…ouvindo e sentindo o vento do oeste!. (Listening and feeling the wind from the west)!.

…ouvindo e sentindo o vento do oeste!. (Listening and feeling the wind from the west)!.

…um dos motivos porque viajamos é, porque preferimos olhar para a nossa já um pouco avançada idade e dizer-mos, “Não acreditamos que fizémos isto”, em vez de dizer “Se ao menos tivéssemos feito aquilo”!. (One of the reasons why we travel is because we prefer to look at our old age and say, “We don’t believe we did this”, instead of saying “If only we had done that”)!.

…é também certo que as nossas aventuras nos aproximam mais, mesmo quando nos levam para longe do estado da Flórida!. (It is also true that our adventures bring us closer, even when they take us away from the state of Florida)!.

…mas, já andávamos a algum tempo longe da nossa casa, do nosso quintal, do nosso jardim, da nossa praia, dos nossos vizinhos e, era frequente nas nossas conversações manifestar-mos uma certa nostalgia daquele costume de vida com aquele conforto rotineiro, onde nós, às vezes nos sintimos algo desconfortáveis, por estarmos confortáveis demais!. (But we have been walking for some time now from our house, our backyard, our garden, our beach, our neighbors, and often in our conversations we expressed a certain nostalgia for that habit of life with that routine comfort, where we sometimes feel uncomfortable because we are too comfortable)!.

…décimo dia!. (Tenth day)!.

…estávamos no estado de Oklahoma onde a cor da terra é mais branca e o cenário é quase plano, continuando a viajar no sentido leste na auto-estrada 40, desviando-nos sempre que era possível para a Histórica Estrada 66 que segue ao seu lado!. (We were in the state of Oklahoma where the color of the earth is whiter and the scenery is almost flat, continuing to travel east on Highway 40, diverting as far as possible onto Historic Highway 66 following the your side)!.

…no entanto este cenário plano, era diferente, mesmo muito diferente, daquele cenário do sul do estado do Utah, daquela região onde tal como nós, os amantes da natureza e aventureiros vão à procura de uma experiência ao ar livre, caminhar entre penhascos de arenito vermelho, fluxos de lava negra com paisagens desérticas!. (Yet this flat scenery was different, even very different, from that southern Utah scenery, from that region where like us, nature lovers and adventurers are looking for an outdoor experience, walking amongst Red sandstone cliffs, black lava flows with deserted landscapes)!.

…aqui, no estado de Oklahoma, podemos viajar por longas e desérticas rectas, no entanto tal como já mencionámos anteriormente, sempre que nos era possível, também usávamos alguns troços da famosa e Histórica Estrada 66, que ainda estavam lá, oferecendo-nos o prevlégio de os usar, tal como os nossos antepassados fizeram muitos anos atrás a caminho da Califórnia!. (Here, in Oklahoma, we can travel long and deserted straits, but as we mentioned earlier, whenever possible, we also used some sections of the famous and historic Highway 66, which were still there, offering give us the privilege of using them, just as our ancestors did many years ago on their way to California)!.

…viajando por aqui, talvez usássemos as mesmas trilhas que as evidências sugerem quando os povos indígenas caminharam por o território que hoje é o estado de Oklahoma desde a última era do gelo, ou pelos seus antepassados de Wichita, Kichai, Teyas ou Escanjaques, que por aqui viviam, caçando ou pescando, sobretudo nos afluentes do rio Mississippi!. (Traveling here, we might use the same trails as the evidence suggests when indigenous people walked through the territory that is now the state of Oklahoma since the last ice age, or by their ancestors of Wichita, Kichai, Teyas or Escanjaques, who lived here, hunting or fishing, especially in the tributaries of the Mississippi River)!.

…pensando na história destes povos, onde nós, vindos do oeste, depois de atravessar o estado do Texas, mais propriamente a região das planícies do sul, ou seja, a região do “Texas Panhandle”, onde as pessoas adquiriram a cultura “Panhandle”, porque os povos da cultura “Caddoana do Mississippi”, eram aqueles que viviam na parte oriental deste estado, mais propriamente próximo do rio Mississippi!. (Thinking of the history of these peoples, where we, coming from the west, after crossing the state of Texas, more specifically the southern plains region, that is, the region of the “Texas Panhandle”, where people acquired the culture “Panhandle”, because the peoples of the “Caddoana of Mississippi” culture were those who lived in the eastern part of this state, closer to the Mississippi River)!.

…assim, chegámos a Oklahoma City, a capital do estado, onde seguindo por algum tempo a rota da velha e famosa Histórica Estrada 66, passámos quase em frente ao Capitólio!. (So we came to Oklahoma City, the state capital, where for a while following the route of the famous old Historic Highway 66, we passed almost in front of the Capitol)!.

…despedindo-nos desta famosa estrada, dizendo “até qualquer dia”, recordando os momentos passados nela, nesta estrada a que também chamam a “Estrada Mãe”, que vai desde a Rua Adams, na cidade de Chicago, no estado de Illinois, até ao cais de Santa Mónica, na cidade de Los Angels, no estado da Califórnia, cujo trajecto agora seguia para norte/leste e a nossa rota, agora era sul/leste, a caminho do estado da Flórida!. (Saying goodbye to this famous road, saying “until any day”, remembering the moments spent on it, on this road which they also call the “Mother Road”, which runs from Adams Street in the city of Chicago, Illinois, to the Santa Monica Pier in the city of Los Angels, California, whose route was now north / east and our route was now south / east, heading for the state of Florida)!.

…depois, foi seguir um trajecto que nos levasse no mais curto espaço de tempo e milhas, por estradas com frequentes estações de serviço e, sobretudo próximas de ajuda hospitalar em caso de qualquer possível acidente, até à nossa casa no estado da Flórida!. (Then went on a journey that took us in the shortest possible time and miles, along roads with frequent service stations, and especially near hospital help in the event of any possible accident, to our home in the state of Florida)!.

…assim, atravessámos a fronteira para o estado de Arkansas, próximo da cidade de Forte Smith, que é uma cidade que traça as suas origens como um posto militar durante a “era da fronteira”!. (So we crossed the border into the state of Arkansas, near the city of Fort Smith, which is a city that traces its origins as a military post during the “border age”)!.

…continuando a nossa rota rumo ao leste, entrámos no estado do Tennessee, mais propriamente próximo da cidade de Memphis!. (Continuing our route east, we entered the state of Tennessee, closer to the city of Memphis)!.

…a cidade de Memphis é a maior cidade ao longo do rio Mississippi, considerada a cidade âncora do oeste do estado de Tennessee e da região centro-sul, que inclui partes dos estados vizinhos de Arkansas e Mississippi!. (The city of Memphis is the largest city along the Mississippi River, considered the anchor city of western Tennessee and the south central region, which includes parts of neighboring states of Arkansas and Mississippi)!.

…aqui foi o tempo suficiente para mudar de estrada e de rota, pois agora seguindo em direcção ao sul, onde pouco tempo depois atravessámos a fronteira para o estado de Mississippi!. (Here was enough time to change the road and route, for now heading south, where a short time later we crossed the border into the state of Mississippi)!.

…Mississippi, Mississippi, um dos estados que mais admiramos, não só por termos convivido por um período de mais de trinta anos, com um companheiro de profissão, que tanto ele como a sua família, constantemente nos explicavam a vivência dos seus avós, talvez pais e avós dos seus bisavós, que sofreram no corpo e na alma, as amarguras de um colonialismo agressivo!. (Mississippi, Mississippi, one of the states we admire most, not only because we had been living for a period of more than thirty years with a professional companion, who both he and his family constantly explained to us about their grandparents’ experience, perhaps parents and grandparents of their great-grandparents, who suffered in body and soul, the bitterness of an aggressive colonialism)!.

…querendo prestar uma última homenagem a este companheiro que infelizmente já não pertence ao mundo dos vivos e, contando um pouco da sua história, o “Mississippi”, pois era assim que carinhosamente o chamávamos, era um desses homens a quem a sorte não protegeu lá muito enquanto jovem!. Tinha orgulho em nos dizer que os seus bisavós ou pais dos seus bisavós, tinham vindo de África e, quando chegaram a este continente foram escravos, explicava-nos ao pormenor que o pai do seu bisavô foi escravo na plantação com o nome tal, sendo vendido duas vezes, pois era muito valente e todos o queriam ter naquelas plantações de tabaco, de algodão, de cana de açúcar ou de outra qualquer coisa, no estado do Mississippi!. (Wanting to pay one last tribute to this fellow who unfortunately no longer belongs to the world of the living and, telling a little of his story, the “Mississippi”, as that was affectionately called him, was one of those men to whom luck did not protect there much while young!. He was proud to tell us that his great-grandparents, or parents of his great-grandparents, had come from Africa, and when they came to this continent they were slaves, explaining to us in detail that his great-grandfather’s father was a slave on the plantation with such a name, sold twice, because he was so brave and they all wanted to have him on those tobacco, cotton, sugar cane, or anything else in the state of Mississippi)!.

…ele próprio tinha algumas marcas, no peito, no braço e uma outra ao lado, um pouco abaixo da orelha esquerda, com que os pais o marcaram quando nasceu, orgulhando-se de nos mostrar essas marcas!. Eram desenhos na pele, parecidos com os que nós próprios víamos frequentemente em África, quando também sofremos no corpo e na alma, o mêdo e a angústia da Guerra Colonial Portuguesa em África, para onde fomos ainda jovens, sendo arrancados da nossa aldeia pelo governo colonial de então, mobilizados e forçados a participar!. Nasceu e cresceu, numas terras, por onde passava um comboio, ao lado do rio Mississippi, que os seus pais não sabiam a quem pertenciam, simplesmente nasceu lá, com mais três irmãos e seis irmãs!. Aprendeu a nadar no rio Mississippi e não tinha receio de cobras, nem de “alligatores”, uma espécie de crocodilos, pelo contrário, caçava-os e comia-os!. (He himself had some marks on his chest, arm, and one beside him, just below his left ear, which his parents marked him with when he was born, proud to show us those marks!. They were drawings on the skin, similar to the ones we often saw in Africa, when we also suffered in body and soul, the fear and anguish of the Portuguese Colonial War in Africa, where we went when we were young, being torn from our village by the colonial government of the time, where we were mobilized and forced to participate!. He was born and raised in a land where a train was passing by the Mississippi River, which his parents did not know to whom they belonged, he was simply born there, with three brothers and six sisters!. He learned to swim in the Mississippi River and was not afraid of snakes or “alligators”, a kind of crocodile, on the contrary, he hunted them and ate them)!.

…um dia, seguindo o exemplo de muitos jovens na sua situação, pois era normal naquela época, e querendo fugir da fome e da miséria que levava, entra, juntamente com outro irmão mais velho, com a roupa que traziam vestida, pela calada da noite, numa carruagem dum comboio de mercadorias que por lá passava!. Vieram parar ao estado de Nova Jersey, onde nós tivémos residência por mais de trinta anos e o ajudámos a ele, ao nosso amigo “Mississippi”, a recomeçar a sua vida, constituindo uma linda família!. Paz à sua alma!. (One day, following the example of many young people in their situation, because it was normal at that time, and wanting to escape the hunger and misery that it carried, enters, along with another older brother, with the clothes they were wearing, for quiet of the night in a carriage of a freight train passing by!. They came to the state of New Jersey, where we had resided for over thirty years, and helped him, our friend “Mississippi”, to start your life again, making a beautiful family!. Peace to your soul)!.

 

…no entanto, vale a pena recordar um pequeno extracto da história de sofrimento deste povo que muito respeitamos, onde muitos dos seus descentes talvez sejam hoje os habitantes do estado do Mississippi, cá vai:

“Durante o século XVIII, a área foi governada de maneira variada pelos governos coloniais espanhóis, franceses e britânicos!. Os colonos importaram escravos africanos como trabalhadores!. Sob o domínio francês e espanhol, desenvolveu-se uma classe de pessoas livres de cor (gens de couleur libres), na maioria descendentes multirraciais de homens europeus e mulheres negras escravizadas ou livres, e seus filhos mestiços!. Nos primeiros dias, os colonos franceses e espanhóis eram principalmente homens e, mesmo quando mais mulheres européias se uniram aos assentamentos, os homens tinham uniões inter-raciais entre mulheres de descendência africana (e cada vez mais descendentes multirraciais), tanto antes como depois de casamentos com mulheres européias!. Frequentemente, os homens europeus ajudavam seus filhos multirraciais a se formar ou ganhar aprendizado para ofícios e, às vezes apegavam-se a eles, onde muitas vezes libertavam as mães e seus filhos escravizados, como parte de contratos de plaçagem!. Com esse capital social, as pessoas de cor livres tornaram-se artesãs e às vezes tornaram-se comerciantes e proprietários, formando uma terceira classe entre os europeus e a maioria dos africanos escravizados nos assentamentos franceses e espanhóis, embora não tão grande comunidade livre quanto na cidade de Nova Orleans, no estado de Louisiana”!.

(However, it is worth remembering a small excerpt from the history of suffering of this people we respect very much, where many of their descendants may today be the inhabitants of the state of Mississippi, here goes:

“During the eighteenth century, the area was governed to varying degrees by the Spanish, French, and British colonial governments!. The settlers imported African slaves as workers!. Under French and Spanish rule, a class of free-colored people (gens de couleur libres), mostly multiracial descendants of European men and enslaved or free black women, and their mestizo children, developed!. In the early days, French and Spanish settlers were mainly men, and even as more European women joined the settlements, men had interracial unions between women of African descent (and increasingly multiracial descent), both before and after. weddings with european women!. Often European men helped their multiracial children graduate or gain apprenticeship for trades and sometimes clung to them, where they often freed their mothers and their enslaved children as part of pledge contracts!. With this social capital, free-colored people became artisans and sometimes traders and owners, forming a third class between Europeans and most enslaved Africans in French and Spanish settlements, though not as large a free community as they were, in New Orleans, Louisiana”)!.

…dormimos neste estado, na cidade de Tupelo, que tem uma conexão profunda com a história da música do Mississippi, sendo associada a artistas tão diversos como Elvis Presley, Rae Sremmurd ou Diplo!. Esta cidade também abriga várias instituições artísticas e culturais, incluindo o local de nascimento de Elvis Presley, sendo a única cidade no sul dos Estados Unidos a ser nomeada “uma cidade de toda a América”, cinco vezes!. (We sleep in this state, in the city of Tupelo, which has a deep connection to the history of Mississippi music, being associated with artists as diverse as Elvis Presley, Rae Sremmurd or Diplo!. This city also houses a number of artistic and cultural institutions, including Elvis Presley’s birthplace, and is the only city in the southern United States to be named “a city of all America” five times)!.

…décimo primeiro e último dia!. (Eleventh and last day)!.

…foi a continuação de uma autêntica maratona, ao atravessar alguns estados que, tal como já acima mencionámos, procurando sempre estradas com estações de serviço frequentes, assim como assistência hospitalar próxima, em caso de possível acidente!. (Was the continuation of a true marathon, crossing some states that, as we mentioned above, always looking for roads with frequent service stations, as well as close hospital care in case of a possible accident)!.

…assim, atravessámos a fronteira para o estado do Alabama, cuja história é muito semelhante ao estado de Mississippi!. (So we crossed the border to the state of Alabama, whose history is very similar to the state of Mississippi)!.

…depois de algumas horas, atravessámos a fronteira para o estado da Geórgia!. (After a few hours, we crossed the border to the state of Georgia)!.

…chegando próximo da cidade de Atlanta!. (Coming close to the city of Atlanta)!.

…desviando-nos para sul, onde depois de viajar por algumas horas, atravessámos a fronteira para o estado da Flórida!. (Turning south, where after traveling for a few hours, we crossed the border to the state of Florida)!.

…viajando até nossa casa onde, antes de nela entrar e reparando no contador de milhas da nossa “White Fox” (Caravana), existia uma diferença de aproximadamente 6.000 milhas!. (Traveling to our house where, before entering it and noticing the miles counter of our “White Fox” (Caravan), there was a difference of approximately 6,000 miles)!.

…hoje, ao escrever este resumo, já sentimos saudades daquele cenário onde, “sentiamos e ouviamos o vento do oeste”, que era tal qual o dos filmes do Oeste, que logo nos fez lembrar a célebre frase do actor John Wayne, quando exclamava, “So this is where God put the west” (então é aqui que Deus colocou o oeste)!. (Today, in writing this summary, we already miss that scenario where, “we felt and heard the wind from the west”, which was just like the movies from the west, which soon reminded us of the famous phrase of actor John Wayne, when he exclaimed, “So this is where God put the west”)!.

…sentimos alguma felicidade por nos acompanharem nesta viajem ao oeste e, agora vamos então uns dias visitar Portugal, esperando não sentir muitas dificuldades mas, neste momento dizem que vai haver greve dos camionistas, portanto não vai haver gasolina nos postos de abastecimento mas, isto não vai ser muita dificuldade para pessoas como nós que, entre outras aventuras, já fizémos o inteiro trajecto, por duas vezes e nos dois sentidos, do famoso e desértico “Alaska Highway”!.  (We feel some happiness to accompany us on this trip to the west, and now we are going to visit Portugal for a few days, hoping not to feel much difficulties, but at this moment they say there will be truckers’ strike, so there will be no gasoline at the gas stations but this will not be too much trouble for people like us who, among other adventures, have already made the entire two-way and two-way journey of the famous and deserted “Alaska Highway”)!.

Tony Borie August 2019.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s