, of some statues, which for this or that were slave traders, earning money from the slave trade, of course, at a time when conscience In general, it did not condemn this activity, (which we also condemned), but which took place at that time and…, was developed with the collaboration of same of blacks, arabs or even Indians, which otherwise would not be implemented)!.

…lendo partes da história universal e alinhando nesta onda histérica, personagens que têm estátuas gigantes, feitas com trabalho escravo, mostrando a história do tempo, como por exemplo Júlio César, que entre outras, foi um dizimador dos gauleses e possuidor de escravos!. Átila, que invadiu a Europa e semeou o terror por onde passou!. Ou a maior estátua equestre do mundo está na Mongólia, dedicada a Gengis Khan, outro aterrorizador de chineses, indianos e europeus!. (Reading parts of universal history and aligning in this hysterical wave, characters who have giant statues, made with slave labor, showing the history of time, such as Júlio César, who, among others, was a decimator of the Gauls and a slave owner! Attila, who invaded Europe and sowed terror wherever she went!. Or the largest equestrian statue in the world is in Mongolia, dedicated to Genghis Khan, another terrifying Chinese, Indian and European)!.

…mais!. Maomé II, que fez cair Constantinopla e pôs fim ao Império Romano do Oriente, também deixando um saque, ou seja, um autêntico genocídio por onde passou, numa demonstração de feroz colonialismo intolerante!. Solimão o Magnífico, que fez do Império Otomano uma enorme potência imperialista, atacando os húngaros e os próprios austríacos, para além de gregos e búlgaros, raptando crianças aos cristãos para os educarem de forma muçulmana e agressiva, transformando-os em janízaros, os mais fiéis ao sultão!. (More!. Mohammed II, who brought down Constantinople and ended the Eastern Roman Empire, also leaving a plunder, that is, an authentic genocide he passed through, in a demonstration of fierce intolerant colonialism!. Solimão the Magnificent, who made the Ottoman Empire a huge imperialist power, attacking Hungarians and Austrians themselves, as well as Greeks and Bulgarians, abducting children to Christians to educate them in a Muslim and aggressive way, transforming them into Janissaries, the most faithful to the sultan)!.

…e estas estátuas existem!. Estão lá porquê?. Para que os povos que a seguir vieram, conheçam a história, ou seja, vejam o que aconteceu aos visavós dos seus visavós, na centésima ou milésima geração!. (And these statues exist!. Why are they there?. So that the people who came next, get to know the story, that is, see what happened to the great grandfather of their great grandfather, in the hundredth or thousandth generation)!.

…enfim, somos mais uma vez forçados a dizer que, “é pena que uma parte das pessoas que caminham nestas manifestações anti-racistas, apenas sejam dominadas, entre outras, por uma característica que dá pelo nome de “estúpida e primitiva” e, olhem com os olhos de hoje, com um preconceito e um certo ódio ao homem e à mulher, que pode ser branca, negra, amarela, ruiva ou vermelha, pensando única e simplesmente na sua pessoa, em serem futuros “heróis do nada”, do segundo ou minuto em que as câmaras da TV lhes dão algum protagonismo, que sem o saberem, dão cabo das boas causas, que felizmente ainda existem por aí!. (In short, we are once again forced to say that, “it is a pity that part of the people who walk in these anti-racist demonstrations, are only dominated, among others, by a characteristic that goes by the name of “stupid and primitive” and, look with the eyes of today, with a prejudice and a certain hatred for the man and the woman, who can be white, black, yellow or red, thinking only and simply in his person, in being future “heroes of nothing”, of the second or minute in which the TV cameras give them a role, which without knowing it, put an end to the good causes, which fortunately still exist out there)!.

Tony Borie, Século XXI.

One thought on “…vivemos na lua!. (We live the moon)!.

  1. Tony, gostei desta tua opinião, o que concordo plenamente. Um abraço, e cuidem-se

    Tony Borie – Pieces of my life escreveu no dia sábado, 20/06/2020 à(s) 10:13:

    > tonisaborie posted: ” …não queríamos voltar ao tema mas…, somos quase > forçados porque…, seguindo os princípios da nossa querida avó Agar, > quando as pessoas fugiam para o “desvaneio”, logo dizia que, “viviam na > lua”!. E nós, já com muitos anos passados, entendemos que” >

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s