…mais um ano!. (…one more year)!.

…tanto a nossa esposa Isaura, companheira de vida por mais de cinco décadas, tal como nós, fazemos anos em Setembro e, algumas celebridades também fazem anos neste mês, com a diferença de que esssas celebridades, tanto no mundo das artes, nos desportos ou até no cinema podem também fazer os seus anos, até no mesmo dia, mas quem faz anos em Setembro somos nós!. Uf…, tanta modéstia!!!.

…both our wife Isaura, a life partner for more than five decades, just like us, celebrate their birthdays in September and some celebrities also have their birthdays this month, with the difference that these celebrities, both in the world of arts, in sports or even in the cinema they can also celebrate their birthday, even on the same day, but we are the ones who have their birthdays in September!. Uf… so much modesty!!!.

…estamos em Setembro e quando crianças, os nossos progrenitores seguindo uma tradição de há séculos, festejavam os nossos anos e nós ainda crianças, tínhamos a felicidade de não perceber coisa nenhuma e de não ter as esperanças que os outros tinham por nós, porque na idade de ter esperanças, infelizmente já não sabíamos ter esperanças, tudo talvez por causa de ainda quase crianças, ser-mos forçados a ir combater na Guerra Colonial em África!.

(…it’s September and as children, our progrenitors following a tradition of centuries, celebrated our birthdays and we, as children, were fortunate not to understand anything and not have the hopes that others had for us, because in age to have hope, unfortunately we no longer knew how to hope, all perhaps because we were still almost children, being forced to go and fight in the Colonial War in Africa)!.

…olhando para trás, fomos um jovem sem idade e, ainda hoje nos lembramos de quando a nossa querida e saudosa avó Agar, que sempre trazia nos pés umas chinelas que tinham sido sapatos no Brazil, sentada no tronco de uma árvore que por lá existia na nossa aldeia quase mediaval do Vale do Ninho D’Águia, (diziam que ela e esse tronco da árvore juntos, deviam de ter há volta de duas centenas de anos), agarrada a um pau, a cabeça um pouco caída para a frente, parecendo que estava dormindo, mas despertava com as nossas palavras de saudação, dizendo-nos com algum carinho “fui eu que assisti a tua mãe quando nasceste, era uma manhã de Setembro, já quase no final das colheitas, andáva-mos na vindima das uvas”!.

(…looking back, we were an ageless young man and, even today, we remember when our dear and dear grandmother Agar, who always wore slippers that had been shoes in Brazil, sat on the trunk of a tree that existed there. in our almost mediaval village in Vale do Ninho D’Águia, (they said that she and that tree trunk together must have been around two hundred years ago), clutching a stick, her head hanging a little forward, looking like he was sleeping, but he woke up with our words of greeting, telling us with some affection “I was the one who watched your mother when you were born, it was a September morning, almost at the end of the harvests, we were in the harvest grape”)!.

…sim, a nossa mãe Ilda que era uma mãe que fazia um dia nublado num dia de sol!. Quando estávamos doentes, beijava o lugar onde nos doia, o seu sorriso dizia-me que íamos ficar bem e, sempre lá estava para nós de dia ou de noite, a sua voz suave tiráva-nos o medo, a sua mão apagava as nossas lágrimas, o seu carinho tão puro e honesto manteve-nos durante toda a nossa vida num homem seguro, ela era o anjo da guarda que nos guiou e amparou nos nossos primeiros passos, os seus olhos diziam-nos quanto se importava connosco e davam-nos alívio quanto nos sentíamos sózinhos ou assustados!.

(…yes, our mother Ilda who was a mother who made a cloudy day on a sunny day!. When we were sick, he kissed the place where it hurts, his smile told me we would be fine and, he was always there for us day or night, his soft voice took our fear away, his hand erased ours. tears, her love so pure and honest kept us all our lives in a safe man, she was the guardian angel who guided and supported us in our first steps, her eyes told us how much she cared for us and relief when we felt alone or scared)!.

…já muitos anos depois, ambas em diferentes tempos e já bastante frágeis, quando também precisavam que lhes dessem o comer na boca, e um simples lamento era um sinal de que precisavam de alguma coisa, tal qual como nós fazíamos quando chorávamos, (e elas conheciam o nosso choro), e para andar também precisavam de ir agarradas a alguma coisa, tal como nós fazíamos que andávamos quase sempre agarrados às suas saias, eram uma cópia do que nós fomos quando crianças e, compreendíamos com amor tudo isto, só não compreendemos e sofremos, foi quando elas, mudaram de lugar, indo para junto de Deus, se é que ele existe e… ABANDONARAM-NOS!.

(…many years later, both at different times and already quite fragile, when they also needed to be fed in their mouths, and a simple lament was a sign that they needed something, just like we did when we cried, (and they knew our crying), and to walk they also needed to go clinging to something, just as we used to do that we walked almost always clinging to their skirts, they were a copy of what we were as children and, we understood with love all this, just we don’t understand and we suffer, that’s when they changed places, going to God, if he even exists and… ABANDONED US)!.

…eram outros tempos!. Hoje, já nesta idade um pouco avançada, entendemos que devemos acarinhar os idosos, não os devemos provocar ou dar maus tratos, normalmente, eles, não querendo nenhum drama, não querem lutar contra ninguém, mas  provocados, serão forçados a lutar de forma não justa!. Não vão desistir, e pelo pouco tempo que lhes resta, não haverá armas que não irão usar, como tal, é melhor deixá-los sózinhos com o seu café, a sua bebida ou os seus pensamentos de quando eram jovens!.

(…that were other times!. Today, at this somewhat advanced age, we understand that we must nurture the elderly, we must not provoke or abuse them, normally they, not wanting any drama, do not want to fight anyone, but provoked, will be forced to fight in a non fair!. They won’t give up, and for the little time they have left, there won’t be any weapons they won’t use, so it’s best to leave them alone with their coffee, their drink or their thoughts from when they were young)!.

…pelo menos nas madrugadas, em que já estamos vigilantes, as nossas recordações de juventude surgem na nossa mente, lembrando-nos os princípios de família, as palavras sábias dos nossos pais e avós, onde nos explicavam que o mal, tal como o bem que podíamos proporcionar a alguém, mais tarde ou mais cedo cairia em nós, quase sempre em dobro!. 

(…at least in the early mornings, when we are already vigilant, our memories of youth arise in our minds, reminding us of the principles of family, the wise words of our parents and grandparents, where they explained to us that evil, such as the good we could do to someone, sooner or later would fall on us, almost always double)!.

…e, além de outras, hoje as multidões vivem no silêncio da solidão, embora falando constantemente com esses telefones portáteis, com imagens e tudo, em contacto com este mundo moderno, talvez desalentadas pela nova realidade que até aqui era desconhecida, da maldita pandemia Covid-19, com as ruas despidas de gente e dos cães de caudas a abanar!. Este é um pesadelo que a todos envolve pela revolta zangada de quem nos sustenta, que é a NATUREZA, onde devia de ser um planeta magnífico ou uma terra com uma beleza eterna!.

(…and, among others, today the crowds live in the silence of solitude, while talking constantly with these portable phones, with images and everything, in contact with this modern world, perhaps discouraged by the new reality that was hitherto unknown, of the damned pandemic Covid-19, with the streets stripped of people and dogs with wagging tails!. This is a nightmare that surrounds us all by the angry revolt of those who support us, which is NATURE, where it should be a magnificent planet or a land with eternal beauty)!.

…e, com os campos verdes sem nunca arderem, cultivavando o milho, o centeio, as couves, as nabiças, as batatas, criavando galinhas, um porco, uma cabra ou uma ovelha, que lhes davam o sustento para criar e educar oito, nove, às vezes dez filhos!. Dizia-se que, “O Pão era amassado com o suor do trabalho”!.

(…and, with the green fields never burning, growing maize, rye, cabbage, turnip greens, potatoes, raising chickens, a pig, a goat or a sheep, which gave them the sustenance to raise and educate eight, nine, sometimes ten children!. It was said that, “The bread was crushed with the sweat of work”)!.

…não havia televisão!. As notícias eram conhecidas por alguma família mais abastada que tinha um rádio de pilhas e as transmitia aos vizinhos, falando, conversando, comendo um naco de pão de milho e bebendo um copo de vinho!. No entanto havia o sentido de família, o respeito, a segurança, o trabalho, o sorriso expontâneo e verdadeiro, a simplicidade e a solidariedade!. Também havia algumas florestas de carvalhos, que tal como nós, resistiam à neve, ao frio e ao calor, florescendo sempre e, a areia nas praias estava limpa!. 

(…there was no television!. The news was known to some wealthy family who had a battery-powered radio and broadcast it to neighbors, talking, chatting, eating a loaf of cornbread and drinking a glass of wine! However, there was a sense of family, respect, security, work, a spontaneous and true smile, simplicity and solidarity!. There were also some oak forests, which like us, withstood snow, cold and heat, always blooming and the sand on the beaches was clean)!.

…sim, fazemos anos, muitos felizmente, no entanto, nem que seja por momentos, temos que pensar quando vemos essa outra gravíssima ameaça global que temos neste momento entre mãos, que é a alteração climática e, que é muito menos percetível a olho nu, tanto nos efeitos imediatos como no seu nexo de causalidade, basta ver os horrorosos rostos de pessoas desesperadas, espalhadas por quase todos os cantos do mundo, não só junto de rios ou terras planas, chorando de amargura ao ver o que foram as suas habitações ou os seus haveres agora destruídos por tempestades, às vezes verem os entes queridos serem levados por enchurradas, e que a comunicação social nos mostra quase todos os dias!.

(…yes, it’s been years, very fortunately, however, even if only for a moment, we have to think when we see this other very serious global threat that we have on our hands right now, which is climate change, and which is much less noticeable to the naked eye , both in the immediate effects and in its causal link, just look at the horrific faces of desperate people, spread over almost every corner of the world, not just along rivers or flat lands, crying with bitterness when seeing what their houses were. or their possessions now destroyed by storms, sometimes seeing their loved ones taken away by storms, and that the media shows us almost every day)!.

…sejam felizes em toda a vossa vida, não só porque neste mês de Setembro fazemos anos!.

(…be happy throughout your life, not just because this September is our birthday)!.

 Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s