…Monumento Nacional da Torre dos Demónios!. (Devils Tower National Monument)!

“Esperamos sempre ter aprendido algo com o dia de ontem, porque amanhã é a coisa mais importante da nossa vida e oxalá chegue a meia-noite de hoje limpa e sem problemas, porque é perfeito quando ela chega e se coloca nas nossas mãos”!.

“We always hope that we have learned something from yesterday, because tomorrow is the most important thing in our lives and I hope that midnight today arrives clean and without problems, because it is perfect when it arrives and puts itself in our hands”! .

…hoje vamos falar do Monumento Nacional da Torre dos Demónios!. Vindos do sul, entrámos no estado de Wyoming usando diferentes estradas, onde em algumas viajávamos quase sózinhos por milhas e milhas, passando por nós de quando em quando um “motard” que levantava a mão em sinal de saudação e, quando viajam “motards”, o cenário sempre é agradável, sobretudo mostrando a natureza!.

(…today we are going to talk about the National Monument of the Tower of Demons!. Coming from the south, we entered the state of Wyoming using different roads, where on some we traveled almost alone for miles and miles, passing us from time to time a “biker” who raised his hand in greeting and, when traveling “bikers” , the scenery is always pleasant, especially showing nature!.

…chegámos à cidade de Sundance aninhada nas montanhas do “Black Hills” no nordeste do estado, que é uma cidade pequena e pitoresca firmemente enraizada na história que quando um imigrante nascido na Prússia a reivindicou, ficando de imediato convencido de que o nome da cidade seria Sundance, para homenagear os nativos americanos e as danças do sol que eles realizavam na montanha ao sul da hoje cidade!. 

(…we arrived at the town of Sundance nestled in the mountains of the “Black Hills” in the northeast of the state, which is a small, picturesque town firmly rooted in history that when a Prussian-born immigrant claimed it, he was instantly convinced that the town’s name it would be Sundance, to honor the Native Americans and the sun dances they performed on the mountain south of today’s city)!.

…continuando, deixámos a cidade de Sundance, viajando pelas montanhas de “Bear Lodge”, que é parte do “Black Hills”, um pouco acima do Rio Belle Fourche, parando numa pequena área quase plana, onde ao longe já se podia ver a “Devils Tower National Monument” a que vamos chamar a partir de agora a “Torre dos Demónios”!.

(…continuing, we left the city of Sundance, traveling through the mountains of “Bear Lodge”, which is part of the “Black Hills”, a little above the Belle Fourche River, stopping in a small, almost flat area, where in the distance you could already see the “Devils Tower National Monument” which we will call from now on the “Tower of the Demons”)!.

…que nos mostra uma rocha saliente no terreno, grande, mesmo grande, que dizem ter 1,267 pés (386 m) acima do Rio Belle Fourche e, 867 pés (265 m) do seu cume até à base!. Foi o primeiro Monumento Nacional declarado nos Estados Unidos, no ano de 1906, pelo então Presidente Theodore Roosevelt, assim como toda a área circundante, que abrange 1.347 acres (545 ha)!.

(…which shows us a protruding rock on the ground, large, even large, said to be 1,267 feet (386 m) above the Belle Fourche River and 867 feet (265 m) from its summit to the base!. It was the first National Monument declared in the United States, in the year 1906, by then President Theodore Roosevelt, as well as the entire surrounding area, which covers 1,347 acres (545 ha)!.

…a “Torre dos Demónios”, foi em tempos estrela de cinema, pois foi cenário do filme de ficção científica, no ano de 1977, “Encontros Imediatos de Terceiro Grau”, de Steven Spielberg, que usou esta formação como um elemento de enredo, trama, conspiração ou sinal de perigo, e também como localização nas suas cenas climáticas!. Daí, nós tomarmos conhecimento deste maravilhoso Monumento e, não só nós, pois dizem que este filme foi a causa de um grande aumento de visitantes!. 

(…the “Tower of Demons” was once a movie star, as it was the setting for the 1977 science fiction film “Close Encounters of the Third Kind”, by Steven Spielberg, which used this formation as a plot element, plot, conspiracy or danger signal, and also as a location in your weather scenes!. Hence, we became aware of this wonderful Monument and not only us, as they say that this film was the cause of a large increase in visitors)!.

…assim como alpinistas, que são 1% dos 4.000.000 de visitantes anuais a este Momumento, que escalam a “Torre dos Demónios”, usando técnicas tradicionais, havendo a curiosidade que por volta do ano de 1941, um tal George Hopkins lançou-se de páraquedas na torre, sem qualquer permissão, como golpe de publicidade resultante de uma simples aposta!.

(…as well as climbers, who are 1% of the 4,000,000 annual visitors to this monument, who climb the “Tower of Demons”, using traditional techniques, with the curiosity that around the year 1941, a certain George Hopkins launched- parachute into the tower, without any permission, as a publicity stunt resulting from a simple bet)!.

…ainda falando dos alpinistas que escalam a “Torre dos Demónios” que, é sagrada para as várias tribos de Nativos Americanos, destas Planícies, incluindo os Lakotas, os Cheyennes os Klowa ou os Crows, onde muitos líderes se opuseram, tendo os alpinistas argumentado que tinham direito de escalar a torre, já que está em terras federais, no entanto houve um acordo, alcançando uma proibição da escalada voluntária durante o mês de Junho, quando as diferentes tribos, estão realizando as suas cerimónias em redor deste maravilhoso Monumento!.

(…still speaking of climbers who climb the “Tower of Demons” which is sacred to the various Native American tribes of these Plains, including the Lakotas, the Cheyennes, the Klowa or the Crows, where many leaders opposed, the climbers having argued they had the right to climb the tower, since it is on federal land, however there was an agreement, reaching a ban on voluntary climbing during the month of June, when the different tribes are performing their ceremonies around this wonderful Monument)!.

…andámos por lá, subimos até uma certa altura, onde era possível colocar os pés com alguma segurança e como curiosidade junto de nós estava uma família oriunda de Montreal, no Canadá, que nos pediu para tirar-mos uma foto com toda a família junta, o que fizemos, pedindo igual favor!. Andavam na estrada ia para um mês e, quando souberam que éramos oriundos da Europa, queriam falar no idioma Francês, pois os seus antepassados eram Franceses, pensando que na Europa todos se entendiam no idioma Francês!.

(…we walked there, climbed up to a certain height, where it was possible to put our feet with some security and as a curiosity there was a family with us from Montreal, Canada, who asked us to take a picture with the whole family together , which we did, asking for the same favor!. They were on the road for a month and, when they found out that we were from Europe, they wanted to speak in the French language, because their ancestors were French, thinking that in Europe everyone understood each other in the French language)!.

…o nome de “Torre dos Demónios”, teve origem por volta do ano de 1875, quando uma expedição liderada por um Coronel de nome Richard Irving Dodge, que andou por lá e, um seu interprete teria interpretado mal um nome nativo que significava “Torre de Deus Ruim”!. Claro, ficou “Torre dos Demónios”, mas os Nativos Americanos, ainda lhe chamam, “Casa do Urso”, “Hospedagem do Urso”, “Tipi do Urso”, “Lar do Urso” e, os Cheyennes, os Lakotas, os Crows e os Kiowas, além destes nomes, também lhe chamam “No Alto de uma Pedra”, “Árvore de Pedra”, “Grande Chifre Cinzento” e “Chifre de Búfalo Castanho”!.

(…the name “Tower of Demons”, originated around the year 1875, when an expedition led by a Colonel named Richard Irving Dodge, who walked there and, an interpreter would have misinterpreted a native name that meant “ Bad God Tower!”!. Of course, it was “Tower of the Demons”, but the Native Americans, still call it, “House of the Bear”, “House of the Bear”, “Tipi do Bear”, “Home of the Bear” and, the Cheyennes, the Lakotas, the Crows and the Kiowas, in addition to these names, also call it “No Alto de uma Pedra”, “Stone Tree”, “Great Gray Horn” and “Brown Buffalo Horn”)!.

…o cenário em volta da “Torre dos Demónios”, é composto por rochas sedimentares, onde as mais antigas, que são visíveis, talvez tivessem origem num qualquer mar pouco profundo, durante o período “Triássico Médio”, por volta de 225 a 195 milhões de anos atrás!. Ainda hoje, o arenito vermelho escuro e o siltstone marrom, intercalados com xisto, podem ser vistos ao longo do Rio Belle Fourche que, como já dissemos anteriormente, passa perto da sua base, cuja oxidação de minerais de ferro, causa a vermelhidão das rochas, cuja camada, é conhecida como “Formação Spearfish”!. 

(…the scenery around the “Torre dos Demônios”, is composed of sedimentary rocks, where the oldest ones, which are visible, may have originated in some shallow sea, during the “Middle Triassic” period, around 225 to 195 millions of years ago!. Even today, dark red sandstone and brown siltstone, interspersed with shale, can be seen along the Belle Fourche River which, as we said earlier, passes close to its base, whose oxidation of iron minerals causes the rocks to redden. , whose layer is known as the “Spearfish Formation”)!.

…acima desta formação, existe uma banda fina de gesso branco, chamada “Formação de Nascentes de Gypsum”, que possívelmente foi depositada durante o período “Jurássico”, talvez 195 a 136 milhões de anos atrás!. 

(…above this formation, there is a thin band of white plaster, called “Gypsum Springs Formation”, which was possibly deposited during the “Jurassic” period, perhaps 195 to 136 million years ago)!.

…sendo vista à distância, a “Torre dos Demónios”, é um fenómeno que não é vulgar, onde existem teorias que, poderá ser um plugue vulcânico, ou o pescoço de um vulcão extinto!. Presumivelmente, se tivesse sido um resíduo vulcânico, com cinzas vulcânicas, fluxos de lava, detritos vulcânicos, teriam sido destruídos há muito tempo, no entanto materiais piroclásticos com a mesma idade que a “Torre dos Demónios”, foram identificados em outros lugares no estado de Wyoming!.

(…being seen from a distance, the “Tower of the Devils”, is a phenomenon that is not common, where there are theories that, it could be a volcanic plug, or the neck of an extinct volcano!. Presumably if it had been a volcanic residue, with volcanic ash, lava flows, volcanic debris, it would have been destroyed long ago, however pyroclastic materials of the same age as the “Tower of Demons” have been identified elsewhere in the state. from Wyoming)!.

…existe uma explicação, com algum sentido que é: a “Torre dos Demónios”, talvez há milhões de anos não era visível, não sobressaía da paisagem, todavia com o decorrer dos anos, à medida que os elementos desgastavam os arenitos e os shales mais macios à sua volta, a rocha mais resistente foi ficando, sobrevivendo às forças erosivas, como resultado, as colunas cinzentas da “Torre dos Demónios”, começaram a aparecer, como uma massa isolada acima da paisagem e, à medida que a chuva e a neve continuaram a corroer as rochas sedimentares que cercam a sua base, mais a “Torre dos Demónios” começou a ficar exposta!. 

(…there is an explanation, with some meaning, which is: the “Tower of the Demons”, perhaps millions of years ago it was not visible, it did not stand out from the landscape, however over the years, as the elements wore down the sandstones and shales softer around it, the more resistant rock became, surviving the erosive forces, as a result, the gray columns of the “Tower of the Demons”, began to appear, like an isolated mass above the landscape and, as the rain and the snow continued to erode the sedimentary rocks that surround its base, but the “Tower of the Devils” began to be exposed)!.

…no entanto, as porções expostas, ainda experimentam certas quantidades de erosão, as fissuras ao longo das colunas estão sujeitas à erosão da água e do gelo e, a erosão devido à expansão do gelo ao longo das rachaduras e fracturas nas formações rochosas é comum em climas mais frios, assim, algumas porções, ou mesmo colunas inteiras, estão continuamente quebrando e caindo, formando pilhas de colunas quebradas, pedregulhos e pedras pequenas ou grandes, que nós vimos, e vão ficando na sua base, indicando-nos que a torre já foi mais larga, do que hoje é!. Esta também é a nossa explicação para este fenómeno que é a maravilhosa “Torre dos Demónios”!.

(…however, exposed portions still experience certain amounts of erosion, cracks along the columns are subject to water and ice erosion, and erosion due to ice expansion along cracks and fractures in rock formations is common in colder climates, thus, some portions, or even entire columns, are continually breaking and falling, forming piles of broken columns, boulders, and small or large stones, which we have seen, and remaining at their base, indicating to us that the tower was once wider than it is today!. This is also our explanation for this phenomenon that is the wonderful “Tower of Demons”)!.

…este maravilhoso monumento da “Torre dos Demónios”, onde na sua área circundante ainda hoje existem e, são protegidas espécies de animais selvagens como búfalos, ursos, veados de cauda branca, cães da pradaria ou águias carecas, onde em tempos também por aqui deviam de ter andado caçadores de peles, no entanto não existe evidência escrita desse facto!.

(…this wonderful monument of the “Tower of the Devils”, where in its surrounding area there are still species of wild animals such as buffaloes, bears, white-tailed deer, prairie dogs or bald eagles, where once also around here They must have been fur trappers, however there is no written evidence of this fact)!.

…mas existem inúmeras histórias sobre este maravilhoso Monumento Nacional, com mitos, lendas ou narrativas sagradas, que ajudaram a conectar as diversas tribos de Índios Americanos com esta área, que são uma reverência às crenças e pessoas do passado, onde cada tribo tem a sua própria história, e por vezes existem várias histórias da mesma tribo, contendo até elementos semelhantes, todavia são preservados hoje pelas tradições da cultura dos Índios Americanos!.

(…but there are countless stories about this wonderful National Monument, with myths, legends or sacred narratives, that helped to connect the different tribes of American Indians with this area, which are a reverence to the beliefs and people of the past, where each tribe has its own history, and sometimes there are several stories of the same tribe, even containing similar elements, however they are preserved today by the traditions of American Indian culture)!.

…embora essas histórias sejam produto do passado, as tribos estão associadas a membros activos do presente, onde cada uma tem a sua nação soberana, conhecidas como reservas, na qual as pessoas e membros dessas tribos fazem parte da nossa comunidade nacional moderna e, as suas conexões com lugares como a “Torre dos Demónios, são tão importantes hoje, como eram há gerações antes deste lugar sagrado se tornar num Monumento Nacional!.

(…while these histories are products of the past, the tribes are associated with active members of the present, where each has its sovereign nation, known as reservations, in which the people and members of these tribes are part of our modern national community, and the its connections with places like the “Tower of Demons”, are as important today as they were generations before this sacred place became a National Monument)!.

…deixámos este maravilhoso lugar, meditando em algumas das lendas das tribos, Arapahoe, Crow, Sioux, Cheyennes ou Cheyennes no Norte, que encontrámos quando visitámos o Centro de Visitas da “Torre dos Demónios”, onde existe uma pintura em cima da lareira, retratando algumas dessas lendas, e algumas são pitorescas, entrando quase sempre um urso gigante que quer apanhar as garotas e os garotos que fojem para junto das suas aldeias e, algumas transformam-se na “Garota-Ursa”, sendo salva pela “Wanblee”, a águia amiga!.

(…we left this wonderful place, meditating on some of the legends of the tribes, Arapahoe, Crow, Sioux, Cheyennes or Cheyennes in the North, that we found when we visited the Visitor Center of the “Tower of Demons”, where there is a painting above the fireplace, portraying some of these legends, and some are picturesque, almost always entering a giant bear that wants to catch the girls and boys that run away to their villages and, some become the “Girl-Bear”, being saved by the “Wanblee” , the friendly eagle)!.

…estas histórias, que para os Nativos Americanos e não só, são narrativas sagradas, ajudam-nos a compreender cultura do passado, os mitos, as lendas, que fazem da maravilhosa “Torre dos Demónios”, um lugar que se deve visitar e, prestar o nosso respeito, pelas maravilhas e segrêdos, que o Planeta Terra, continua a guardar!.

(…these stories, which for the Native Americans and beyond, are sacred narratives, help us to understand the culture of the past, the myths, the legends, which make the wonderful “Tower of Demons”, a place that must be visited and, Pay our respect, for the wonders and secrets that Planet Earth continues to keep)!.

…já no regresso passámos pela pequena aldeia de Aladdin, que tem sòmente 30 acres e se situa no leste do condado de Crook, a nordeste da cidade de Sundance, Wyoming e, era como voltar no tempo quando entrámos no armazém geral que é uma loja que está lá há mais de cem anos com mercadorias e roupas, um bar e o andar de cima carregado de antiguidades!.

(…on the way back we passed the small village of Aladdin, which has only 30 acres and is located in eastern Crook County, northeast of the city of Sundance, Wyoming, and it was like stepping back in time when we entered the general store that is a store which has been there for over a hundred years with goods and clothes, a bar and the upstairs full of antiques)!.

… onde a senhora atrás do balcão que nos atendeu, explicou-nos entre outras coisas, que esta pequena aldeia, que tem os seus próprios Correios, Bombas de Gasolina e muita HISTÓRIA, onde vivem cinco famílias e uma população de 15 pessoas, está à venda por um milhão e meio de dólares!.

(… where the lady behind the counter who served us, explained to us, among other things, that this small village, which has its own Post Office, Petrol Stations and lots of HISTORY, where five families live and a population of 15 people, is sale for a million and a half dollars)!.

…e sorrindo, acrescentou: “se você já sonhou em ser o “xerife” da sua própria cidade, talvez uma mudança para Wyoming, possa tornar esse desejo realidade”!.

(…and smiling, she added, “if you’ve ever dreamed of being the “sheriff” of your own town, maybe a move to Wyoming can make that wish come true”!.

Tony Borie, Século XXI. (Tony Borie, 21st Century).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s